Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Instituto Radiológico de Vitória

Grupo de pessoas presentes á inauguração, em frente do Edifício Maria Ortiz, onde se acha instalado o Instituto Radiológico - Grupo de pessoas presentes á inauguração, na sala de radiodiagnóstico

Vitória ressentia-se da falta de uma aparelhagem particular e moderna de Raio X, que atendesse às exigências do diagnóstico clínico, como cidade que se coloca em plano de lisonjeiro aspecto, em confronto com os centros mais cultos do país.

Compreendendo que era preciso que alguém, algum médico abnegado, viesse curar o meio ambiente do mal dessa lacuna, o Dr. Rousseau Leão Castello, um expoente da nova geração capixaba, especializou-se em Radiologia e instalou seu consultório com aparelhagem particular, que apresentava, por várias circunstâncias, maior conforto a que só recursos particulares podem atender, possibilitando uma assistência permanente às exigências técnico-científicas. E tão ilimitada era sua aspiração que, dois anos decorridos da primitiva instalação, no 2º pavimento do Edifício do Banco Inglês, em Vitória, o Dr. Rousseau Leão Castello substituía, completamente, toda a sua aparelhagem ainda moderna, por uma outra moderníssima, de fabricação alemã, da Siemens-Reiniger-Wercke, Tuto-Ventil-Heliodor, com sistema de retificação por válvulas eletrônicas, proteção integral contra alta tensão, o mais aperfeiçoado que existe contra a Radiação X, luxuosa e elegante, com os mais modernos requisitos, dando um rendimento muito maior de energia e de tal monta que, no Rio de Janeiro, só há duas ou três aparelhagens, com idênticas características em consultórios particulares. E instalou-se definitivamente, no Edifício Maria Ortiz a Rua Domingos Martins, 2, nesta cidade, com um Instituto Radiológico, de esplendida capacidade, dando a Vitória os foros e uma capital importantíssima.

 

Fonte: Revista Annuário do Espírito Santo, 1937
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2017

Curiosidades

A Lagoa Juparanã  – Por Monsenhor Pedrinha, em 1891

A Lagoa Juparanã – Por Monsenhor Pedrinha, em 1891

Juparanã, Juparanã, deu-te tudo a natureza, só te não deu lágrimas para chorares o desprezo dos teus!...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A guerra do sete dias – Por José Costa

Viajei num raio ao passado e desci no jornal 7 Dias, onde conheci o estoicismo, cada edição era uma história, um desafio, uma prova de obstáculos

Ver Artigo
Folha do Povo – Por José Carlos Fonseca

Falo da Vitória do final dos anos 40 e da década de 50

Ver Artigo
O Cine Cici do Seu Tinininho – Por Átyla de Freitas Lima

A casa onde funcionava o Cine Cici era um salão grande, coberto de zinco, na Rua 23 de Maio 

Ver Artigo
Cimento e Ferro – Por Paulo Vasconcellos

O edifício Gloria e a Casa de Saúde dizem da transição da arte moderna, ainda com influencias de Luiz XVI

Ver Artigo
Russo era o barão da monazita de Guarapari

Um só homem foi acusado de ter faturado milhões de dólares em Guarapari com a extração de areia monazítica praticamente de graça, durante quase 30 anos

Ver Artigo