Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Aprenda a escolher um bom peixe

Peixe Pargo

Peixe é um ótimo alimento, mas cuidado quando for comprar: você precisa estar certo de que está fresco. Cheire o peixe na altura das guelras. Se sentir cheiro forte, não compre. Um peixe bom, bem fresquinho, tem as escamas presas ao corpo e brilhantes. As guelras são úmidas e rosadas, ou avermelhadas. Os olhos são brilhantes e a pele intacta e de cor viva. A carne, branca ou rosada, deve estar firme. E deve resistir à pressão dos dedos com um reflexo que lembre o da madrepérola.

Na hora de limpar, deixe-o durante uns quinze minutos em água fria e, depois, segurando pela cabeça, faça um corte no ventre e tire as vísceras. As nadadeiras, você tira fazendo um corte de cada lado e puxando-as num movimento rápido e preciso. Para terminar, lave o peixe em água corrente, até sair todo o sangue, para que a carne não fique escurecida.

Link Relacionado:

>> Receita da Moqueca Capixaba



GALERIA:

📷
📷


Matérias Especiais

Curiosidades...

Curiosidades...

Quando há alguns anos eu fui incluído como terreno de marinha (agora já estou fora, ganhei na justiça...), fui no Arquivo Público e li várias Cartas Régias e lá estava: o Vasco F. Coutinho, veio das Índias RICO chegando aqui, após algum tempo ficou POBRE

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Jerônimo Monteiro - Capítulo XVI

Fazia-se o desembarque de passageiros, em escaleres e lanchas pequenas que atracavam às escadas dos navios

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro - Capítulo II

Na foto ilustrativa, o casal Francisco de Sousa Monteiro e Henriqueta Rios de Sousa, pais de Jerônimo Monteiro (fim do séc. XIX). APEES — Coleção Maria Stella de Novaes

Ver Artigo
Saudações - Fernando Antonio de Oliveira

Carta endereçada ao escritor Walter de Aguiar Filho, autor do livro "Krikati, Tio Clê e o Morro do Moreno", pelas lembranças que nos traz sobre Vila Velha de outrora e pelo alerta sobre a identidade e cultura do canela-verde. Confira!

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VIII (FINAL)

Cristóvão Jaques foi o único que fez reconhecimentos e assentou padrões, conforme estão de acordo todos os cronistas e historiadores, estando por isso provado ser ele o primeiro que reconheceu a costa da província do ES

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VII

Com a chegada e desembarque, na província do Espírito Santo, do donatário Vasco Fernandes Coutinho, a 23 de maio de 1535, temos finalizado a notícia dos navegantes que tocaram ou não nas costas desta província

Ver Artigo