Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Ano de 1878 – Por Basílio Daemon

Jornal Sete de Setembro - Órgão do Atheneu Provincial, 1878

1878. É amortizada, no princípio deste ano, por ordem do então presidente da província, bacharel Afonso Peixoto de Abreu Lima, a dívida provincial na quantia de 17:245$383, sendo pagos a Francisco Pinto de Oliveira 12:045$383 e ao major José Furtado de Mendonça 5:200$000.

Idem. É inaugurado a 16 de janeiro deste ano o ramal e estação telegráfica da vila da Barra de São Mateus, trocando o Dr. César de Rainville, inspetor geral dos telégrafos da província, com a Exmª Presidência e estação central diversos telegramas que foram respondidos. 

Idem. Neste ano, a 24 de janeiro, aparece o primeiro número de um órgão democrático intitulado Gazeta da Vitória, sob a redação e propriedade do bacharel José Joaquim Peçanha Póvoa. Este periódico substituiu a Gazeta do Comércio, mudando de nome no nº 7 para o acima referido, por ter feito contrato com o governo para publicação dos atos oficiais. Mais tarde entrou também como proprietário e redator o tesoureiro da Alfândega Cleto Nunes Pereira.

Idem. Chegam a esta capital no vapor Isabella, a 26 de janeiro deste ano, procedente de Gênova, 802 imigrantes italianos para os núcleos coloniais da província, sendo comandante do dito vapor Giuseppe Villa.

Idem. A 27 de janeiro deste ano aparece nesta capital o primeiro número de um periódico político, literário e comercial, sob o título Atualidade,(829) [que] foi órgão do Partido Liberal da província, sendo seu editor Benedito Ferreira de Carvalho, seu redator o bacharel José Correia de Jesus e colaboradores diversos; este periódico desapareceu da cena política com o passamento de seu redator, tendo pouco mais de um ano de duração. Em seus últimos tempos tornou-se este periódico virulentíssimo, não parecendo serem seus escritores homens civilizados.

Idem. É oferecido pelos amigos do presidente da província, bacharel Afonso Peixoto de Abreu Lima, um lauto jantar no dia 31 de janeiro deste ano, ao qual estiveram presentes muitíssimas pessoas de todas as classes sociais, entre elas de credos políticos diversos.

Idem. Por decreto de 16 de fevereiro deste ano é nomeado presidente desta província o ilustrado jurisconsulto e juiz de direito bacharel Manoel da Silva Mafra, o qual prestou juramento perante a Câmara Municipal e entrou em exercício do dito cargo a 4 de abril,(830) obtendo ser exonerado a 14 de dezembro deste mesmo ano. Este presidente, a não ser o ato vergonhoso da Assembleia Provincial e outros de eleições, seria considerado um bom administrador, mas a política nodoou um homem de mérito real.

Idem. Por decreto datado de 23 de fevereiro deste ano é nomeado chefe de Polícia desta província o bacharel Antônio Columbano Seráfico de Assis Carvalho, o qual prestou juramento e entrou em exercício do dito cargo a 3 de abril do mesmo ano, obtendo exoneração a 8 de março de 1879.

