Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Festas Juninas - Rodas

Livro: Vila velha de Outrora
Autora: Maria da Glória de Freitas Duarte

Um dos capítulos mais interessantes e belos das tradições vilavelhenses, é o referente às festas juninas ou “cateretês” como eram chamadas.

Os cateretês que constavam de Rodas, Trem de Ferro, Tororó, Olha a Chuva e outros brinquedos, eram festas organizadas nas casas das famílias. Usava-se enfeitar o Santo do Dia e fazer fogueiras. Começavam cedo e quase sempre entravam pela madrugada, quando era saudado o nascer do dia:

“Clareia o dia, clareia,
Clareia o dia no mar.
Clareia o dia, clareia,
Deixa o dia clarear.”

Com a mesma música, cada componente da Roda cantava seu versinho:

“No Moreno tem bandeira,
Lá fora vem escaler,
Dentro do meu peito tem
Um coração de mulher.

Lá no Convento da Penha,
Tem um cravo para abrir,
Quem me dera ser sereno,
Para no cravo cair.

Amanhã, se Deus quiser
Fará sol se não chover,
De manhã vou às pitangas,
De tarde vou aos mupês.

Quem me dera ter agora
Uma penha e um tinteiro,
Para escrever uma carta
Ao menino do Terceiro.

Fui ao mar buscar laranjas,
Coisa que o mar não tem,
Vim de lá toda molhada,
Das ondas que vão e vêm.

Não seu que cantiga cante
No meio de tanta gente,
Tantos olhos, tantas bocas,
Quanto nariz, quanto dente.”

Muitos outros versos eram cantados, geralmente para levar recados aos namorados.
Uma outra Roda também saudando o romper do dia:

“Eu não posso ver galo cantar,
Nem a barra do dia romper,
Todas vez que o galo canta,
Meu coração quer morrer.

Ora volta Chiquinha meu bem, bis
Que a barra do dia já vem.”

Vila Velha

Academia de Letras Humberto de Campos

Academia de Letras Humberto de Campos

Na década de 50, o mundo se recompõe dos destroços herdados da grande guerra, o Brasil vive momentos áureos da democracia e o Espírito Santo cresce em todas as áreas de sua vida administrativa. Tudo se modifica. Por sua vez, Vila Velha começa a ensaiar seus primeiros passos em busca do progresso. Nesse clima de euforia e de desenvolvimento, resolveram os integrantes do Centro Cultural transformá-lo em uma ACADEMIA DE LETRAS.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Primeiro Núcleo de Vila Velha

Após a construção das primeiras cabanas da povoação, e do plantio de sementes trazidas de Portugal, um engenho de açúcar começou a funcionar no Sítio do Ribeiro

Ver Artigo
Carnaval antigo de Vila Velha

O Carnaval de Vila Velha também tem a sua tradição. Logo no seu início as mulheres não se fantasiavam, porém os homens caprichavam para apresentar fantasias caras ou extravagantes

Ver Artigo
A História da Marinha em Vila Velha

Você sabia que a Marinha é mais antiga do que o Exército em Vila Velha?

Ver Artigo
O Natal e seus festejos

NATAL, festa máxima da cristandade! Como hoje, também a Vila Velha antiga se preparava para este grande dia na residência do Desembargador Ferreira Coelho 

Ver Artigo
Estatuto do Clube dos 40 – Parte I

O Clube dos 40, fundado em 08 de fevereiro de 1939, nesta cidade de Vitória, Capital do Estado do Espírito Santo

Ver Artigo