Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A fusão de Vitória e Vila Velha

Cinco pontes ligando Vila Velha à Vitória

Em 1976, iniciou-se uma articulação para fundir Vila Velha e Vitória num único município, a capital do Estado. Embora fossem usados vários argumentos técnicos, o real objetivo era impedir a realização de eleições para prefeito de Vila Velha, onde a Oposição tradicionalmente vencia os pleitos. Como desde 1966, os prefeitos das capitais eram indicados, prevaleceria essa regra também para a nova capital a ser formada.

Conforme decisão do Tribunal Regional Eleitoral, o plesbiscito aconteceu a 13 de maio de 1976, apresentando os seguintes resultados:

Concorda com a fusão dos município de Vitória e Vila Velha?
Vitória
Vila Velha
Toral Geral
SIM
25.904
20.090
45.994
NÃO
29.924
15.757
45.681
VOTOS EM BRANCO
3.985
2.554
6.539
VOTOS NULOS
1.969
604
2.573
VOLANTES
61.782
39.005
100.787

A fusão foi rejeitada em Vitória e aprovada pelos vilavelhenses, embora tenha havido um certo equilíbrio.

Essa foi a última ameaça à autonomia municipal de Vila Velha, que depois disso continuou em seu percurso como município autônomo que tinha o direito de gerenciar e resolver as demandas de seus moradores. Apesar da proximidade geográfica e da ligação econômica com Vitória, Vila Velha tem uma área extensa e uma grande população. Nesse sentido, suas lideranças políticas sempre entenderam a autonomia político-adminsitrativa como fundamental para a melhor administração do Município.


Fonte: História Política e Econômica de Vila Velha, 2010.
Autor: Antônio de Pádua Gurgel.

História do ES

O acordo definitivo do Contestado – Por Eurico Rezende

O acordo definitivo do Contestado – Por Eurico Rezende

Sugeri-lhe que entrasse em entendimento com o Governador de Minas Gerais, Dr. Magalhães Pinto, meu amigo e companheiro de partido (UDN)

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Viajantes Estrangeiros ao ES – Auguste François Biard

Na relação dos principais viajantes estrangeiros ilustres que estiveram em nosso país, no segundo meado do século dezenove, sem muito destaque, inclui-se o nome do pintor francês — Auguste François Biard

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – Jean-Jacques de Tschudi

"No dia seguinte, a comitiva regressou a Vitória, onde o presidente Sousa Carvalho já havia providenciado uma canoa grande e cinco remadores, escravos, para subirem o curso caudaloso do rio Santa Maria, até a colônia de Santa Leopoldina"...

Ver Artigo
Palácio das Águias

A Barra do Itapemirim, em Marataízes, é um antigo núcleo de povoação fundado no ano de 1771 pelos portugueses 

Ver Artigo
Festival de Verão de Guarapari Janeiro 1971

A ideia tinha partido de dois jornalistas, Antônio Alaerte e Rubens Gomes Filho

Ver Artigo
Mais nomes curiosos de ruas de Vitória

RUA DO FOGO ou CARAMURU - Foi conhecida por Ladeira do Quebra-Bunda, pois com leito em pedra, muito íngreme e sempre molhada por infiltrações, era bastante escorregadiça

Ver Artigo