Idem. Neste ano, a 26 de fevereiro, dá-se nesta capital, com pasmo de todo o país, um fato virgem nos anais do mundo civilizado, e foi que, reunindo-se em sessão preparatória neste dia os deputados provinciais legalmente eleitos e aprovados pela Câmara Municipal para o biênio de 1878 a 1879, coronel Manoel Ribeiro Coutinho Mascarenhas, Augusto Rafael de Carvalho, capitão João Antônio Pessoa Júnior, capitão Pedro de Santana Lopes, alferes Luís José Furtado de Mendonça, João Correia Pimentel dos Reis, tenente Emílio da Silva Coutinho, Joaquim Vicente Pereira, bacharel Gabriel Emílio da Costa, Antero da Silva Coutinho, Gaudino Faria da Mota, bacharel José Cesário de Miranda Monteiro de Barros, capitão Joaquim Francisco Pereira Ramos, capitão Henrique Gonçalves Laranja, tenente Manoel Augusto da Silveira, faltando alguns outros, entra e invade repentinamente a sala das sessões da Assembleia Provincial um grupo de cidadãos composto do engenheiro Leopoldo Augusto Deocleciano de Melo e Cunha, bacharel João Francisco Poggi de Figueiredo, Salvador José Maciel, bacharel José Feliciano Horta de Araújo, major Joaquim Gomes Pinheiro da Silva, Dr. Francisco Gomes de Azambuja Meireles, alferes Virgílio Francisco da Silva, por parte da facção liberal, e com admiração geral, apossa-se o engenheiro Leopoldo Cunha da cadeira da Presidência e os cidadãos bacharel Poggi de Figueiredo e Salvador Maciel das cadeiras de secretários, declarando o intruso presidente da falsa Assembleia estar constituída a mesa interina da mesma Assembleia Provincial; enquanto que as galerias se enchiam de facciosos peitados talvez para esse fim, dando vivas e insultando os legítimos representantes da província, que à reclamação que faziam eram interrompidos por vozerias não só por parte dos intrusos como das galerias, viram-se obrigados a aí proceder na forma do regimento e estilo parlamentar à aclamação do presidente e secretários, que tinham de constituir a mesa provisória, procedendo em tudo o mais conforme o estatuído em lei; então os arbitrários e intrusos mesários da indébita mesa de cidadãos não eleitos, alguns com um a três votos para deputados, continuaram a estar colocados na mesa da Assembleia sem ligarem a mínima importância às reclamações que faziam contra tal arbítrio o coronel Mascarenhas, capitão Pessoa Júnior, bacharel José Cesário e outros. Procedendo os deputados legítimos à nomeação dos membros da Comissão de Poderes, e sendo esta eleita, o engenheiro Leopoldo, pseudo-presidente, tira debaixo da mesa o chapéu de copa alta e, fazendo dele urna, procedeu também à eleição de uma fictícia e irrisória Comissão de Poderes; à vista disto, o deputado bacharel José Cesário, depois de haver orado debaixo do insulto atirado das galerias, requer que se levasse o ocorrido à ciência do governo provincial, o que foi aprovado, comunicando-se o fato ao então administrador da província, 1º vice-presidente tenente-coronel Alfeu Adelfo Monjardim de Andrade e Almeida; neste ínterim aparece o porteiro da Assembleia e apresenta um ofício deste administrador no qual ofício declarava adiada a sessão da Assembleia para o dia 28 de abril, não dando as causas exigidas pela Constituição para um tal ato.

Idem. Chegam neste ano, no dia 6 de março, os primeiros emigrantes vindos do Ceará para esta província no paquete Espírito Santo, em número de cento e tantos, sendo acomodados no Convento de São Francisco, e daí depois de lhes serem distribuídas roupas e tratados, seguiram para diversos lugares, para a companhia de lavradores que os contrataram. Após estes ainda chegaram muitos outros em número de mais de dois mil, que tiveram igual destino, para as vilas e freguesias de toda a província. O Sr. capitão Antônio Carlos da Silva Piragibe foi aquele que trouxe do Ceará os primeiros.(831) Abriu-se na capital para esse fim uma subscrição que logo foi coberta por inúmeras assinaturas, tendo a loja União e Progresso concorrido para esse fim com 1:000$[000], a comarca de São Mateus produzido uma subscrição ali aberta em boa soma, como também agenciado o padre evangélico João Schaefer, na Colônia de Santa Isabel, a soma de 112$000, o padre evangélico da Colônia de Santa Leopoldina, Ernesto Nadernöff, entregue a quantia de 115$000 agenciada entre os colonos, e o padre católico dali a de 200$000.

Idem. No dia 24 de março, que foi domingo, indo o tenente Manoel Antônio Vilas-Boas com mais dois amigos divertirem-se em uma pescaria fora da barra, estando em umas pedras a pescar, uma vaga arrebatou-o ou algum ataque apoplético o fez cair no mar, morrendo afogado, o que causou consternação geral por ser o finado um homem pacífico, sobrecarregado de família, e antigo oficial-maior da Secretaria do Governo aposentado. Trazido seu corpo para esta capital, foi inumado no dia 25, acompanhando o seu féretro inúmeros amigos, a Ordem Terceira da Penitência e Irmandade de São Benedito do Rosário, sendo feitas as honras militares devidas.

