Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Indústrias – Construção naval – Artes e ofícios

Indústrias – Construção naval – Artes e ofícios

Não há dentista, mas é suprida esta falta por um ferreiro curioso

Furtaram o Decreto-Lei – Por Eurico Rezende

Furtaram o Decreto-Lei – Por Eurico Rezende

Era a vitória do Estado do Espírito Santo, após mais de um século de lutas e frustrações

Vasco Fernandes Coutinho - Parte I

Vasco Fernandes Coutinho - Parte I

Vasco Fernandes Coutinho foi fidalgo da Casa Real portuguesa, segundo registro do próprio D. João III, na carta de doação e no foral da capitania que seria a do Espírito Santo

Vasco Fernandes Coutinho - Parte II

Vasco Fernandes Coutinho - Parte II

Afugentado o gentio com disparos de armas de fogo, lança-se o capitão às providências iniciais da implantação da donataria, estabelecida a princípio na atual cidade de Vila Velha

Vasco Fernandes Coutinho - Parte III (última)

Vasco Fernandes Coutinho - Parte III (última)

Numa tentativa última de se pôr cobro às incursões dos selvagens, e visando aproveitar os meios naturais de defesa, transferiu a sede para a Ilha 

Quadros desalentadores da Província, 1823

Quadros desalentadores da Província, 1823

"...Foram eleitos Manuel Pinto Ribeiro Pereira de Sampaio, magistrado, com sessenta votos"

Pecuária no ES – Século XIX

Pecuária no ES – Século XIX

Uma égua valia vinte mil réis; um cavalo, trinta e dois mil réis

ES x BA - No Governo Geral (Capítulo III - A Capitania do Espírito Santo)

ES x BA - No Governo Geral (Capítulo III - A Capitania do Espírito Santo)

As Pesquisas do ouro na Capitania do Espírito Santo. — Os Bandeirantes. — A decadência de Porto Seguro

ES x BA - Limites (Capítulo II - A Capitania do Espírito Santo)

ES x BA - Limites (Capítulo II - A Capitania do Espírito Santo)

A Capitania do Espírito Santo foi doada, em 1534, por D. João III ao fidalgo luso Vasco Fernandes Coutinho, que a ocupou em 23 de Maio do ano seguinte

Agricultura no ES – Século XIX

Agricultura no ES – Século XIX

A maior parte da população dedicava-se à agricultura, rudimentarmente praticada