Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Engenhos de açúcar no ES

Ilustração: Mônica Mol

O texto abaixo é transcrito do que é considerado o primeiro livro sobre o Brasil. Em 1576, em Lisboa, Pero de Magalhães de Gândavo imprimiu as páginas de sua História da Província de Santa Cruz (um dos primeiros nomes do Brasil) no mesmo local onde foi editado os “Lusíadas”.

“Da Capitania do Espírito Santo.

A capitania do Espírito Santo está a cinqüenta léguas de Porto Seguro em vinte graus da qual é capitão e governador Vasco Fernandes Coutinho. Tem um engenho somente. Tira-se dele o melhor açúcar que há em todo Brasil.

Há dentro da povoação um mosteiro de padres da Companhia de Jesus. Tem um rio muito grande onde os navios entram, no qual se acham mais peixes bois que nenhum outro rio desta costa. No mar junto desta capitania matam grande quantidade de peixes grandes e de toda maneira, e também no mesmo rio há muita abundância deles.

Nesta capitania há muitas terras e muito largas onde os moradores vivem muito abastados assim de mantimentos da terra como de fazendas: e quando se tomou a fortaleza do rio de Janeiro, desta mesma capitania do Espírito Santo sustentarão toda gente e proverão sempre de mantimentos necessários enquanto estiverem na terra os que a defendiam.”

 

Fonte: Tratado da Província do Brasil, 1576 (livro original)
Autor: Pero de Magalhães de Gândavo

Compilação: Walter de Aguiar Filho, fevereiro/2010

Links Relacionados:

>> Ouro e Açúcar

História do ES

Mapa da Capitania do Espírito Santo – Parte II

Mapa da Capitania do Espírito Santo – Parte II

Esse documento de 1666 faz parte de uma obra maior composta de 31 mapas manuscritos coloridos nos originais, os quais mostram não só o Espírito Santo mas a costa do Brasil, desde o rio Amazonas até o rio da Prata

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Basílio Daemon - Biografia

Por seus filhos capitão Dr. Ticiano Corrégio Daemon e tenente Daemon

Ver Artigo
Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo