Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Coronel Julião Fernandes Leão – Assume o comando das Armas, 1822

Capa do Livro: Província do Espírito Santo, por Basílio Daemon - 1879

Constando ao príncipe regente, que na província do Espírito Santo, em contrariedade do decreto das Cortes, de vinte e nove de setembro de mil oitocentos e vinte um, que determinou que o comando interino das Armas, na província, em que não houvesse comandante nomeado, fosse cometido à patente de maior graduação, e antiguidade, tivera recaído o dito comando no tenente coronel de Pedestres Inácio Pereira Duarte Carneiro, quando havia o coronel inspetor dos mesmos pedestres Julião Fernandes Leão, a quem de direito competia: Manda Sua Alteza Real, pela Secretaria de Estado dos Negócios da Guerra, que a Junta Provisória da dita província, faça entregar o comando interino das Armas ao coronel-inspetor Julião Fernandes Leão; e que o tenente coronel Inácio Pereira Duarte Carneiro continue na interessante Comissão da Estrada de comunicação entre essa província, e a de Minas Gerais, ficando ambos, por portaria hoje expedida, prevenidos desta real determinação, para se não dar logo[lugar] à menor contestação. — Palácio do Rio de Janeiro em quinze de abril de mil oitocentos e vinte dois. — Joaquim de Oliveira Álvares. Cumpra-se, e registre-se. Vitória, em nove de maio de mil oitocentos e vinte dois. Nunes.

* * *

O coronel Julião Fernandes Leal foi chefe de uma grande revolta militar nesta província, quando comandante das Armas e contra o Governo Provisório, tendo havido muitas prisões por ele feitas, como do ouvidor José Libânio, oficiais de Linha e de Milícias, dando afinal em resultado a própria tropa sublevar-se contra ele e o Dr. Pientznauer, chefe da sublevação, sendo afinal o primeiro preso na fortaleza e enviado para a corte e o segundo fugir para o centro da província. (Livro 1º dos avisos do Governo Provisório).

 

Oferecido pelo sócio Basílio Carvalho Daemon.

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2018

História do ES

Antigos nomes de ruas de Vitória

Antigos nomes de ruas de Vitória

LARGO PADRE INÁCIO - Atual área fronteira ao Palácio Anchieta, no topo da escadaria, onde terminava a Ladeira

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1874 – Por Basílio Daemon

Foi mandado concluir a capela católica da Imperial Colônia do Rio Novo, sob as vistas e direção do engenheiro Joaquim Adolfo Pinto Paca

Ver Artigo
Ano de 1872 – Por Basílio Daemon

A instalação da Loja União e Progresso se deu em 1872 no pavimento térreo do sobrado à rua São Diogo - 29, localizada atrás da Catedral

Ver Artigo
Ano de 1873 – Por Basílio Daemon

Chega neste ano a galera Adolph, capitão Hupfer, procedente de Hamburgo, conduzindo a seu bordo 413 colonos pomeranos, sendo 218 homens e 195 mulheres

Ver Artigo
Ano de 1870 – Por Basílio Daemon

Em 1870 o governo geral, por aviso de 23 de abril deste ano, mandado construir um farol na barra desta capital a bem de servir aos navegantes

Ver Artigo
Ano de 1871 – Por Basílio Daemon

Falece no Convento do Carmo, frei Antônio de Nossa Senhora das Neves, prior do mesmo convento, cargo que ocupava desde 1853

Ver Artigo