Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1874 – Por Basílio Daemon

Igreja de Rio Novo do Sul, década de 1870 - Foto: Albert Richard Dietze

1874. Funda-se no dia 1º de janeiro deste ano uma sociedade humanitária sob o título de Associação Emancipadora Primeiro de Janeiro, com o fim de alforriar durante o ano, conforme o fundo existente em caixa, certo e determinado número de crianças cativas.(760) Esta sociedade prosperou nos primeiros anos, e não poucos infelizes auferiram os resultados de tão humanitária instituição, que afinal caiu, como caem no Brasil quase todas as ideias civilizadoras, que têm por cunho a iniciativa particular.

Idem. É inaugurada a 6 de janeiro deste ano a praça do Mercado desta capital, mandada construir de conformidade com a lei nº 16, de 30 de novembro de 1864, tendo princípio as obras sob a administração do presidente Francisco Ferreira Correia, para o que se contraiu um empréstimo, sendo as ditas obras concluídas por seus sucessores; foi colocada a primeira pedra fundamental a 25 de dezembro de 1872. O ato esteve solene tanto no assentamento da pedra, como na inauguração a que assistiu o presidente bacharel Luís Eugênio Horta Barbosa, assim como autoridades, funcionários públicos, militares e pessoas do povo.

Idem. São aprovados os estatutos da Associação Emancipadora Primeiro de Janeiro, a 7 do mesmo mês, a qual fora fundada por iniciativa toda particular de alguns irmãos da Irmandade de São Benedito do Convento de São Francisco. Esta sociedade alforriou durante a sua existência e no dia da festa daquele santo a crianças menores do sexo feminino, que hoje gozam de liberdade, sendo algumas bem-educadas.

Idem. Por decreto de 24 de janeiro deste ano é nomeado juiz de direito da comarca de Santa Cruz o bacharel Joaquim Manoel de Araújo, que prestou juramento a 13 de fevereiro deste ano e entrou em exercício a 15 do mesmo mês.(761)

Idem. Às 8 ½ horas da noite de 27 de janeiro deste ano, na rua Duque de Caxias, encontrando-se o abastado fazendeiro capitão João Martins de Azambuja Meireles e seu filho Justiniano Martins de Azambuja Meireles (hoje bacharel e juiz municipal do ter mo de Itapemirim), com o tenente Genésio Gonçalves Fraga, travaram entre si uma luta por questões particulares e de honra, de que resultou saírem feridos gravemente o capitão Meireles, o tenente Genésio e levemente o bacharel Justiniano Meireles, que veio a socorrer seu pai, pelo que responderam a processo e estiveram todos presos no Estado-maior da Companhia de Infantaria.(762)

Idem. No mês de janeiro deste ano é mandado pelo ministro da Agricultura, Comércio e Obras Públicas e deputado por esta província conselheiro José Fernandes da Costa Pereira, aperfeiçoar, prolongar e fazer mais uma parte da estrada que hoje comunica a vila de Guarapari com a ex-Colônia Santa Isabel, mandando abrir para esse fim o crédito de 18:000$[000]. Também celebrou o mesmo ministro o contrato com a Companhia Brasileira de Paquetes a Vapor para o fim de tocarem os paquetes da dita companhia no porto desta capital em uma viagem do sul e outra do norte, mensalmente.

Idem. É nomeado a 7 de fevereiro deste ano o capitão Pedro de Santana Lopes para diretor interino da Colônia de Santa Leopoldina,(763) visto o desarranjo em que se achava a repartição e negócios daquela colônia e os contínuos distúrbios que ali se davam. Com efeito, melhorou muito aquela colônia, cessaram as conflagrações, diminuíram as despesas, aumentando a lavoura e criando o novo núcleo de Timbuí. Tendo este funcionário servido o cargo de oficial das terras públicas e também de oficial arquivista nesta província, com prática longa de engenharia, seus serviços foram importantes e reconhecidos pelo governo geral e provincial. Nos arquivos daquelas repartições se acham trabalhos topográficos e plantas por ele levantadas, que têm servido para base de muitas obras da província.

Idem. Fina-se no dia 8 de fevereiro deste ano o tenente-coronel Manoel do Couto Teixeira, antigo e abastado negociante desta praça. Sendo um dos chefes do Partido Liberal na província, ocupara o finado os cargos de vereador, juiz de paz, eleitor, suplente de juiz municipal e deputado provincial, gozando de popularidade e conceito público.

Idem. Chega no mês de fevereiro deste ano a esta capital o brigue-barca Sophia,(764) trazendo a seu bordo 386 colonos tiroleses para a colônia particular Nova Trento, de propriedade do inteligente e ilustrado cidadão italiano Pietro Tabachi, fazendeiro no município da vila de Santa Cruz.

Idem. É inaugurada a 19 de fevereiro deste ano, às 11 horas do dia, a estação telegráfica desta capital para Itapemirim, Campos e Rio de Janeiro sob a direção do hábil e distinto engenheiro César de Rainville. Ao ato estiveram presentes o presidente da província bacharel Luís Eugênio Horta Barbosa, ajudante de ordens e numeroso concurso de pessoas gradas, tendo-se trocado diversos telegramas para Itapemirim, Campos e Corte, entre eles com S. M. o imperador, ministro da Agricultura, Dr. Capanema, e redações de jornais. Em seguida foi oferecido um copo d’água no Hotel da Europa, onde foram trocados diversos brindes.

Idem. A 12 de março deste ano é inaugurado o canal do Pinto, que da Colônia do Rio Novo vai ter à vila de Itapemirim.(765) Esta custosa e importante obra de há muito reclamada foi feita sob a direção do engenheiro diretor da dita colônia, Joaquim Adolfo Pinto Paca, e por seu ajudante, o engenheiro Coutinho. Este canal fora mandado fazer e construir pelo ex-ministro da Agricultura, Comércio e Obras Públicas, conselheiro José Fernandes da Costa Pereira, que muitos serviços tem prestado a esta província na construção de obras e estradas. Mais tarde, na embocadura deste canal, foi construído pelo mesmo engenheiro Pinto Paca uma comporta.

Idem. Neste ano, a 10 de abril, é renovado o contrato para a navegação do rio Itabapoana, de conformidade com a lei provincial que fez essa concessão e contrato de 18 de agosto de 1858. Foi assinada a mesma renovação do contrato pelo então presidente, o ilustrado bacharel Luís Eugênio Horta Barbosa, e pelos contratantes Carlos Pinto de Figueiredo, representado pelo negociante Manoel do Couto Teixeira.(766)

Idem. Por portaria de 18 de abril deste ano do então presidente bacharel Horta Barbosa, e de conformidade com o Art. 82 do regulamento aprovado pela lei nº 35, de 7 de dezembro deste ano, é recomendado que para a boa e ativa cobrança dos que devessem à Fazenda Provincial, e que por ignorância ou descuido não pagavam, fossem chamados por anúncios os contribuintes antes de fazer-se judicialmente a cobrança, meio este que julgamos o melhor, em todos os sentidos, a fim de serem cobradas as dívidas provinciais com aviso prévio, mas que hoje não se tem posto em execução, por desleixo e falta de cumprimento de deveres.

Idem. Por decreto de 25 de abril deste ano é removido o juiz municipal bacharel Misael Ferreira Pena da capital para igual cargo na vila de Itapemirim, e nomeado também por decreto de 25 de abril o bacharel Epifânio Werres Domingues da Silva para igual cargo nesta comarca, o qual prestou juramento e entrou em exercício a 5 de julho deste ano.(767)

Idem. Tendo o Ministério da Agricultura, Comércio e Obras Públicas mandado concluir a capela católica da Imperial Colônia do Rio Novo, sob as vistas e direção do engenheiro Joaquim Adolfo Pinto Paca, é a mesma benzida e posta à disposição dos fiéis no dia 26 de abril deste ano, assistindo ao ato diferentes pessoas das vilas de Benevente, Itapemirim e Cachoeiro,(768) seguindo-se ao mesmo tempo a inauguração da casa construída para escola dos meninos daquela mesma colônia.

