Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

A Sala Centro de Artes da UFES - Por Gracinha Neves

Chegada do piano na sala centro de artes da UFES

A nossa relação com a UFES - Universidade Federal do Espírito Santo, foi essencialmente através de inúmeras participações em importantes eventos culturais. Em outubro de 1979, fui convidada para a inauguração da Sala Centro de Artes, e, dentre inúmeras autoridades, destacamos o Presidente da Funarte, Roberto Parreira e o Reitor da Universidade Romulo Augusto Penina, e, durante o evento, foi firmado o convênio da UFES com o "Centro Musical Villa Lobos", pois realizávamos, em Vitória, os Concertos da Rede Nacional da Música do INM-FUNARTE.

Alguns anos depois, em 1982, realizamos na Sala Centro de Artes o II Concurso Nacional Villa Lobos, numa decisão em tempo curto, pois o mesmo estava anteriormente programado a ser realizado no Teatro Carlos Gomes; quando, na ocasião, tomada de surpresa, li pelos jornais que o DEC- Departamento Estadual de Cultura, órgão que administrava o mesmo, determinou o seu fechamento para obras no palco, o único teatro do Estado, no mesmo período do Concurso. Ficamos em situação difícil, por estar o mesmo já divulgado em todo o Brasil de Norte ao Sul, as datas haviam sido confirmadas por meio de ofício.

Na época, havia a confirmação da presença da Sra Arminda Villa Lobos em Vitória para apoio ao Concurso, esposa de Villa Lobos; e a mudança de local de última hora poderia ser demonstrada como desorganização aos olhos de Mindinha, como era chamada por todos. O fato muito nos preocupou pois o nosso empenho, era valorizar e dar ao Concurso, o suporte necessário para a continuidade do mesmo. Felizmente, as portas da Sala Centro de Artes da  UFES, foram abertas, por interferência da responsável Sra. Lurdinha Raizer, que gentilmente cedeu as instalações para a realização do I Concurso Nacional Villa Lobos. O maior problema foi o piano, pois era imprescindível e, não havia nenhum na referida Sala. A direção do Concurso deu a volta por cima, com a ajuda do comandante do corpo de bombeiros do Estado, conseguiu o caminhão e quinze homens da entidade, viabilizando a chegada do piano de cauda da Escola Villa Lobos para a Sala Centro de Artes; assim se pôde manter as mesmas datas e realizar o II Concurso com total sucesso.

Foi realizado de 03 a 07 de novembro de 1982, o II Concurso Nacional Villa-Lobos, na SALA CENTRO DE ARTES, nas especialidades de canto, piano e violão, e teve o apoio do Museu Villa-Lobos, da FUNARTE, da UFES e de inúmeras empresas capixabas. O Concurso teve a participação de 70 candidatos do norte ao sul do país, e o Recital de abertura contou com a pianista Sonia Maria Strutt, que executou obras de Villa Lobos. Os acessos para todos os dias do Concurso foram abertos ao público, com uma plateia em potencial, estudantes e apreciadores da música clássica. O corpo de jurados foi formado por renomados professores vindos de vários Estados do Brasil, do mais alto nível artístico conhecidos nacionalmente e internacionalmente.

CORPO DE JURADOS: Presidente Lúcia Helena Pereira dos Santos (PE); Piano: Sonia Strutt (RJ); Canto: Gloria Queiroz (RJ); Violão: Maurício de Oliveira (ES); Crítico Musical: Luis Ellmerich (SP).Presidente de Honra: Arminda Villa Lobos (MINDINHA).

O Concurso teve sempre a sua reputação respeitada, por sua seriedade e pelos jurados competentes que julgaram com autoridade e soberania. Os membros da organização sempre dirigiram os Concursos, com dignidade sem nenhuma participação nas decisões do júri, quanto aos resultados finais. O Concurso tomou vulto e o terceiro também foi realizado na Sala Centro de Artes da UFES, tendo o Recital de abertura pelo Duo ASSAD, os irmãos Sergio e Odair, o mais célebre Duo de violões do Brasil conhecido internacionalmente. Somos conscientes do nosso papel de educadores e temos a certeza da importância dos Concursos Nacionais Villa-Lobos, fruto de muitas reflexões, e temos a agradecer à UFES-Universidade Federal do ES, que marcou presença apoiando um dos eventos mais expressivos do Estado.

 

Fonte: UFES: 65 anos – Escritos de Vitória, 33 – Secretaria de Cultura da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES), 2019
Conselho Editorial: Adilson Vilaça, Ester Abreu Vieira de Oliveira, Francisco Aurélio Ribeiro, Elizete Terezinha Caser Rocha, Getúlio Marcos Pereira Neves
Organização e Revisão: Francisco Aurélio Ribeiro
Capa e Editoração: Douglas Ramalho
Impressão: Gráfica e Editora Formar
Foto Capa: David Protti
Foto contracapa: Acervo UFES
Imagens: Arquivos pessoais
Autor: Gracinha Neves. Musicista e Poeta. Pertence à AFEL e à AEL.
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2020



GALERIA:

📷
📷


Personalidades Capixabas

Personalidade Capixaba - Antônio Pinto Rodrigues

Personalidade Capixaba - Antônio Pinto Rodrigues

Nasceu em 1903, em Vila Velha, Antônio Pinto Rodrigues, filho de Cleto Rodrigues e Henedina Pinto Rodrigues

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O Saldanha e o seu oceano - Peter Falcão

O Espírito Santo tinha times fantásticos de polo aquático no Saldanha, Álvares e Náutico Brasil, entre outros clubes

Ver Artigo
Centro de línguas para a comunidade - Por Jô Drumont

A experiência iniciou-se em 1993, com apenas 60 alunos. Quatro anos após, já contava com cerca de 7.500 inscritos

Ver Artigo
UFES 65 anos - reminiscências do curso de Direito - Por Getúlio Marcos Pereira Neves

Ao professor Antônio Benedito Amâncio Pereira devo o início da minha vida funcional

Ver Artigo
Doutor Lucilo, o Rei da Praia do Suá

Entre os anos cinqüenta e sessenta, duvido que existisse alguém em Vitória que vivesse a vida mais intensamente do que ele

Ver Artigo
Campus Alaor de Queiroz Araujo - Por Aldo José Barroca

Na década de 1930, estudantes capixabas já frequentavam cursos superiores em Vitória, até que, em 5 de maio de 1954, o governador Jones dos Santos Neves criou a Universidade do Espírito Santo, unindo os cursos dispersos

Ver Artigo