Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Governo Florentino Avidos (1924-1928)

Florentino Avidos

O alto preço do café proporcionou ao sucessor de Nestor Gomes respaldo firme para uma administração bem sucedida.

Florentino Avidos teve o mérito de saber escolher auxiliares para as tarefas de governo. E conseguiu realizar obras que fazem seu nome lembrado com carinho em todo o Estado.

Duas pontes que construiu – ligando Vitória ao continente e sobre o rio Doce, em Colatina – são marcos decisivos no progresso do Espírito Santo.

A estrada de penetração, ligando Colatina a Nova Venécia, abriu a denominada zona desconhecida ao trabalho fecundo dos povoadores.

Luiz Derenzi lembra que Mirabeau da Rocha Pimentel, secretário da Educação, “engrandeceu a instrução do Estado”. E traz a prova do seu testemunho: “As 392 escolas públicas, com a freqüência média de 13.900 alunos, do ano de 1924, focam elevadas gradativamente a ponto de, no fim do quatriênio, atingir a freqüência de 21.500 alunos, em 593 unidades escolares.”

A Capital – cuja administração estava confiada a Otávio Peixoto – “não obstante a ação dinamizadora de Jerônimo Monteiro, continuava cidade suja, com forte coeficiente de letalidade”.(46)

A equipe do Serviço de Melhoramentos de Vitória deu à cidade boa parte do que ela tem de melhor: retificação da Avenida Jerônimo Monteiro, abertura da Avenida Capixaba, criação de novos bairros residenciais, construção de centenas de moradias para funcionários e classe média.(47)

Outros fatos assinaláveis ocorridos durante o governo Florentino Ávidos: a realização, em Vitória, do Oitavo Congresso Brasileiro de Geografia – de vinte e quatro a trinta de novembro de 1925; as visitas, em 1926, dos presidentes Artur Bernardes e Washington Luís; a Exposição Estadual de Vitória e a Segunda Exposição Estadual de Pecuária.

Coube-lhe, também, mandar para o campo da luta um contingente de 321 homens da Força Pública do Estado, em auxílio do governo federal, contra os revoltosos de 1924.

O breve escorço da obra de governo do quadriênio em epígrafe seria incompleto se calasse o nome do engenheiro Moacir Avidos, filho do presidente e seu principal colaborador.

 

NOTAS

(46) - DERENZI, Biografia, 222.

(47) - Autorizada explanação sobre as principais realizações do governo Avidos no cap. XXXI da Biografia de uma Ilha, de LUIZ DERENZI.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, setembro/2017

História do ES

Cine Odeon

Cine Odeon

A história do cinema no Espírito Santo começa em 1907, ano que ocorreu a primeira apresentação no Éden Cinema, de acordo com o "Jornal Official". Atualmente no local funciona o Teatro Glória. Sendo assim a primeira exibição no formato que conhecemos hoje, completou um século em 2007

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Fundação de Vitória

Aquela provisão lança por terra a tradição de que foi o triunfo alcançado pelos ilhéus a 08/09/1551 que deu nome a Vitória

Ver Artigo
Por que Morro do Moreno?

Desde o início da colonização do Espírito Santo, o Morro do Moreno funcionava como posto de observação assegurando a defesa de Vila Velha e de Vitória

Ver Artigo
Jesuítas no Espírito Santo

Em 1549 partiram da Bahia – escalaram no porto da “povoação do Espírito Santo” Leonardo Nunes e Diogo Jácome

Ver Artigo
Origem do nome das cidades do ES

Muitas vezes, por um simples motivo, surge a origem do nome de uma cidade, como por exemplo, o hábito dos moradores de tomar um cafezinho que, de tão ralo, mais parecia água doce. Daí veio o nome da cidade de Água Doce. E o nome da cidade de Águia Branca, de onde surgiu essa idéia? 

Ver Artigo
Araribóia X Villegagnon

Araribóia, comandante de duzentos temiminós que o Espírito Santo mandou à luta contra os franceses de Villegagnon

Ver Artigo