Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Guarapari em 1862

Guarapari quando ainda era uma Vila

Guarapari 1. Ilhotas à entrada do porto do seu nome, entre elas podem passar navios pequenos. 2. Porto formado pelo mar. Nas marés grandes tem na preamar 26 palmos de fundo, e na baixa-mar 19; nas marés pequenas tem na preamar 23 palmos de fundo, e na baixa-mar 22. O fundo marcado é o de um banco de areia para dentro dos pontais. Fora dele tem 34 a 27 palmos, tendo mais fundo dentro até ao fundeadouro, onde deságua o rio do seu nome. 3. Rio que nasce na serra do seu nome, 5 léguas ao nordeste da vila de Benevente, atravessa várias lagoas, e vai lançar-se no oceano entre o morro do seu nome e o de Perocão. É estreito e profundo na sua embocadura, dá navegação aos barcos que nele entram com facilidade, cozendo-se com o morro Guarapari uma légua acima da foz. As canoas vão até ao Aleixo, 2 léguas do porto da vila. 4. Vila situada ao lado sul do porto do seu nome, em posição elevada, pitoresca e sadia, tendo a leste um majestoso rochedo coberto pelo lado do mar de terra argilosa com frondosas árvores e arbustos. Ao sul, parte da praia que medeia entre ela e a povoação de Meaípe, e em seu cimo, uma capela arruinada. Confronta esta vila o seu termo a leste com o oceano; a oeste por uma linha indeterminada; ao norte com o termo da Vitória pela ponta da Fruta no litoral, e daí para o centro por uma linha leste-oeste; ao sul com o termo de Benevente pela lagoa Maimbá. Os terrenos são entre três serras paralelas à praia, e em elevações progressivas até a serra Geral, a primeira a 2 léguas da costa, e que tem o nome da vila, a segunda a 8 léguas mais ou menos, a terceira forma os limites da província. As terras são férteis, e de excelente qualidade para toda e qualquer cultura própria do país, regadas por córregos de cristalinas águas. A maior parte do território está inculto. Tem 3.300 habitantes. 5. Serra ao poente da vila do mesmo nome. É abundante de cabureíbas. 6. Morro da vila do mesmo nome.

 

Fonte: Dicionário Topográfico da Província do Espírito Santo, 1862
Autor: Brás da Costa Rubim

N.R.: Com ortografia atualizada pelo site Estação Capixaba.

História do ES

Engenhos de açúcar no ES

Engenhos de açúcar no ES

O texto abaixo é transcrito do que é considerado o primeiro livro sobre o Brasil. Em 1576, em Lisboa, Pero de Magalhães de Gândavo imprimiu as páginas de sua História da Província de Santa Cruz (um dos primeiros nomes do Brasil) no mesmo local onde foi editado os “Lusíadas”.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Ano de 1829 e 1830 – Por Basílio Daemon

Assume a presidência da província a 9 de dezembro de 1830 o 2º vice-presidente coronel José Francisco de Andrade e Almeida Monjardim

Ver Artigo
Com a República, pontes, estradas, indústria e comércio

No Espírito Santo, como nas demais províncias do Império, o movimento republicano foi pequeno. Em 23 de maio de 1887, foi fundado o primeiro clube republicano do Espírito Santo

Ver Artigo
A República e o esforço pela expansão do ensino

No que diz respeito ao ensino primário, houve um acentuado aumento quantitativo do número de escolas e de matrículas

Ver Artigo
A República no Espírito Santo

A província contava 14 municípios, a metade do número atual, e de todos a Capital, o de mais recursos, nunca arrecadou renda superior a vinte contos de réis, sendo essa a média aproximada dos últimos anos financeiros

Ver Artigo
Partidos políticos, Constituição, Início da República

Tão logo pareceu consolidado o regime inaugurado a quinze de novembro de 1889, os políticos começaram a coordenar o eleitorado

Ver Artigo