Idem. Assume a administração da província no dia 29 de abril deste ano o 1º vice-presidente coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, por ter partido a tomar assento na Assembleia Geral o bacharel Luís Eugênio Horta Barbosa.

Idem. Em 8 de maio deste ano, ao amanhecer o dia, no lugar denominado Manteiga, do distrito da vila de Viana, são assassinados o capitão comandante da Companhia de Polícia José Ribeiro da Silva Laranja e o corneta Adeodato Francisco de Araújo por Felismino Gonçalves Coelho. Tendo o capitão Laranja seguido com algumas praças a fim de recrutar soldados para a Companhia de Polícia e para o exército, dirigiu-se a Viana, e naquela noite, tendo cercado a casa em que residia o dito Felismino, foram-lhe abertas as portas ao amanhecer o dia; empurrada pelo mesmo capitão uma de um quarto onde estava Felismino, este desfechou-lhe um tiro de espingarda e outro sobre o corneta Adeodato, e tão fatais foram que a morte seguiu-se à detonação. O pasmo no fato e a rapidez do atentado foram de tal natureza que podendo-se prender o criminoso, que estava com a arma descarregada e fugia à vista de todos por um morro, em lugar descoberto, não foi preso e até hoje vaga impune por aquelas paragens. A consternação por aquela morte foi geral, pois o capitão Laranja fora um dos bravos da campanha do Paraguai, onde por muitas vezes dera provas de valor pelo que era condecorado.(769) Animoso por demais e temerário, abusando e facilitando na ocasião, quando menos esperava perdeu a vida, deixando na consternação sua viúva e família.

Idem. Por decreto de 4 de junho deste ano é nomeado juiz de direito da comarca dos Reis Magos o bacharel Carlos José Pereira Bastos, que prestou juramento a 3 e assumiu o exercício a 6 de agosto do mesmo ano; serviu o cargo de chefe de Polícia interinamente algumas vezes e neste ano até o mês de dezembro, conservando-se ainda hoje no exercício de juiz de direito.

Idem. A 21 de junho deste ano falece na vila de Santa Cruz o súdito italiano Pietro Tabachi, já em idade de mais de cinquenta anos, tendo residido por muitos anos nesta província, para onde veio ainda muito moço.(770) Homem inteligente e ilustrado, tendo mesmo o curso de Medicina, que não concluiu em seu país por ter-se envolvido em uma revolução, para aqui viera e se estabelecera montando uma fazenda, mas sempre dedicado ao estudo. Um ano antes de sua morte sacrificara parte dos bens que possuía e partiu para a Europa, a fim de realizar a vinda de colonos tiroleses para montar um núcleo colonial, o que com muitos sacrifícios obteve, mas os colonos, apesar do muito que ele fizera, não conservaram-se satisfeitos, pois, aconselhados e induzidos por outrem, revoltaram-se causando isso grande desgosto a Tabachi, agravando a afecção de coração que sofria e arrastando-o à sepultura em poucos dias. Tabachi era homem muitíssimo instruído, de vistas largas e empreendedor, e julgamos imparcialmente que a província perdeu nele um homem de mérito real.

Idem. No dia 29 de junho, às 11 horas da manhã, é assentada, na sede da Colônia de Santa Leopoldina, a pedra fundamental da casa que hoje serve de quartel e cadeia naquela localidade, e pelo então diretor daquela colônia, capitão Pedro de Santana Lopes, sendo a mesma pedra benzida pelo cura José Maximiliano Frid e estando presentes ao ato todos os empregados da colônia e mais de duas mil pessoas.

Idem. Instala-se a 7 de julho deste ano a estação telegráfica da vila de Benevente, tendo-se trocado muitos telegramas congratulatórios para a Corte e cidade da Vitória, capital da província.

