Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Corpo de Bombeiros e Polícia Militar do ES

A Polícia Militar do Espírito Santo é uma das mais eficientes do Brasil; modelou-se pela de São Paulo. Também o é assim o Corpo de Bombeiros de Vitória, composto de homens compenetrados de seus deveres. Sua eficiência está bastante comprovada.

Pronto imediato, diligente, o Corpo de Bombeiros de Vitória é também justamente reputado um dos mais perfeitos do Brasil. Eles são chamados a atuar com absoluta confiança. Também assim acontece com a Guarda Civil da Capital do Espírito Santo: Zelosa, cumpridora dos seus deveres, bem apresentada em uniformes modernos a exemplo da Inspetoria da terra bandeirante, composta de homens instruídos e selecionados dentre os mais fortes fisicamente.

A Inspetoria de Veículos acha-se à Rua Graciano Neves, numa dependência anexa à Policia Civil. Ela presta, convenientemente seu concurso a coletividade capixaba zelando pela tranqüilidade pública, fiscalizando o trânsito, colaborando com as demais corporações subordinadas ao mesmo departamento da Administração.

É atual comandante da Força Pública do Espírito Santo o Capitão do Exército Carlos Marciano de Medeiros, um dos maiores incentivadores de Educação Física no Estado.

Desde a sua organização o Corpo de Bombeiros se acha instalado em um Quartel provisório, nos fundos do Quartel da Força Pública, no Parque Moscoso, em local que atende a toda cidade, com presteza, promovendo eficientemente, os socorros, chegando rápido aos lugares dos sinistros, por habilidade própria e também por sua colocação no Centro da cidade, ponto mais sujeito a incêndios e de maiores riscos econômicos.

 

Fonte: Revista Annuário do Espírito Santo, 1937
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2017

História do ES

Café Capitania

Café Capitania

No final do século XIX, o Espírito Santo já detinha a marca do café capitania, famoso por suas propriedades de aroma e sabor inconfundíveis

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

O ES em meados do século XVIII

Seria o caso de se perguntar – em que estágio de civilização vivia o homem, neste pedaço de Brasil, em meados do século XVIII?

Ver Artigo
Estende-se a jurisdição da ouvidoria

Pelos fins de 1743, o ouvidor Ferreira de Veras, acompanhado de outras autoridades, piloto e gente do povo, demarcou as terras que, pelo ato instituidor da ouvidoria, passaram à jurisdição do foro capixaba

Ver Artigo
Revolta dos índios de Iriritiba – Aldeia de Orobó

Consequência dessas lutas foi a fundação da aldeia de Orobó, “nas cabeceiras do rio Reritigba, a três léguas do mar"

Ver Artigo
Minas do Castelo

Ao se iniciar a segunda metade do século XVIII, o ouvidor do Espírito Santo estabeleceu as minas do Castelo

Ver Artigo
Divisão administrativa do ES - Derradeiros tempos coloniais

Eram cinco as vilas até então criadas: Vitória, Espírito Santo, Guarapari, Nova Almeida e Benevente

Ver Artigo