Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Guarapari, terra de muitas histórias

Ruínas da Igreja Nossa Senhora da Conceição em Guarapari - Foto: Walter de Aguiar Filho, abril/2012

A história de Guarapri teve início em meados de 1569, quando o padre José de Anchieta, acompanhado do governador-geral Mem de Sá, visitou o litoral do Espírito Santo.

Após ter sido o fundador de várias vilas, o beato decidiu construir uma capela no morro mais alto, com vista para o mar. Em 1585, somente 16 anos depois, ao retornar a Guarapari, Anchieta inaugurou a pequena igreja dedicada a Sant'Anna e ao Sagrado Coração de Jesus, com a apresentação do auto em Tupi, escrito por ele mesmo, que falava de Pirataraka, um índio que falecera na época.

Vendo que a capela edificada por Anchieta estava arruinada, em 1677 o donatário da capitania, Francisco Gil de Araújo, mandou construir uma igreja dedicada a Nossa Senhora da Conceição, o que hoje são as ruínas no centro da cidade, tombadas pelo patrimônio histórico. A igreja não chegou a ser concluída devido a um incêndio.

Em 1751, o padre Antônio Siqueira de Quental reformou a igreja inaugurada pelo beato e mudou a padroeira de Sant'Anna para Nossa Senhora da Conceição, conhecida atualmente como igreja matriz velha. Quental era o proprietário de duas grandes fazendas, doadas pela Coroa Portuguesa em 1642, após a morte do antigo dono Marcos Fernandes Monsanto.

 

Fonte: A Gazeta - Especial Guarapari ,18/09/2005
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2012



GALERIA:

📷
📷


História do ES

Nazi-Fascismo no ES

Nazi-Fascismo no ES

A radicalização política e ideológica marcou os anos 30 do século XX. Na Europa, o nazi-facismo de Hitler e Mussolini lutava contra o comunismo de Stalin. No Brasil, representando esses dois campos doutrinários, digladiavam-se a Ação Integralista Brasileira – AIB – de Plínio Salgado e a Aliança Nacional Libertadora – ANL – de Luís Carlos Prestes...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Mês da Colonização do Solo Espírito-Santense

O site Morro do Moreno irá publicar matérias especiais sobre a Colonização do Solo Espírito Santense, comemorado em 23 de maio

Ver Artigo
O 408 Aniversário da Colonização do Espírito Santo

Foi sem dúvida a falta de justiça a causa da decadência do primitivo sistema de colonização

Ver Artigo
A Colonização do solo Espírito-Santense - Por: Yvone Amorim

Vasco Fernandes Coutinho faleceu a 16 de janeiro de 1561, em Vila Velha, onde residia. Acreditamos, em um futuro bem próximo, que se possa resgatar a importância da figura do donatário, como a melhor forma de cultivar a sua memória

Ver Artigo
O plano português para colonização das terras doadas - Sesmarias

A 28 de fevereiro de 1532, D. João III, por carta, cientificou a Martim Afonso de Souza a resolução que tomara de dividir o litoral do Brasil, de Pernambuco ao Rio da Prata, com o fim de formar capitanias com cinqüenta léguas da costa

Ver Artigo
População e colonização no ES em meados de Século XIX

Santa Isabel ia em progresso. O presidente da província já denunciava, porém, a resistência dos colonos a que fosse ministrado o ensino de português aos seus filhos 

Ver Artigo