Idem. No dia 20 de agosto deste ano, pelas 10 horas da manhã, foram conduzidos pelo pessoal administrativo da Colônia do Rio Novo os ossos do finado major Caetano Dias da Silva, fundador daquela colônia e um dos homens de mais engenho, estudioso e empreendedor que temos conhecido. Havendo falecido na Corte no ano de 1868, foram por seu filho, o major Caetano Dias da Silva Júnior, trasladados seus ossos à Capela de Santo Antônio daquela antiga colônia, que fora para o major Caetano o seu sonho dourado. No ato de depositar-se seus restos naquela capela foram recitados diversos discursos análogos aos feitos e trabalhos daquele importante cidadão.

Idem. Instala-se neste ano, no dia 8 de setembro, a 1ª sessão da 20ª legislatura da Assembleia Legislativa Provincial, concernente aos anos de 1874 a 1875, sendo reconhecidos deputados: Joaquim Vicente Pereira, Dr. Heliodoro José da Silva, bacharel José Camilo Ferreira Rebelo, Dr. Raulino Francisco de Oliveira, coronel Dionísio Álvaro Resendo, engenheiro Joaquim Adolfo Pinto Paca, coronel Manoel Ferreira de Paiva, tenente Emílio da Silva Coutinho, tenente Manoel da Silva Simões, major Sebastião Fernandes de Oliveira, major Joaquim Pereira Franco Pissarra, capitão Pedro de Santana Lopes, bacharel Misael Ferreira Pena, capitão Basílio Carvalho Daemon, coronel Olindo Gomes dos Santos Paiva, major Joaquim José Gomes da Silva Neto, major Antônio Leitão da Silva, coronel João Nepomuceno Gomes Bittencourt, capitão Francisco Rodrigues de Barcelos Freire, engenheiro bacharel José Feliciano de Noronha Feital.(771) Foi composta a mesa no primeiro ano da legislatura: presidente bacharel José Camilo Ferreira Rebelo, 1º secretário coronel Manoel Ferreira de Paiva, 2º secretário tenente Emílio da Silva Coutinho. No segundo ano foi composta a mesa: presidente bacharel José Camilo Ferreira Rebelo, 1º secretário coronel Manoel Ferreira de Paiva, 2º secretário capitão Pedro de Santana Lopes.

Idem. Faleceu a 29 de setembro deste ano, em sua casa nesta capital, o coronel Gaspar Manoel de Figueiroa, com mais de oitenta anos de idade. Para aqui viera ainda moço e já com praça de alferes; ocupou diversos postos, serviu na guerra da Independência, e nesta capital fez quase todo o tirocínio militar até que se reformou, tendo presenciado os episódios mais singulares dados nesta capital em princípio deste século.

Idem. Tendo-se neste ano formado uma sociedade secreta na vila de Itapemirim, com sessões nos lugares conhecidos por Muqui e Piabanha, sendo esta filial daquela, partiu, pois, desta capital o chefe de Polícia bacharel Raimundo da Mota de Azevedo Correia, acompanhado de vinte praças de linha comandadas por um alferes; ali chegando procedeu de tal forma que pôde prender a maior parte dos associados, sendo uns ali processados e outros que, trazidos presos a esta capital, foram remetidos para o exército, acabando-se assim aquela associação especulativa, mas que já causava receios à população. Às ordens dadas com todo o segredo e perícia pelo então presidente da província coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, se deve o bom êxito desta diligência.

Idem. Neste ano é celebrado um contrato para a limpa e desobstrução dos rios Novo e Piúma e sua navegação, de conformidade com a lei provincial nº 24 de 26 de outubro de 1873, contrato que foi assinado pelo presidente bacharel Horta Barbosa e o empresário Tomás Dutton Júnior, em 20 de março deste mesmo ano.(772)

Idem. Dirige a Assembleia Provincial, a 9 de novembro deste ano, por intermédio da mesa, que era composta do bacharel José Camilo Ferreira Rebelo, como presidente, e o coronel Manoel Ferreira de Paiva e tenente Emílio da Silva Coutinho, como 1º e 2º secretários, ao então administrador da província, o 1º vice-presidente coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, uma felicitação pela atividade, zelo, prudência e acerto com que sabia haver-se na gerência dos públicos negócios, tendo com a maior economia amortizado parte da dívida ativa provincial, e assim feito com que caminhasse a província em progresso debaixo de sua refletida administração, ao que o mesmo coronel respondeu agradecendo.

