Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Forte Piratininga - Presídio, Escola e Museu

No forte funcionou por duas vezes a Escola de Aprendizes Marinheiros; a primeira instalada em 1862 e extinta em 1866, e, a segunda em 1909 e extinta em 1913

FORTALEZA SÃO FRANCISCO XAVIER DA BARRA - Você sabia o que ela já foi?

 

PRESÍDIO

A fortaleza de São Francisco Xavier serviu de presídio em diversas ocasiões.

a) - Em 1808 houve desentendimentos entre o Governador Manoel Vieira de Tovar e o Ouvidor resultando na capitania duas correntes; uma a favor ao Governo e outra contrária. Nesse conflito, o Governador mandou prender alguns desafetos, homens de bem, na fortaleza.
b) - De outra feita em outubro de 1814, em greve de fome, suicidou-se na fortaleza, o alferes de Divisão do Corpo de Pedestres de Minas Gerais Manoel Rodrigues de Medeiros. Conta à lenda que o citado, junto a outros fez parte na missão de prender o vigário de Benevente (Anchieta) a mando do Governo Silva Pontes. Segundo intrigas havia dito que não tinha medo dos canhões vermelhos em alusão à farda do Governador. O vigário chegou a Vila Velha, amarrado em cordas dentro de uma rede e levado preso ao forte. Diz à crônica que acabaram desgraçados, isto é, loucos ou arruinados todos aqueles que fizeram parte daquela escolta de pedestres.O alferes Luiz Correia fora comandante de escolta e trouxe amarrado numa rede o vigário deixando-o preso no Forte São Francisco Xavier, porque, dali não quis passar em protesto a terem feito o sacristão e outras pessoas desfilarem escoltadas e amarradas nas ruas de Vitória à toque de caixa, humilhando-os desde Benevente. (DAEMON)O vigário foi remetido a Portugal e se apresentou de pés amarrados à rainha D. Maria I que censurou o procedimento do Governador.Contam que o Governador Pontes antes de morrer disse: morreria de desgostos que lhe acarretara um clérigo.

 

ESCOLA

a) - No forte funcionou por duas vezes a Escola de Aprendizes Marinheiros; a primeira instalada em 1862 e extinta em 1866, e, a segunda em 1909 e extinta em 1913.b) - Em 1917 chega a Vila Velha o 50º Batalhão de Caçadores oriundo da Bahia, ficando acantonado em prédios alugados na sede do Município. Com o nome de 3º Batalhão de Caçadores instala-se em Piratininga em 1919 vindo a ocupar também o forte, funcionando ali o Comando (Casa das Ordens). Pela nova organização do exército, em 1964, deixou de ser o Terceiro Batalhão de Caçadores para fazer parte do Trigésimo Oitavo Batalhão de Infantaria, tropa única sediada em Vila Velha. 

 

HOJE

Museu do 38 o BI.

 

VISITA HISTÓRICA

Na passagem do Imperador D. Pedro II por Vila Velha em 28 de janeiro de 1860, teve a oportunidade de visitar o forte, guarnecido na ocasião por praças da Guarda Nacional composta de cinco pedestres efetivos.Leu na inscrição do portão os seguintes dizeres: Reinando muito poderoso Rei de Portugal D. Pedro II N. S. mandou fazer esta fortaleza Dom Rodrigo da Costa Governador e Capitão general d’este Estado do Brazil Anno de 1702.

 

Autor: Edward Athayde  d´Alcantara
Compilação: Walter de Aguiar Filho, novembro/2013

Monumentos

Monumento ao Trabalho

Monumento ao Trabalho

A idéia de emoldurar numa obra os monumentos de uma cidade, referindo-se a importância de sua existência, é um esforço que visa somente enriquecer os recursos dos estudiosos

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Pietà do Lixo – Dona Domingas

A Pietà do Lixo. Talvez a única escultura do mundo de uma catadora de lixo e sem uma digna biografia

Ver Artigo
100 Anos do Parque Moscoso

Em maio de 1912 era inaugurado pelo presidente Jerônimo de Souza Monteiro a praça Moscoso, no local do antigo Campinho, após as obras de drenagem e ajardinamento do local

Ver Artigo
Parque Moscoso

Originalmente denominado Mangal do Campinho, o Parque Moscoso era constituído por uma área de manguezal.

Ver Artigo
Monumento a Vasco Fernandes Coutinho (1º Donatário da Capitania)

É representado por um obelisco de granito, constituído de uma só peça inteiriça que assenta sobre quatro esferas de metal

Ver Artigo
O Farol de Santa Luzia

O farol de Santa Luzia em Vila Velha é a construção de montagem mecânica mais antiga do Espírito Santo, ganhando em muito na antigüidade de algumas pontes das estradas de ferro

Ver Artigo