Idem. Falece neste ano, às 11 horas da manhã, no dia 6 de abril, o padre-mestre João Luís da Fraga Loureiro na idade de 73 anos e já cego inteiramente por uma amaurose de que no fim da vida fora atacado. Talento másculo, escritor fluente, poeta repentista e epigramático, era considerado uma das mais belas inteligências da província, tendo vastos conhecimentos. Seus sermões, suas poesias, seus escritos dispersos aí estão para atestar seu saber. Ocupara o finado os cargos de vigário de Santa Cruz, Carapina e Vila Velha, fora vigário da vara, lente de Latim, deputado provincial, e outros de nomeação pública e eleição popular, tendo tido na província bastante popularidade.

Idem. No dia 24 de abril deste ano são arrombadas as portas da Assembleia Provincial a mandado do engenheiro Leopoldo Augusto Deocleciano de Melo e Cunha, pseudo-presidente da ilegal Assembleia Provincial e dos dois outros também ilegais secretários, bacharel Poggi de Figueiredo e Salvador Maciel, para o que foi requisitada força ao presidente da província, que a concedeu, colocando-se nas duas portas de entrada sentinelas por três dias e noites e também soldados rondando, a fim de não deixarem entrar os legítimos deputados provinciais; foi feito o arrombamento na presença do delegado de Polícia e com anuência em tudo do então presidente da província bacharel Manoel da Silva Mafra. Instalaram-se, pois, em sessão preparatória os intrusos deputados, sem maioria de votação, e sim com diminuto número de votos. A mesa legal dos deputados legítimos comunicou mais este arbítrio ao presidente da província, que nenhuma providência tomou, deixando correr tudo à revelia até o dia 28 deste mesmo mês, em que, para vergonha da província e do país, foi instalada uma ilegal Assembleia composta de cidadãos que não eram deputados, manchando assim o presidente da província, bacharel Manoel da Silva Mafra, não só seu caráter de homem político, como a toga de juiz e a farda de administrador circunspecto. Teve, no entanto, este presidente, logo após, e dos seus próprios correligionários, a recompensa daquela nunca vista prepotência, que sacrificou seu passado até então ilibado, sendo guerreado aqui e acusado no parlamento por aqueles mesmos que talvez o arrastassem a esse atroz e inaudito arbítrio, reduzido a ver-se processar e a ser pronunciado por crime de responsabilidade. Os legítimos deputados provinciais levaram todo o ocorrido à presença do governo geral, e sujeito o fato ao Conselho de Estado, foi opinado que era arbitrário e ilegal um tal ato; mas o governo de 5 de janeiro nenhuma providência deu contra tão írrito e descomunal atentado!

Idem. É nomeado neste ano, para o cargo de capitão do Porto desta província o capitão-tenente José Antônio de Alvarim Costa, que entrou em exercício a 6 de maio deste mesmo ano.(832)

Idem. Fina-se nesta capital, no dia 17 de maio, o ex-tenente do exército Delecarliense Drumond de Alencar Araripe, inspetor da linha telegráfica da capital para o norte da província, antigo proprietário e editor do Jornal da Vitória, homem de instrução e empreendedor, mas sempre infeliz em sua vida.

Idem. Falece nesta capital, no dia 13 de agosto, depois de longos sofrimentos, o major Áureo Trifino Monjardim de Andrade e Almeida, que ocupara diversos cargos de nomeação pública e de eleição popular, sendo um dos chefes do Partido Liberal e a que muito obedeciam seus correligionários.

Idem. Falece no Rio de Janeiro, no mês de agosto, o senador por esta província José Martins da Cruz Jobim,(833) que fora diretor da Academia de Medicina da Corte, não tendo prestado à província do Espírito Santo serviço algum a bem do seu desenvolvimento, apesar de ser por ela senador por espaço de vinte e oito anos, como se vê dos próprios anais do Senado.

Idem. Neste ano, no dia 1º de setembro, sai à luz da publicidade nesta capital um periódico literário sob o título A Ideia,(834) de propriedade e redação dos tipógrafos da tipografia do Espírito-Santense. Este periódico durou quase dois anos.