Idem. Pela lei provincial nº 13 de 9 de novembro deste ano é concedido privilégio exclusivo por 15 anos a José Antônio Soares para estabelecer um curtume de sua invenção nos subúrbios desta capital.

Idem. É concedido pela lei provincial nº 16 de 14 de novembro deste ano a Manoel da Costa Madeira privilégio para montar uma fábrica especial de sistema moderno para o fabrico de azeite, sabão e velas de cera e sebo.

Idem. Falece a 27 de novembro deste ano na Corte, no importante Hospital de São Francisco da Penitência, de cuja ordem era irmão, e às dez e meia horas da manhã, o mais trabalhador e investigador filho desta província, o antigo advogado, inteligente e ilustrado autor major José Marcelino Pereira de Vasconcelos. Foi o finado um escritor fluente e fecundo, escavador das coisas pátrias, jornalista e membro correspondente de muitas sociedades científicas. Publicou sobre jurisprudência muitas obras, entre elas: Guia dos juízes municipais e de órfãos, Consultor jurídico, Manual dos tabeliães, Roteiro dos delegados e subdelegados, Manual dos juízes de paz, Livro dos jurados, Advogado comercial , Arte de requerer em juízo, Código criminal do Império do Brasil, Canhenho dos depositários públicos , Guia do povo no Foro Civil e Criminal , Livro das terras, Manual da Guarda Nacional, Manual dos promotores públicos. Sobre história e literatura publicou: Ensaio sobre a história e estatística da província do Espírito Santo, Seleta brasiliense, Catecismo histórico e político, Jardim poético e ainda em avulsos, muitos documentos e biografias. Como jornalista foi proprietário e redigiu, dentre outros jornais, O Semanário, O Tempo, O Espírito-Santense. Ocupou o finado muitos cargos públicos e de eleição popular, como fossem: professor público, oficial da Secretaria da Assembleia, inspetor do Tesouro, procurador fiscal, vereador, eleitor, deputado geral, deputado provincial e advogado de nomeada, sendo major da Guarda Nacional. Político ativo, embora algumas vezes se tivesse excedido em certos atos, gozava de popularidade em toda a província. Acérrimo membro e chefe proeminente do Partido Liberal, afastara-se finalmente dessa política por traição e ingratidão de seus correligionários, unindo-se ao Partido Conservador, a que veio a servir com toda a lealdade e por quem foi eleito deputado geral. O finado foi sócio do Instituto Histórico da Bahia, e de sociedades literárias, às quais prestou assinalados serviços. Como escritor sobre jurisprudência, ninguém mais do que ele até hoje publicou tantas obras sobre Direito, que foram sempre bem recebidas, e admirada por hábeis e ilustrados jurisconsultos a sua facúndia. E, força é confessar que, apesar do muito que fez, e o quanto honrou a província onde nasceu, nem um retrato, nem um busto, nem um mausoléu existe até hoje que lhe comemore a memória!...

Idem. Funda-se neste ano, nesta capital, uma sociedade com o título Clube Recreio Carnavalesco, com o fim de oferecer a seus sócios distrações, havendo para esse fim jogo de bilhar, xadrez, gamão e bagatela; gabinete de leitura, aula de música e partidas mensais de dança. Foi instalada no dia 19 de dezembro com um baile, tendo nesse dia tomado posse a primeira diretoria. A sociedade principiou a cumprir o seu programa, mas afinal os ambiciosos e desmanteladores acabaram por matá-la, havendo se retirado muitos sócios desgostosos, o que a fez baquear.

Idem. É criada neste ano a Caixa Econômica e Monte de Socorro, principiando suas operações no dia 1º de dezembro do ano seguinte, em que foi instalada.

