Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Apreciação do livro de Dna Glorinha - Por Eurípides Queiroz do Valle

Eurípides Queiroz do Valle, foto do acervo do IHGES, modificada

"A Professora Maria da Glória de Freitas Duarte teve a delicadeza de confiar-me, ainda no original dactilografado, o estudo que empreendeu sobre o “Folc.-lore de Vila Velha”, premiado no concurso “Jayme Duarte Nascimento – 1970”, instituído pela Academia Humberto de Campos daquela antiga Vila, hoje oficialmente cidade do Espírito Santo.

Abriu o seu trabalho com o capítulo que intitulou “Um pouco da história de Vila Velha”. Seguiram-se a este os referentes à “Vila Velha, suas tradições e sua fé”, as Festas Tradicionais no qual inclue a Festa da Penha, e de São Benedito e a do Divino Espírito Santo; ao Natal e seus festejos; Contra-danças; Brinquedo de Boi; Reisado; Marujada; Reis; o Teatro em Vila Velha; Festas Juninas; Carnaval; Canções; Contos e estórias; Mitos e lendas; Enigmas e advinhas; Anedotas bentinhos; Trava-linguas e provérbios; Expressões e inscrições; Costumes de nossa gente; Serenatas; Folguedos infantis e Mnemonicas.

Todos esses capítulos estão ilustrados com farta messe de exemplos curiosos e transcrições interessantes que revelam a riqueza dessa “ciência do povo” naquela velha e quatricentenária cidade-mater espírito-santense. A ilustre Professora Maria da Glória revelou, com este seu paciente trabalho, o grande conhecimento que possue da história de sua terra e, de envolta com esse conhecimento, o grande amor e estima que dedica as suas tradições mais caras, mais expressivas e queridas.

O seu livro cheio de curiosidade e de interesse para os espirito-santenses em geral e, em particular, para o estudioso do nosso passado histórico, vai representar, sem dúvida, valiosa contribuição para um melhor conhecimento do Espírito Santo e maior divulgação de suas riquezas e seus valores culturais.

O estudioso do Folc-lore brasileiro vai encontrar nele fonte preciosa de conhecimentos, dada a riqueza de informes e dados que conseguiu reunir e coordenar. Bem compreendeu a sua ilustre autora o que representa para o futuro de nossa terra a divulgação de seus costumes, seus hábitos, seus usos e tradições para um juízo perfeito do papel que representará na comunidade brasileira.

Só os que já se dedicaram a estudos e pesquisas dessa natureza podem bem avaliar o que eles representam de trabalho, de paciência e de dedicação. Nem sempre o material necessário é encontrado à flor da terra. Não raro terá o pesquisador de descer ao sub-solo de velhos arquivos, velhos jornais, velhos livros, velhas coleções e também a palavra de velhos conhecidos e amigos para colher neles e deles a pepita de ouro preciosa e desejada.

D. Maria da Glória de Freitas Duarte realizou todo esse trabalho com rara dedicação e um grande carinho por sua terra, dedicação e carinho que seriam impossível ocultar ou esconder pois que eles aparecem aqui numa frase delicada, se revelam ali num conceito amistoso e se expressam acolá em palavras de justificado orgulho e compreensiva ufania pela terra em que nasceu e pelos homens do passado, seus conterrâneos, que souberam engrandecê-la e dignificá-la.

Há nesse livro uma nota de tocante amor filial. É quando a autora, na dedicatória inicial, se refere, carinhosamente, a um sábio conselho de sua veneranda e saudosa mãe, ao lhe dizer:- “Escrevam todas as cousas bonitas de Vila Velha antiga, porque, quando eu e os outros velhos desaparecermos, todas essas belezas desaparecerão conosco”.

E ela escreveu. E fê-lo neste belo livro.

Vitória do Espírito Santo, em 05 de agosto de 1973".

 

Apreciação Inicial ao livro: Eurípides Queiroz do Valle 
Livro: VilaVelha de Outrora, 1990
Autora: Maria da Glória de Freitas Duarte
Compilação: Walter de Aguiar Filho, julho/2012

 

 

>> Costumes da nossa gente
>> O teatro em Vila Velha
>> O Natal e seus festejos
>> Mitos e lendas 
>> Festejos de Natal: Reis
>> Namorados de Vila Velha
>> Antigos festejos de Vila Velha
>> Primeiros Carnavais de Vila Velha
>> Inscrições
>> Pregões em Vila Velha
>> Carnaval antigo de Vila Velha

Folclore e Lendas Capixabas

Identidade Capixaba – Por Carlos Augusto Salles

Identidade Capixaba – Por Carlos Augusto Salles

Concordo com a afirmação de que nenhum depoimento, até hoje, foi capaz de explicar o "capixaba"

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Pedra da Ema – Por Adelpho Monjardim

Em Burarama, Município de Cachoeiro de Itapemirim, situa-se a Pedra da Ema, notável pelo fenômeno que ali se processa

Ver Artigo
As minas do Castelo- Por Adelpho Monjardim

Atribui-se aos jesuítas, ainda no Século XVII, o desbravamento do território do Município de Castelo

Ver Artigo
Chico DAnta, o Violeiro Escravo de São Benedito

O professor Elias perguntou de que família era ele. Chico respondeu: A prugunta num tá certa não. Voscimicê quer sabe de que família nóis era escravo, né?

Ver Artigo
Lendas, folclore, crendices de tropeiros – Por Ormando Moraes

Os tropeiros divulgavam também o caso da figueira mal assombrada da Fazenda do Bandeira, perto de Calçado, onde se ouviam gemidos e gargalhadas à noite

Ver Artigo
Carnaval em Muqui

Veja como participar do carnaval folclórico de Muqui!

Ver Artigo