Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ainda Vasco Coutinho Filho

Guerreiro preparado para o combate

Descimento de índios – O que não cessava nunca era o descimento dos índios. Em 1573, Belchior de Azeredo fez uma excursão pelo interior levando a guerra às tribos inimigas. Em sua companhia, vieram para o litoral, voluntariamente, mais de duzentos.(35) De outra feita, em 1575 ou 1576, um padre da Companhia desceu mil índios do sertão.(36) Aqui, como alhures, eram aproveitados pelos jesuítas nos trabalhos das suas lavouras.

Nova arremetida dos franceses – Em 1581, quando três naus francesas investiram contra a capitania, foram os catecúmenos aldeados pelos inacianos que saíram a campo em defesa da terra, matando e ferindo a muitos dos assaltantes. “Os moradores, atemorizados, não acharam quem os defendesse senão quase só, diz Anchieta, os índios das aldeias jesuíticas”.(37)

Também os ingleses experimentam – Dois anos depois, coube aos ingleses pregar um susto a Vasco Coutinho (filho) e sua gente. Surgindo frente ao Espírito Santo, as três naus de que se compunha a expedição dispararam às doidas e fizeram-se de novo ao Oceano.(38)

Nesse mesmo milésimo de 1583 irrompe “grave discórdia entre o governador e o povo”. A intervenção conciliatória de Anchieta pôs fim ao conflito,(39) cujos motivos ficaram ignorados.

 

NOTAS

(35) - LEITE, HCJB, I, 232.

(36) - Brasiliae Historia 1549-1599, apud LEITE, HCJB, I, 232.

– O padre HÉLIO VIOTTI, narrando a vida de Diogo Fernandes, também jesuíta, informa que este “entrara sete ou oito vezes pelo sertão, entradas até de 180 léguas e das quais uma delas durou oito meses, descendo das montanhas dos atuais Estados de Minas e Goiás, para a orla marítima quantidade de mais de dez mil almas” (Anchieta, 215).

– Diogo Fernandes é o primeiro padre da Companhia de Jesus nascido no Brasil. Os assentamentos da Ordem davam-no natural de Porto Seguro. Posteriormente, porém, fixaram o Espírito Santo como sua terra natal. SERAFIM LEITE reuniu os dados essenciais de sua biografia no capítulo 5 (Primazias, das suas Novas Páginas de História do Brasil).

(37) - Apud LEITE, HCJB, I, 219.

(38) - LEITE, HCJB, I, 219.

(39) - LEITE, HCJB, I, 225. Embora se aceite, em princípio, a informação veiculada pelo padre Serafim Leite, de que a rusga entre Coutinho (filho) e seus jurisdicionados fora sanada por Anchieta, recorde-se que, naquele ano, isto é, em 1583, Anchieta devia estar no Rio de Janeiro, segundo a biografia da lavra de Simão de Vasconcelos. Entretanto, cumpre acentuar, ainda uma vez, que Serafim Leite é a maior autoridade contemporânea em assuntos ligados à história jesuítica no Brasil.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, junho/2017

Vasco Fernandes Coutinho

D. Jorge de Menezes à frente da capitania

D. Jorge de Menezes à frente da capitania

Rocha Pombo resumiu o homem nestas palavras: “Valente, é exato, mas cheio de paixões incompatíveis com a compostura de uma autoridade

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

No princípio – Por Mário Freire

A “Glória”, a caravela de Coutinho, permitiu-lhe trazer 60 companheiros. Entre esses, o fidalgo D. Jorge de Menezes e Simão de Castelo Branco

Ver Artigo
Os primeiros Jesuítas do ES - Por Mário Freire

A fundação dessa confraria ou irmandade justifica ser a Misericórdia do Espírito Santo, da qual Anchieta foi capelão, uma das mais antigas do Brasil

Ver Artigo
Ano de 1561 – Por Basílio Daemon

Falece em 1561 o donatário desta capitania, Vasco Fernandes Coutinho, não sabendo-se ao certo a data de seu passamento 

Ver Artigo
O Vasco do Espírito Santo - Por Francisco Aurélio Ribeiro

Portanto, Vasco Cominho chegou aqui, premeditadamente, no dia da festa de Pentecostes, para tomar posse sua capitania, a que nomeou do Espírito Santo

Ver Artigo
Ano de 1535 – Por Basílio Daemon

Chega a 23 de maio de 1535 à barra desta capital, tomando por ponto marítimo o pico do Mestre Álvaro, o donatário da capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho

Ver Artigo