Idem. Havendo desta capital partido no dia 1º de setembro deste ano uma canoa para a pesca, tripulada por seis pessoas, entre elas pais de família, e tendo-se a mesma virado em alto-mar, não pôde ser socorrida por não ter sido avistada; apesar dos náufragos haverem nadado e podido virar a canoa, sem remos andaram à mercê das vagas por espaço de três dias, indo finando-se de um a um estes pobres infelizes, não submergindo-se, mas pela fome, sede e resfriamento, só tendo escapado um de nome José Pinto Ribeiro, que fora salvo por pescadores de Guarapari, e que aqui chegou no dia 5 à noite, exausto de forças.

Idem. Neste ano, a 7 de setembro, é publicado o primeiro número de um pequeno periódico sob o título Sete de Setembro,(835) sendo noticioso e literário e debaixo da redação de três estudantes do Ateneu Provincial: Lídio Mululo, Pedro Lírio e Amâncio Pereira. Pouca duração teve.

Idem. Tendo sido removido do cargo de chefe de Polícia da província do Piauí por decreto de 12 de setembro de 1877, o bacharel Vicente Cândido Ferreira Tourinho para igual cargo nesta província, chega a esta capital no dia 4 de janeiro e presta juramento no dia 5 do mesmo mês, sendo exonerado por decreto de 23 de fevereiro deste mesmo ano por haver mudado a política.

Idem. Falece nesta capital, no dia 26 de setembro deste ano, o antigo vigário da vila de Nova Almeida, padre Demétrio João Vieira Falcão, na idade de oitenta anos.

Idem. No dia 1º de outubro deste ano entrega a alma ao Criador, na sua fazenda em Itapoca e na idade de setenta anos, o alferes reformado do exército Manoel Serafim Ferreira Rangel, que gozava de popularidade não comum por seu caráter independente. Homem enérgico, em sua mocidade envolvera-se em uma revolta contra o governo provisório, tendo depois respondido a Conselho de Guerra em que fora condenado à morte, sendo essa sentença depois reformada e absolvido afinal. Entusiasta, saudara com fervor a Independência do Brasil. Cidadão prestante, serviu sempre com denodo em diligências que como militar teve de fazer. Ocupou muitos cargos públicos e de eleição popular, sendo por diversas vezes deputado provincial; deixou pequena fortuna, quando a podia deixar avultada se não fosse o seu bom coração. Acérrimo monarquista e conservador de crenças puras, dizia antes de morrer aos amigos que o rodeavam e a seus filhos estas memoráveis palavras: Sei que morro, não me importa o morrer; mas sinto não existir na ocasião em que se der a ascensão do Partido Conservador; sede firmes, meus amigos, como eu o tenho sido, e não deixeis que a anarquia se assenhoreie de tudo.

Idem. Falece neste ano, no dia 4 de outubro, o capitão José Pinto Coutinho, fazendeiro do distrito de Camboapina. O finado era um dos chefes do Partido Conservador da vila do Espírito Santo, e ocupara cargos públicos e de eleição popular, gozando de estima pública.

Idem. É inaugurada neste ano, no dia 16 de novembro, o gasômetro desta capital e estabelecida a iluminação particular, a gás, da cidade da Vitória. Aquele estabelecimento gasométrico do empresário e proprietário Manoel da Costa Madeira achava-se todo ornamentado com singeleza, e levantado um pavilhão que estava também com gosto mobiliado e decorado. Tendo às 7 horas da noite chegado o presidente da província, bacharel Manoel da Silva Mafra, foi recebido pelo empresário e conduzido ao dito pavilhão, dando princípio o vigário da freguesia, padre Mieceslau Ferreira Lopes Wanzeller, e outros sacerdotes, ao ato do benzimento, findo o qual foi repentinamente iluminado a gás todo o estabelecimento, recitando o padre Francisco Antunes de Siqueira um discurso análogo, tocando uma banda de música, elevando-se vivas a esse melhoramento da capital, e aberto o estabelecimento à concorrência pública.

Idem. No dia 9 de dezembro deste ano dá-se na cidade da Serra um grave conflito entre o delegado de Polícia daquela cidade e o estacionário da linha telegráfica, de que iam resultando sérias consequências a não ser a interferência de algumas pessoas. A questão versou sobre uma mascarada que ali costuma a fazer-se na festividade de Santo André, e por não quererem alguns que se mascarassem homens de cor.