Idem. Neste ano dá o provincial dos Franciscanos da Corte, frei João do Amor Divino Costa, princípio aos consertos e restauração do Convento da Penha, para o que trouxe da Corte o perito e hábil escultor José Fernandes Pereira, que durante quatro para cinco anos trabalhou nessas obras, que, conquanto não estejam concluídas, pela escultura do zimbório, retábulos, cornijas, capitéis e arcadas, se nota o primor e concepção artística. Acha-se hoje prontificado o assoalho de toda a igreja em estilo mosaico,(773) tendo a casa dos romeiros custado não poucos contos de réis, fazendo o dito provincial por acabar tão importantes obras, apesar das dificuldades de materiais, custo de mão-de-obra e outros embaraços com que tem lutado.

Idem. Faleceu no mês de dezembro deste ano, em sua fazenda da freguesia do Alegre, o abastado fazendeiro coronel Francisco Xavier Monteiro Nogueira da Gama, que da província de Minas Gerais, onde nascera, viera estabelecer-se nesta província. Havendo cursado preparatórios, não se descuidara durante a vida de em seu gabinete estudar e aprofundar as matérias científicas e foi assim que em Medicina e em Direito tinha vastos conhecimentos, possuindo dessas duas ciências uma boa livraria. Morreu septuagenário, mas sempre entregue ao estudo. Pertencia a uma das mais ilustres, antigas e respeitadas famílias do Brasil, a dos Nogueira da Gama, que muito o estimava. O coronel Xavier fora sempre um fervoroso sectário das ideias conservadoras, e chefe deste partido na localidade onde residia. Era condecorado e ocupara muitos cargos públicos, tanto em Minas Gerais como nesta província, obtidos ou por nomeação do governo ou por eleição popular.

NOTAS

(760) “Em janeiro de 1874 funda-se a Associação Emancipadora Primeiro de Janeiro. No mesmo mês a Irmandade de São Benedito se constitui também manumitente.” [Derenzi, Biografia, p. 131]

(761) Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo Exm. Sr. 1º vice-presidente coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, na 1ª sessão da 21ª legislatura. 1874, Quadro das Diversas Comarcas da Província, p. 5.

(762) “Às 8 horas da noite de 27 de janeiro do corrente ano, na rua Duque de Caxias, desta capital, o capitão João Martins de Azambuja Meireles e seu filho, o acadêmico Justiniano Martins de Azambuja Meireles, e o tenente honorário do exército, Genésio Gonçalves Fraga, agrediram-se, e feriram-se mutuamente: o delegado de Polícia da capital compareceu prontamente ao lugar do conflito, prendeu os delinquentes em flagrante, e cumpriu com os deveres, que a lei lhe impõe: os processos estão afetos ao poder judiciário.” [Relatório apresentado a S. Ex.ª o Sr. coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas pelo Exm.º Sr. Dr. Luís Eugênio Horta Barbosa por ocasião..., 1874, Segurança Individual e de Propriedade, p. 5]

(763) A data informada por Daemon não confere com o relatório: “Por portaria de 15 do mês de março último foi nomeado o capitão Pedro de Sant’Ana para servir o lugar de diretor interino na mesma colônia [Santa Leopoldina].” [Relatório apresentado a S. Ex. o Sr. Dr. Domingos Monteiro Peixoto pelo Exm. Sr. coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, por ocasião de passar a administração..., 4 de maio de 1875, Colonização, p. 12]

(764) (a) “A 19 de fevereiro do ano seguinte chegava ao porto de Vitória o brigue-barca Sofia, depois de 45 dias no oceano. Como o navio era muito comprido, acabou encalhado ao manobrar entre o monte Moreno e a ilha do Boi, e os passageiros tiveram de desembarcar do lado de Vila Velha, de onde foram transportados para a capital. Durante a travessia morreram duas crianças de 11 meses cada uma e chegaram 56 famílias perfazendo um total de 386 pessoas.” [Busatto, Imigração italiana, RIHGES, p. 12] (b) ”O trabalho de Pietro Tabachi, agenciando europeus, especialmente da região do Trento, interessados em trabalharem nas suas terras, no lugar Santa Cruz, que aqui chegaram em fevereiro de 1874, no navio Sofia, foi essencial para que o processo de desenvolvimento da região fosse deflagrado.” [Demoner, Imigrantes, p. 16-7]

