Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Caparaó

Caparaó

Veja curiosidades sobre a Região do Caparaó, que abriga o Pico da Bandeira:

1961
No dia 24 desse ano, foi criado o Parque Nacional do Caparaó por um decreto federal assinado pelo então presidente da república Jânio Quadros.

Divisa
É capixaba, mineiro e de todo mundo. O Parque Nacional do Caparaó fica na divisa de Minas Gerais e Espírito Santo. Possui uma área protegida de 31.853 hectares.

70% de área
É o total da área do Parque Nacional do Caparaó no Espírito Santo. Apenas 30% ficam em Minas Gerais.

Ordem de D. Pedro
A região do Caparaó abriga o terceiro pico mais alto do país, o Pico da Bandeira, onde, em 1859, D. Pedro II determinou que fosse colocada uma bandeira do império no seu topo. Acredita-se que seu nome se deve a esse fato.

Gigante
2.892 metros é a altitude do Pico da Bandeira.

Montanhas irmãs
No local existem outras formações rochosas importantes, como o Pico do Cristal (2.798 metros) e o Pico do Calçado (2.766 metros)

Hidrografia
A hidrografia do Caparaó merece atenção. Parte das nascentes dirigem-se para o mar, enquanto outras vão formar as maiores bacias da região: a do Rio Doce, a de Itabapoana e do Itapemirim.

Índios
A região onde se encontra o Parque Nacional do Caparaó foi ocupada, em tempos remotos, por diferentes grupos indígenas, como os botocudos, puris, tapuias e, posteriormente, tupis.

Século XVIII
Desde essa época é realizada a colheita de café na Região do Caparaó, quando, com o fim da mineração, o produto substituiu o ouro no processo de povoamento mineiro.

Século XIX
É a época em que a região da Zona da Mata mineira, que incluía cidades como Carangola e Manhuaçu, próximas ao parque, tornou-se cafeicultora, atraindo imigrantes italianos, espanhóis e portugueses.

Pecuária de Leite
Com o tempo, a terra foi sendo esgotada, a mão-de-obra foi escasseando e o café perdeu valor econômico. E a pecuária de leite se transformou na atividade predominante na região, até a volta do café, que continua atualmente.

Transporte
Outro fator importante na região foi a presença constante de tropeiros que caregavam mercadorias, notícias e, especialmente, o café comercializado. Foi a principal forma de transporte por muito tempo.

1913
Foi o ano em que chegou o transporte ferroviário à região. A "The Leopoldina Railway" chegou para transportar produtos agrícolas e madeiras nobres como o cedro.

Poluição
Na época, além da destruição causada pela comercialização da madeira, os trens utilizavam locomotivas a vapor que se abasteciam de carvão vegetal proveniente das florestas locais.

Guerrilha
A região do Caparaó e as próprias terras do parque Nacional estão ligadas, também, a história mais recente do país, a das guerrilhas oposicionistas ao governo militar.

1966
Foi por volta desse ano, que um grupo, organizado pelo Movimento Nacional Revolucionário (MNR), reuniu-se no alto da Serra do Caparaó com o objetivo de derrubar o governo militar. Foi provavelmente, o primeiro movimento no país de resistência armada à ditadura - regime militar implantado no Brasil em 1964.

Rebelião
O grupo foi constituído por intelectuais, militares cassados e militantes de esquerda, incluindo Leonel Brizola, que, influenciados pelos ideais revolucionários de Che Guevara difundidos em toda América Latina e pelo pensamento de Fidel Castro, em Cuba, se rebelaram contra o governo.

Esconderijo
A região foi escolhida para abrigar o grupo guerrilheiro por ser um local com acidentes geográficos propícios, de difícil acesso, favorável à defesa armada e com esconderijos naturais.

Parque
Eles de instalaram na área do parque, onde montaram diversos acampamentos em locais como a Macieira, Casa Queimada, Cristal, do Tatu, Gêmeas, Casa dos Porcos, Rancho do Antônio Leite, onde se revezavam para não levantarem suspeitas. Alguns desses pontos existem até hoje.

Martelo e Bigorna
Apesar de todo o cuidado, o MNR foi descoberto pelo serviço de inteligência do governo que imediatamente deflagrou uma operação de guerra denominada "Martelo" e "Bigorna" e em pouco tempo, rechaçou o movimento revolucionário.

O Nome
Na língua Tupi, Caparaó significa tapada (trincheira) de paus tortos para vedar a passagem.

A Lenda
O Caparaó é cheio de lendas. A mais famosa é a de Pedra Menina. Conta que Tamandaré, sobrevivente de um dilúvio, foi morar nas montanhas. Ele teve vários filhos, entre eles uma menina morena e muito bela. Para se livrar dos perseguidores estrangeiros, ela pediu ao deus Rudá, responsável por mantê-la donzela, que a transformasse em pedra, para se manter fiel ao juramento de virgindade. Os visitantes juram que conseguem enxegar a menina deitada na rocha com longos cabelos.

Água Santa
Outra lenda é do religioso Bento di Gênova, que antes de morrer em 1862, morou em Água Santa, Iúna. Próximo ao local onde ele orava à Santa Luzia, surgiu uma nascente. Dizem que a fonte é milagrosa.

Pedra do Pecado
No mesmo lugar da fonte milagrosa está a Pedra do Pecado. Segundo ditos populares, o Frei di Gênova morreu encostado nela. Desde então, os moradores crêem que ao passar três vezes pela fenda na pedra ficam livres dos pecados.

 

Fonte: A Gazeta (17/06/2009)

Cidades do ES

Porto de Cachoeira de Santa Leopoldina - Por: Christiano Woelffel Fraga

Porto de Cachoeira de Santa Leopoldina - Por: Christiano Woelffel Fraga

Graça Aranha, se lá chegasse hoje, por certo não mais veria a cidade como "filha do sol e das águas", talvez à semelhança de Bárbara, heroína de Virgínia Tamanini, em 'Estradas do Homem', sem acreditar no que via

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1596 - Por Basílio Daemon

A origem do nome dado da cidade de São Mateus é do Padre José de Anchieta

Ver Artigo
Grandes latifundiários dominavam a região de Itapemirim

Fazenda Pau Brasil de Francisco Salles Ferreira

Ver Artigo
João Neiva

A região que hoje corresponde ao município de João Neiva recebeu os primeiros imigrantes italianos em 1877. As famílias fundaram os distritos de Acioli de Vasconcelos (1887) e Demétrio Ribeiro (1891).

Ver Artigo
Ano de 1856 – Por Basílio Daemon

É criada neste ano a Colônia de Santa Leopoldina, nas margens do rio Santa Maria e ribeirões que nele deságuam, sendo por aviso do Ministério do Império 

Ver Artigo
Ano de 1847 – Por Basílio Daemon

Fundada em 1847 a Colônia de Santa Isabel, com 163 colonos chegados na sumaca Rodrigues, de propriedade de Antônio Joaquim Rodrigues 

Ver Artigo