Idem. É inaugurada neste ano, na Colônia do Rio Novo, a comporta assentada no canal do Pinto da vila de Itapemirim, tendo lugar esse ato no dia 22 de dezembro deste ano(836) na presença de inumerável concurso de pessoas da dita colônia, vilas de Guarapari, Itapemirim e Benevente, vindo do Itapemirim dois vapores da empresa de navegação a trazer passageiros, sendo pelo diretor da colônia, o engenheiro Joaquim Adolfo Pinto Paca, oferecido um copo d’água.

Idem. Tendo sido dissolvida a Câmara dos Deputados, com a subida ao poder do Partido Liberal, são eleitos deputados por esta província, à 17ª legislatura e tomam assento na Câmara dos Deputados em dezembro deste mesmo ano o Dr. Francisco Gomes de Azambuja Meireles e bacharel José Feliciano Horta de Araújo.

Idem. Neste ano é novamente feito o recenseamento das colônias: a de Santa Leopoldina achou-se contendo 11.366 indivíduos divididos por três núcleos, o do Porto do Cachoeiro com 7.000, o do Timbuí com 3.182 e o de Santa Cruz com 1.184. A do Rio Novo achou-se contendo 3.954 indivíduos divididos pelos cinco territórios pertencentes à mesma colônia.

 

NOTAS

(829) Atualidade. Vitória, 1878.

(830) “Honrado com a nomeação de presidente de tão esperançosa província por carta imperial de 16 de fevereiro do corrente ano, e tendo assumido a sua administração no dia 4 de abril...” [Relatório apresentado pelo Exm. Sr. Dr. Manoel da Silva Mafra à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo no dia 22 de outubro de 1878, p. 1]

(831) “...entraram na província desde 6 de março, 4.837 retirantes...” [Idem, Emigrantes das Províncias do Norte, p. 35]

(832) “Dirige esta repartição o inteligente e zeloso capitão-tenente José Antônio de Alvarim Costa, nomeado por decreto de 16 de abril do corrente ano, e em exercício desde 6 de maio.” [Idem, Capitania do Porto, p. 10]

(833) “Tendo-me sido comunicado pelo Exm. Sr. conselheiro presidente do Senado, em data de 24 de agosto último, e pelo Exm. Sr. ministro do Império em data de 31 do dito mês o falecimento do conselheiro José Martins da Cruz Jobim, senador por esta província...” [Relatório apresentado pelo Exm. Sr. Dr. Manoel da Silva Mafra à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo..., 29 de outubro de 1878, Eleições, p. 9]

(834) A Ideia. Vitória, Tipografia do Espírito-Santense, 1878.

(835) Sete de Setembro. Vitória, 1878.

(836) “Tendo-se procedido à inauguração deste canal, entre o Rio Novo e o do Pinto, no dia 22 de dezembro do ano próximo passado, segundo participou a Câmara Municipal de Itapemirim em ofício de 23 do mesmo mês, no qual solicita medidas para conservação do mesmo canal e respectiva comporta...” [Relatório apresentado pelo Exm. Sr. tenente-coronel Alfeu Adelfo Monjardim d’Andrade e Almeida, 1º vice-presidente da província, à Assembleia Legislativa Provincial do Espírito Santo..., 6 de março de 1879, Canal do Pinto, p. 16]

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, janeiro/2019

História do ES

Garoto, um pouco de história

Garoto, um pouco de história

Nem sempre foi doce o sonho do Sr. Henrique Meyerfreund, fundador da Garoto. Para conhecer melhor a história da empresa, acompanhe a cronologia

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Cidade dormitório

Aos jovens que completavam o curso primário e aspiravam o primeiro emprego só restava procurá-lo em Vitória

Ver Artigo
A Mata Virgem – Por Auguste François Biard (Parte IV)

Tinham me falado, várias vezes, desde que chegara ao Brasil, de uma terrível cobra, a maior das trigonocéfalas, conhecida pelo nome de surucucu

Ver Artigo
Por que Morro do Moreno?

Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória

Ver Artigo
A Ilha de Vitória – Por Serafim Derenzi

É uma posição privilegiada para superintender, como capital e porto, os destinos políticos e econômicos do Estado de que é capital

Ver Artigo
A história do Jornal A TRIBUNA

Conheça a história do jornal A TRIBUNA, publicada na resvista da Associação Espírito-Santense de Imprensa (AEI) em 12/2008

Ver Artigo