Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Guarda Nacional do ES – 1856

Capa do Livro: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008

Não obstante repetidas recomendações do governo central para que fosse organizada a Guarda Nacional, até 1855 nada se conseguira.

Após a insurreição do Queimado, o presidente Siqueira manifestara esperanças de convencer os capixabas da “necessidade de se alistarem, armarem e terem alguns conhecimentos dos manejos militares”.(42)

Coube, porém, a Pereira de Barros concretizar a idéia; e o fez com tamanho entusiasmo que, a dois de dezembro de 1856 – aniversário natalício do imperador – Vitória viu desfilarem em parada quinhentas e duas praças daquela corporação.(43)

 

NOTAS

(42) - Ofício de vinte e quatro de março de 1849, ao ministro do Império (Pres ES, VII).

(43) - “Quando para aqui vim não tinha realidade esta parte da força pública. Existiam apenas alguns oficiais fardados e outros que figuraram nas propostas, mas que não tinham tirado suas patentes e muito menos se achavam fardados [...] que existem fardadas mais de oitocentas praças e no dia dois do corrente, aniversário natalício de S. M. o Imperador, apresentaram-se em parada quinhentas e duas praças” (Do ofício de Pereira de Barros ao ministro Couto Ferraz, datado de onze de dezembro de 1856 – Pres ES, IX).

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, novembro/2017

História do ES

Morrinho da Penha

Morrinho da Penha

O Morrinho é uma extensão baixa do morro do convento, ou seja, a parte que se estende paralela à Rua Luiza Grinalda fazendo divisa com os quintais das ruas Luiza Grinalda e parte da Rua Dom Jorge Menezes

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Fundação de Vitória

Aquela provisão lança por terra a tradição de que foi o triunfo alcançado pelos ilhéus a 08/09/1551 que deu nome a Vitória

Ver Artigo
Por que Morro do Moreno?

Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória

Ver Artigo
Jesuítas no Espírito Santo

Em 1549 partiram da Bahia – escalaram no porto da “povoação do Espírito Santo” Leonardo Nunes e Diogo Jácome

Ver Artigo
Origem do nome das cidades do ES

Muitas vezes, por um simples motivo, surge a origem do nome de uma cidade, como por exemplo, o hábito dos moradores de tomar um cafezinho que, de tão ralo, mais parecia água doce. Daí veio o nome da cidade de Água Doce. E o nome da cidade de Águia Branca, de onde surgiu essa idéia? 

Ver Artigo
Araribóia X Villegagnon

Araribóia, comandante de duzentos temiminós que o Espírito Santo mandou à luta contra os franceses de Villegagnon

Ver Artigo