Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Copa de 2006

Bandeira do Brasil

Lembrei-me desta história por causa da melancólica participação do Brasil na Copa do mundo de 2006. O escrete canarinho chegou à Alemanha com honras de superfavorito, mas em nenhum momento justificou a fama ou correspondeu às expectativas, sendo derrotado com toda justiça pela França nas oitavas-de-final, adiando o sonho nacional de acrescentar mais uma estrela às outras cinco já colecionadas.

O time brasileiro jogou um futebolzinho burocrático, medíocre, sem sal, desinteressado, como se fôssemos nós os franceses, a desfilar nos gramados o nosso ar blasé. Entretanto, não temos o charme dos habitantes da Riviera, que visitam o Louvre em qualquer fim-de-semana, carregam suas baguetes debaixo do sovaco, fazem biquinho para falar e não precisam tomar banho porque há em cada praça uma fonte jorrando Chanel nº 5; não, esta atitude não combina com nossa tradição terceiro-mundista de quem precisa, como dizia o Amaral, correr atrás da bola como quem corre atrás de um prato de comida.

Não vou falar da decepção com a perda da taça, nem da teimosia do Parreira (excelente pintor!) em escalar como titulares jogadores que estavam em condições técnicas e físicas visivelmente inferiores à dos reservas; um ou dois dias depois da catástrofe, que já se anunciava desde os primeiros jogos do Brasil, eu já havia esquecido a Copa do Mundo.

 

Fonte: Vagas lembranças de um quase atleta, 2009
Autor: Paulo Marreco


O Esporte na História do ES

A pesca do Marlim Azul

A pesca do Marlim Azul

No Iate Clube do Espírito Santo é festa do marlim azul. O sol brilha mais forte: é o encontro de pescadores que ganharam fama mundial...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Domingo de Remo - Por Július César Carvalho Silva

Domingo de regata de remo em Vitória é domingo diferente

Ver Artigo
Histórias dos craques - Por Július César Carvalho Silva

Tudo acalmado quando o treinador Beto Pretti resolveu se virar para a torcida e fazer o sinal do V numa alusão à paz e o amor

Ver Artigo
Olhar de perto - Por João Carlos Nunes Ramos

Uma tímida torcida que repousava nas contínuas escadas do Salvador Venâncio da Costa

Ver Artigo
Adeus, Jucutuquara - Por Jorge Rodrigues Buery

Pelos idos de 1966 ou 67 comecei a assistir a jogos de futebol, frequentando estádios junto de meu pai e de meu tio

Ver Artigo
Moisés, um campeão - Por Jorge Rodrigues Buery

Na final do Campeonato Brasileiro de 1995, ele era um dos botafoguenses campeões

Ver Artigo