Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Coronel Julião Fernandes Leão – Assume o comando das Armas, 1822

Capa do Livro: Província do Espírito Santo, por Basílio Daemon - 1879

Constando ao príncipe regente, que na província do Espírito Santo, em contrariedade do decreto das Cortes, de vinte e nove de setembro de mil oitocentos e vinte um, que determinou que o comando interino das Armas, na província, em que não houvesse comandante nomeado, fosse cometido à patente de maior graduação, e antiguidade, tivera recaído o dito comando no tenente coronel de Pedestres Inácio Pereira Duarte Carneiro, quando havia o coronel inspetor dos mesmos pedestres Julião Fernandes Leão, a quem de direito competia: Manda Sua Alteza Real, pela Secretaria de Estado dos Negócios da Guerra, que a Junta Provisória da dita província, faça entregar o comando interino das Armas ao coronel-inspetor Julião Fernandes Leão; e que o tenente coronel Inácio Pereira Duarte Carneiro continue na interessante Comissão da Estrada de comunicação entre essa província, e a de Minas Gerais, ficando ambos, por portaria hoje expedida, prevenidos desta real determinação, para se não dar logo[lugar] à menor contestação. — Palácio do Rio de Janeiro em quinze de abril de mil oitocentos e vinte dois. — Joaquim de Oliveira Álvares. Cumpra-se, e registre-se. Vitória, em nove de maio de mil oitocentos e vinte dois. Nunes.

* * *

O coronel Julião Fernandes Leal foi chefe de uma grande revolta militar nesta província, quando comandante das Armas e contra o Governo Provisório, tendo havido muitas prisões por ele feitas, como do ouvidor José Libânio, oficiais de Linha e de Milícias, dando afinal em resultado a própria tropa sublevar-se contra ele e o Dr. Pientznauer, chefe da sublevação, sendo afinal o primeiro preso na fortaleza e enviado para a corte e o segundo fugir para o centro da província. (Livro 1º dos avisos do Governo Provisório).

 

Oferecido pelo sócio Basílio Carvalho Daemon.

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2018

História do ES

Vasco Fernandes Coutinho - Parte II

Vasco Fernandes Coutinho - Parte II

Afugentado o gentio com disparos de armas de fogo, lança-se o capitão às providências iniciais da implantação da donataria, estabelecida a princípio na atual cidade de Vila Velha

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

No tempo do Hidrolitol - Por Sérgio Figueira Sarkis

Dentro da Confeitaria Colombo, encontrava-se a charutaria dos Benezath

Ver Artigo
Festival de Verão de Guarapari Janeiro 1971

A ideia tinha partido de dois jornalistas, Antônio Alaerte e Rubens Gomes Filho

Ver Artigo
A Fundação de Vitória

Aquela provisão lança por terra a tradição de que foi o triunfo alcançado pelos ilhéus a 08/09/1551 que deu nome a Vitória

Ver Artigo
A Imigração no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

A entrada de imigrantes europeus representou a maior transformação social e econômica que o Espírito Santo passou

Ver Artigo
Mané Cocô - Por Elmo Elton

Foi construído um reservatório que passou a servir, ao palácio, repartições públicas e residências particulares dos abastados

Ver Artigo