(765) “Parte daqui o canal do Pinto, isto é, a ligação do Novo com o rio Pinto, que deságua no Itapemirim, entre a vila e a barra.” Rio Novo. [Nery, Lembranças, p. 124]

(766) “Conforme a autorização dada, acha-se prorrogado por mais 10 anos o contrato de navegação a vapor do rio Itabapoana celebrado com o cidadão Carlos Pinto de Figueiredo. O contrato está assinado pela firma comanditária de Souza Ferreira & Comp., cessionários dos primitivos empresários.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo Exm. Sr. 1º vice-presidente coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, na 1ª sessão da 21ª legislatura. 1874, Navegação, p. 17]

(767) Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo Exm. Sr. 1º vice-presidente coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, na 1ª Sessão da 21ª Legislatura. 1874, Quadro das Diversas Comarcas da Província, p. 5]

(768) “Acha-se inaugurada a Capela Católica, e exerce o cargo de capelão o padre Aniceto Martins.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo Exm. Sr. 1º vice-presidente coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, na 1ª sessão da 21ª legislatura. 1874, Colonização, p. 18]

(769) “Assassinato do capitão José Ribeiro da Silva Laranja e Adeodato Francisco dos Anjos, por Felismino Gonçalves Coelho, na madrugada de 7 de maio, no lugar denominado Manteiga, do município de Viana.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo Exm. Sr. 1º vice-presidente coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, na 1ª sessão da 21ª legislatura. 1874, Segurança Individual e de Propriedade, p. 3]

(770) “Pedro Tabachi morreu em 21 de junho de 1874.” [Busatto, Imigração Italiana, RIHGES, p. 14]

(771) Lista de deputados eleitos para a 20ª legislatura da Assembleia Legislativa Provincial. 8 de setembro de 1874. [Pena, História da província, p. 101]

(772) “Acha-se celebrado o contrato com Thomas Dutton Júnior para navegação a vapor nos rios Novo a Piúma, entre os portos de Itapemirim, Piúma, Benevente e Guarapari, na conformidade da lei provincial nº 24 de 16 de outubro do ano passado.” [Relatório apresentado à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo pelo Exm. Dr. 1º vice-presidente coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas na 1ª sessão da 21ª legislatura, 1874, Navegação, p. 17]

(773) Röwer, Convento, p. 30

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Foto: Fonte Facebook - Fotos antigas do Espírito Santo,José Luiz Pizzol
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2019

História do ES

Arquitetura Colonial do Século XVIII – Por Serafim Derenzi

Arquitetura Colonial do Século XVIII – Por Serafim Derenzi

É bastante considerar os poucos logradouros da cidade, que guardaram os eixos diretores daquela época: Rua Duque de Caxias, Maria Ortiz, Prof. Azambuja, José Marcelino...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1564 - Por Basílio Daemon

Ainda no ano de 1587 existia naquela aldeia de São Lourenço, em Niteroi, este célebre índio, já bastante velho

Ver Artigo
Ano de 1562 – Por Basílio Daemon

D. João Nery identifica essa capela como a de São Tiago, cuja fundação seria datada de 1562

Ver Artigo
Ilhas no mar, baía e nos rios - Por Basílio Daemon

Em 1879 Basílio Carvalho Daemon publicou o livro Província do Espírito Santo, sua descoberta, história cronológica, sinópse e estatisticas

Ver Artigo
Donatários da capitania do ES - Por Basílio Daemon

Donatários da capitania, capitães-mores, ditos regentes e outros governadores, governadores da capitania, membros do governo da junta provisória, membros do conselho do governo

Ver Artigo
Basílio Daemon - Biografia

Por seus filhos capitão Dr. Ticiano Corrégio Daemon e tenente Daemon

Ver Artigo