Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Fotopintura

Fotopintura e Post Dard (Santa Teresa/ES), ca.1935. Acervo: Irene P. Bomfim - Fotógrafo: Acrysio Bomfim

A fotopintura é um recurso utilizado para introduzir um elemento vivificador nos retratos. Em Santa Teresa, quem começou a fazer esse estilo foi Acrysio Bomfim, no ano de 1935, numa foto colorida de uma criança.[1]

Os fotógrafos estrangeiros viajantes influenciaram a cultura no Espírito Santo e os italianos trouxeram a sua arte. Há traços onde usaram tintas ou até giz para colorir, passando de fotografia para pintura. Incansáveis eram nossos fotógrafos, que andavam a cavalo, a pé, subindo morros em várias regiões do interior.

O fotógrafo T.I. Armand usava recursos, como retoques coloridos e acabamentos artísticos, configurando sua marca. Fotógrafo requintado, ele era mais contratado por famílias de maior status de pelo Governo para fotografar pessoas que vinham para missões estrangeiras.

No início do século XX, ampliaram-se os ateliês em Santa Teresa e os retratos da sociedade teresense, considerando-se a situação econômica favorável. Era o auge do café, o comércio estava movimejtado pela sua exportação e compravam-se produtos finos vindos da Europa para comercialização. Esse período trouxe progresso não só para os produtores de café, mas também para os agricultores que se dedicavam ao plantio de uva e de outros produtos agrícolas. Também foi notável o desenvolvimento pecuarista. O imigrante vivia uma nova situação financeira e todos podiam ser retratados em família, nas ruas, nas festas, no futebol e nos carnavais. Os que foram estudar no Rio de Janeiro, Niterói, São Paulo e Belo Horizonte, filhos de pessoas com melhores condições econômicas, quando retornavam a Santa Teresa, fotagrafavam os amigos e parentes.

Alguns fatores influenciaram para o fim dos ateliês: o uso de fotografia 3x4 para ducumentos, os lambe-lambes e as fotografias instantâneas de grupos musicais, de futebol e do carnaval. A popularização da fotografia foi intensificada a partir de 1935, quando os retratos eram tirados mais ao ar livre e de acordo com o gosto de cada um.

[1] Depoimento a autora do livro de Irene P. Bomfim e seu filho Drasto Bomfim, que por sua vezs, é neto de Acrysio Bomfim, em 2007

 

Fonte: Santa Teresa – Viagem no Tempo (1873/2008)
Autora: Sandra Gasparini
Compilação:  Walter de Aguiar Filho, maio/2011

Curiosidades

Viajantes Estrangeiros ao ES – Barão de Humboldt

Viajantes Estrangeiros ao ES – Barão de Humboldt

Basilio Daemon refere-se à possível passagem do Barão de Humboldt, no ano de 1800, pelo Espírito Santo

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Viajantes Estrangeiros ao ES – Wied, Freyreiss e Sellow

Pouco antes de iniciarem excursão pelas províncias do Rio de Janeiro, Espírito Santo e Bahia, chegou à Corte, em meados de junho de 1815, Maximiliano Alexandre Philipp, Prinz von Wied-Neuwied

Ver Artigo
Os açorianos em Viana/ES – Favores fiscais

A povoação foi oficialmente instalada a quinze de fevereiro de 1813

Ver Artigo
A transição para o caminhão – Por Ormando Moraes

O caminhão foi entrando mais lentamente, devido à falta de estradas, a partir da década de 20

Ver Artigo
A política brava – Por Jair Corrêa

Depois do fim do Estado Novo, em 1945, quando foram criados os novos partidos, eu entrei na política

Ver Artigo
As minhas histórias – Por Jair Correa

Meu pai era conhecido como "seu" Corrêa. O seu nome completo era Joaquim Corrêa. A minha mãe se chamava Vicenta Gimenez Corrêa

Ver Artigo