Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Apicum do Poço - Edward Athayde D’Alcântara

Sítio Apicum do Poço, ao fundo o Morro do Convento da Penha

De lagoa em lagoa a água foi se juntando até chegar a lagoa maior conhecida como Apicum do Poço, e principal braço (braço sul) do Rio da Costa.

Segundo relatórios de presidentes da Província, dali em diante os jesuítas abriram uma vala dando escoamento a essas águas que eram causadoras de febres palustres; lembro no terreno do Astrogildo o córrego tinha forma de uma vala aberta pelo homem.

Desde 1736 já se falava a respeito de uma vala iniciada pelos antigos para trazer água do Rio Jucu e abastecer a Vila do Espírito Santo. Em carta enviada ao rei D. João V, o capitão-mor da Capitania do Espírito Santo, Silvestre Cirne da Veiga, opinava que o terreno da vila tinha condições de suportar uma grande povoação e seria “muito melhor acabando-se de abrir a vala que principiaram os antigos moradores para trazerem uma levada de água do rio Jucu que com facilidade se pode fazer”. (APE-AHU)

“Em outro tempo projetou-se e realizou-se até certo ponto a abertura de um canal partindo do Rio Jucu até a Vila. Essa obra seria de importância, mas demanda despesas que não compensarão as vantagens que d’ela se devem esperar, atendendo-se a pequena população, e ao estado de decadência a que muitos anos está esta vila reduzida, sem esperanças de que se possa levantar, por lhe faltarem os necessários elementos” (23/05/847). (Relatório apresentado pelo presidente da Província, Dr. Luiz Couto Ferraz).

“Há igualmente uma obra que urge começar, é a abertura da vala do campo de Vila Velha, principalmente no tempo dos jesuítas, foi depois abandonada; mas os danos, que causam as águas, que nesses compôs estagnam obstruindo o trânsito é incalculável” (30/11/1848). (Relatório que o Exmo Dr. Antônio Pereira Pinto entregou ao Comendador José Francisco de Andrade e Almeida Monjardim, segundo Vice-Presidente da Província. – página 36.

 

Fonte: Memória do Menino...e de sua Velha Vila, 2014
Autor: Edward Athayde D’Alcântara
Produção: Casa da Memória de Vila Velha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, março/2020

Vila Velha

História do Exército em Vila Velha

História do Exército em Vila Velha

Alguns historiados por falta de fontes históricas, muitas vezes repetiam que a origem do 38º BI tinha sido da transferência de um meio Batalhão da Bahia, sem maiores detalhes. Então essa questão do meio batalhão tem que ser melhor elucidada.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Antônio Francisco Athayde – Por Seu Dedê

Doutor Antônio Francisco de Athayde foi prefeito de Vila Velha no período de 1918 a 1921

Ver Artigo
Vila Velha, a Cidade, sua História – Por Seu Dedê

O geólogo canadense Charles Frederick Hart, visitou Vila Velha no ano de 1865

Ver Artigo
A enchente de 1960 em Vila Velha – Por Edward Athayde D’Alcântara

Ponte da Barra do Jucu – Na foto o momento que antecedeu a sua destruição quando a ponte foi levada pelas águas da enchente de 1960

Ver Artigo
Praia da Costa – Por Seu Dedê

Na primeira curva da Praia, após a rebentação, havia a casa do doutor Dório Silva conhecida de todos como a Casa Branca

Ver Artigo
Curiosidades de Vila Velha

Na pesca com a maré cheia, os peixes principais eram as tainhas e os robalos. Além disso, nas marés baixas, o rio era rico em caranguejos, guaiamuns, aratus, canivetes, siriobas, rerietês, berbigão e siris

Ver Artigo