Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Dados Biográficos do Autor Aerobaldo Lellis Horta

Aerobaldo Lellis Horta

Areobaldo Lellis Horta nasceu em Vitória, no dia 11 de novembro de 1883. Filho de José Francisco Lellis Horta, o Prof. Lellis, e de Francisca da Encarnação Lellis. Teve dois filhos, Maria Lellis e José Francisco Lellis Horta, Juiz de Direito, falecido há pouco tempo. Médico legista, jornalista, foi diretor do Diário da Manhã. Colaborou com o Jornal do Brasil, Brasil Médico, Folha do Povo, A Tribuna, A Gazeta, Mundo Espírita, Revista Espírita do Brasil e O Reformador. Pertenceu à Sociedade de Medicina e Cirurgia do Espírito Santo. Atuou no Ambulatório Clínico Dr. Dias da Cruz e na Associação dos Funcionários Públicos — Caixa beneficente Jerônimo Monteiro. Publicou O hipertiroidismo nas desordens nutritivas da primeira infância, além de diversos artigos, comentários, crônicas e poemas na imprensa, assinando com os pseudônimos J. Machado, Antônio João ou H. Pinto. É autor dos epítetos "Cidade Presepe" (ou Presépio) para Vitória, título de um poema publicado na revista Vida Capichaba, em 1951, na comemoração do 4º Centenário da Cidade de Vitória, e "Cidade Saúde", para Guarapari, dado ainda nas décadas de 20 e 30, conforme documento do Câmara Municipal de Guarapari datado de 13/03/1995.

Em 1951, concorreu ao "Prêmio Cidade de Vitória" com a obra Vitória do meu tempo, escrita desde 1948, e que permaneceu inédita até os dias atuais. Faleceu em Vitória, no dia 09 de junho de 1953, sem ver seu livro publicado. Essa obra rememora usos e costumes de um tempo, a passagem do século XIX para o século XX, e de uma cidade que não mais existem. Vem somar-se às obras de Antunes Siqueira, Afonso Cláudio, Maria Stella de Novaes, Serafim Derenzi, Adelpho Poli Monjardim, Elmo Elton e Renato Pacheco, historiadores-cronistas de suas épocas, das memórias de suas infâncias, dando à luz lembranças que contribuem para trazer ao presente o tempo e a vida dos dias passados. Na época atual, em que não se acredita mais numa única História, de grandes feitos e de grandes vultos, este Vitória do meu tempo, de Areobaldo Lellis, em boa hora editado pela Secretaria de Cultura da PMV, em convênio com a Academia Espírito-santense de Letras, vem contribuir para enriquecer o olhar presente sobre o passado, usos e costumes de pessoas com quem o autor conviveu e que foram perpetuadas pela memória do cronista.

 

Por Francisco Aurélio Ribeiro

 

Livro: A Vitória do meu tempo
Produção: Academia Espírito-Santense de Letras
e Secretaria Municipal de Cultura, 2007 – Vitória/ES
Autor: Areobaldo Lellis
Organização e revisão: Francisco Aurelio Ribeiro
Compilação: Walter de Aguiar Filho, julho/2020

Personalidades Capixabas

Uma festa para Hermógenes – Por Berredo de Menezes

Uma festa para Hermógenes – Por Berredo de Menezes

Hermógenes recebe merecidamente, o galardão de presidente de honra da Comissão Espírito-santense de Folclore

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Carlos Augusto de Azevedo

O seu maior objetivo pessoal é vencer sempre, para orgulho próprio e da família

Ver Artigo
Fued Nemer

Exerceu a advocacia durante muitos anos nas Comarcas de Castelo, Cachoeiro do Itapemirim, Muniz Freire, Alegre e outras

Ver Artigo
Arnaldo Soares Pagani

ARNALDO SOARES PAGANI, por exemplo, nasceu em Colatina, município cujo desbravamento influiu decisivamente para a penetração da civilização rumo ao norte do Estado

Ver Artigo
Ayval da Luz

AYVAL DA LUZ, como sócio e diretor acionista da “Transportadora Colatinense S/A", pode ser incluído na categoria daqueles empresários empenhados em sua batalha diária 

Ver Artigo
Egydio Antônio Coser

Os caprichos do destino são realmente insondáveis. Ninguém melhor do que EGYDIO ANTÔNIO COSER para confirmá-lo

Ver Artigo