Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Governança e militança na Província do ES

MAPA DA FORÇA MILITAR DA 1.ª E 2ª LINHA DA PROVÍNCIA DO ESPÍRITO SANTO

A administração civil era constituída pelopresidente da província, Conselho Provincial, secretário(76) e um oficial daSecretaria. Diz a Memória: “Todas as autoridades lhe são sujeitas [isto é, aopresidente], mesmo as independentes”.

O governo militar compunha-se do comandante das Armas e seu ajudantede ordens, sendo que os efetivos da primeira e segunda Linha, ao se inauguraro ano de 1828, totalizavam 1.849 homens, conforme se vê do quadro seguinte:

MAPA DA FORÇA MILITAR DA 1.ª E 2ª LINHA DA PROVÍNCIA DO ESPÍRITO SANTO(77)

Ver imagem do quadro logo abaixo da matéria.

Relativamente às companhias de ordenança, eram iguais ao número de distritosda província e “cada uma delas mais ou menos forte conforme a população”.(78)

 

NOTAS

(76) - O primeiro secretário do governo provincial – José Henrique de Paiva – foi nomeadoa vinte e oito de novembro de 1823 (DAEMON, Prov ES, 267). É mister notar, entretanto, queexistira, anteriormente, o cargo de secretário do governo da Capitania, criado pelo decreto real dedez de setembro de 1810. O primeiro ocupante desse lugar foi João Barroso Pereira.

(77) - Inácio Acioli, Memória.

(78) -“Cada uma das Vilas, e a mesma Capital contém um capitão-mor e tantos capitães,alferes e sargentos de ordenança quantos são os distritos em que se subdivide. A Cidade é divididaem cinco distritos; Itapemirim em quatro; Benevente em quatro; Guarapari em quatro; EspíritoSanto em dois; Nova Almeida em seis; S. Mateus em quatro. Cada uma das Vilas, e Cidadesfornecem os corpos da 2.ª linha com a força que tem; comparecendo na Capital nas formaturasde corpos, em certos lugares do seu distrito na formatura de Companhia” (Memória).

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, maio/2018



GALERIA:

📷
📷


História do ES

Ano de 1874 – Por Basílio Daemon

Ano de 1874 – Por Basílio Daemon

Foi mandado concluir a capela católica da Imperial Colônia do Rio Novo, sob as vistas e direção do engenheiro Joaquim Adolfo Pinto Paca

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
Finda o Governo do Primeiro Donatário - Por Mário Freire

Confiou o governo a Belchior de Azevedo, como Capitão, com os poderes e a jurisdição que o donatário exercera: firmou esse ato na "vila de N. S. da Vitória"

Ver Artigo