Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Corpo de Bombeiros e Polícia Militar do ES

A Polícia Militar do Espírito Santo é uma das mais eficientes do Brasil; modelou-se pela de São Paulo. Também o é assim o Corpo de Bombeiros de Vitória, composto de homens compenetrados de seus deveres. Sua eficiência está bastante comprovada.

Pronto imediato, diligente, o Corpo de Bombeiros de Vitória é também justamente reputado um dos mais perfeitos do Brasil. Eles são chamados a atuar com absoluta confiança. Também assim acontece com a Guarda Civil da Capital do Espírito Santo: Zelosa, cumpridora dos seus deveres, bem apresentada em uniformes modernos a exemplo da Inspetoria da terra bandeirante, composta de homens instruídos e selecionados dentre os mais fortes fisicamente.

A Inspetoria de Veículos acha-se à Rua Graciano Neves, numa dependência anexa à Policia Civil. Ela presta, convenientemente seu concurso a coletividade capixaba zelando pela tranqüilidade pública, fiscalizando o trânsito, colaborando com as demais corporações subordinadas ao mesmo departamento da Administração.

É atual comandante da Força Pública do Espírito Santo o Capitão do Exército Carlos Marciano de Medeiros, um dos maiores incentivadores de Educação Física no Estado.

Desde a sua organização o Corpo de Bombeiros se acha instalado em um Quartel provisório, nos fundos do Quartel da Força Pública, no Parque Moscoso, em local que atende a toda cidade, com presteza, promovendo eficientemente, os socorros, chegando rápido aos lugares dos sinistros, por habilidade própria e também por sua colocação no Centro da cidade, ponto mais sujeito a incêndios e de maiores riscos econômicos.

 

Fonte: Revista Annuário do Espírito Santo, 1937
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2017

História do ES

Rio da Costa

Rio da Costa

O Rio da Costa tinha ânsia de chegar ao mar. Desprezando os beirais dos lajedos do Morro do Batalha, seguia em frente, no sentido leste, numa linha reta ligeiramente sinuosa, sem perder de vista seu eixo, até atingir o local conhecido como Flechal

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1854 – Por Basílio Daemon

Falece no Riacho e é conduzido seu cadáver para a vila de Santa Cruz, onde foi enterrado, o naturalista francês Dr. João Teodoro Descourtilz   

Ver Artigo
Ano de 1853 – Por Basílio Daemon

Brás da Costa Rubim, filho do governador Francisco Alberto Rubim, se propunha à oferecer-lhe quatrocentos volumes em livros e cadernos para a criação de uma biblioteca  

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros ao ES – João Théodore Descourtilz

Existe uma edição em português da "Ornitologia Brasileira ou História Natural das Aves do Brasil", lançada pela Kosmos, em 1944

Ver Artigo
Ano de 1852 – Por Basílio Daemon

São remetidas ao Museu Nacional, pelo naturalista Descourtilz, as coleções de história natural por ele reunidas tanto de pássaros como de insetos

Ver Artigo
Ano de 1850 – Por Basílio Daemon

Antônio Tomás de Godói chefe de Polícia e reconhecendo estar a província infestada de criminosos, dá logo as mais enérgicas providências no município de Itapemirim   

Ver Artigo