Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Coutinho ausenta-se novamente da capitania

Caravela Glória (1535), em exposição na Casa da Memória de Vila Velha

Posta certa ordem na governança, Vasco Coutinho atirou-se novamente ao mundo.

A direção da colônia ficou entregue, desta vez, a Bernardo Sanches de la Pimenta. Pelo menos era quem, em 1552, servia “de Capitão na dita Capitania”, segundo testemunho de Tomé de Souza.(28)

A escolha recaiu em um dos “que mais zelavão contra o gentio”,(29) isto é, dos que eram tidos como seus melhores amigos. Há um detalhe que parece provar o bom conceito em que Sanches de la Pimenta era tido entre os silvícolas: ele foi um dos padrinhos de Sebastião de Lemos, filho do famoso chefe Maracaiaguaçu (Gato Grande).(30) Muito natural que o governo fosse confiado a alguém que gozasse da estima e do respeito dos índios, pois, como vimos, uma das causas principais do desastre de D. Jorge de Menezes fora sua inabilidade em tratar com eles.

A catorze de julho desse ano de 1550, tão fértil de sucessos notáveis na vida capixaba, já o donatário havia passado pela capitania de Pero do Campo Tourinho, então governada por Duarte de Lemos.

 

NOTAS

(28) - DH, XXXV, 160-1.

(29) - NÓBREGA, Cartas, III, 82.

(30) - PIRES, Cartas, II, 372.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, maio/2017

Vasco Fernandes Coutinho

65 anos após o desembarque de Vasco Fernandes Coutinho

65 anos após o desembarque de Vasco Fernandes Coutinho

Muito progredira a capitania desde a chegada da Grorya à enseada do Espírito Santo. Vivo estivesse, o primeiro donatário poderia dizer, com justo orgulho, que não fora vão o sacrifício que se impusera para plantar a bandeira do seu rei nesta nesga do solo brasileiro

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Vasco em Lisboa, na Rua do Barão de Alvito

Em agosto de 1540, estava em Lisboa, hospedado em uma casa da rua do Barão de Alvito, segundo a escritura de doação da ilha de Santo Antônio

Ver Artigo