Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A fusão de Vitória e Vila Velha

Cinco pontes ligando Vila Velha à Vitória

Em 1976, iniciou-se uma articulação para fundir Vila Velha e Vitória num único município, a capital do Estado. Embora fossem usados vários argumentos técnicos, o real objetivo era impedir a realização de eleições para prefeito de Vila Velha, onde a Oposição tradicionalmente vencia os pleitos. Como desde 1966, os prefeitos das capitais eram indicados, prevaleceria essa regra também para a nova capital a ser formada.

Conforme decisão do Tribunal Regional Eleitoral, o plesbiscito aconteceu a 13 de maio de 1976, apresentando os seguintes resultados:

Concorda com a fusão dos município de Vitória e Vila Velha?
Vitória
Vila Velha
Toral Geral
SIM
25.904
20.090
45.994
NÃO
29.924
15.757
45.681
VOTOS EM BRANCO
3.985
2.554
6.539
VOTOS NULOS
1.969
604
2.573
VOLANTES
61.782
39.005
100.787

A fusão foi rejeitada em Vitória e aprovada pelos vilavelhenses, embora tenha havido um certo equilíbrio.

Essa foi a última ameaça à autonomia municipal de Vila Velha, que depois disso continuou em seu percurso como município autônomo que tinha o direito de gerenciar e resolver as demandas de seus moradores. Apesar da proximidade geográfica e da ligação econômica com Vitória, Vila Velha tem uma área extensa e uma grande população. Nesse sentido, suas lideranças políticas sempre entenderam a autonomia político-adminsitrativa como fundamental para a melhor administração do Município.


Fonte: História Política e Econômica de Vila Velha, 2010.
Autor: Antônio de Pádua Gurgel.

História do ES

Os meandros da prática política estadual

Os meandros da prática política estadual

Utilizamos, como suporte para desenvolver o assunto, dois dos principais jornais espírito-santenses editados à época. O primeiro se chamava Diário da Manhã. O segundo, se denomina A Gazeta

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
Finda o Governo do Primeiro Donatário - Por Mário Freire

Confiou o governo a Belchior de Azevedo, como Capitão, com os poderes e a jurisdição que o donatário exercera: firmou esse ato na "vila de N. S. da Vitória"

Ver Artigo