Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Jair Coser

Jair Coser

Ter tido um pai maravilhoso e por mãe uma mulher extraordinária, JAIR COSER jamais poderia deixar de ser o homem que é, reconhecidamente humano, simples, trabalhador e fiel aos que ama e são por ele amados.

Personalidade curiosa, os pesquisadores que tivessem sorte encontrariam no interior deste notável empresário um manancial inesgotável e surpreendente, assim como o garimpeiro incrédulo diante da virgem mina de diamantes.

Não há de se cometer nenhum exagero ao se analisar a personalidade inquieta e criativa deste incansável e emérito pugilista do comércio exportador de café, porque a todo momento ele se suplanta e surpreende com novas conquistas e vitoriosos empreendimentos.

Vindo de uma infância difícil, como ele mesmo confessa triste, quando junto com os irmãos comparecia à missa aos domingos, em jejum para comungar e com muita fome e pouco dinheiro, comendo pão velho e vindo descalço até a cidade para não gastar a botina, que calçava somente no momento de entrar na Igreja, JAIR COSER, tem consciência dos problemas criados pela miséria. Não é à toa que anonimamente ajuda obras assistenciais, especialmente as que abrigam órfãos e procura compreender o drama dos amigos que esbarram, como ele esbarrou no transcurso da vida com sérias dificuldades.

Entretanto, a vida lhe reservou a felicidade de um lar feliz, completo, ao lado de uma esposa sem defeitos, MARIZA RAMALHETE COSER, a quem ele atribui como todo homem bem-sucedido na vida, o fato de ter ao seu lado uma grande mulher. Mais ainda, a suprema ventura de ao abrir a porta de sua casa, de volta das constantes viagens, reencontrar o largo sorriso maravilhoso de sua filha ANDRÉA.

JAIR COSER, nasceu em Itaguaçu, no dia 4 de junho de 1932. Filho de Egydio Antonio Coser e Olívia Corteletti Coser. Foi aluno do Grupo Escolar "Thiers Veloso", em Itaguaçu, onde cursou o primário. Em 1950 cursou o Ginásio no Colégio de Muqui, e formou-se em Contabilidade em 1953, no Curso de Contabilidade do Colégio Americano, em Vitória.

O fato de ter sido pobre parece ter marcado bastante as duras lembranças que JAIR COSER guardou do seu passado, quando ele mesmo diz que, lamentavelmente não teve grandes amigos na infância e juventude que conservasse até hoje, pois é muito difícil ter muitos e grandes amigos quando se é pobre, mesmo hoje, considerado abastado comerciante ainda afirma que tem muitos conhecidos e poucos amigos.

Uma das características de JAIR COSER é a sua decantada autenticidade. Tendo vivido muito tempo combatendo o lado mau da vida, imunizou-se contra a hipocrisia e o elogio barato. Ao mesmo tempo adquiriu uma visão do mundo que permanece intacta dentro dele, dizendo sempre o que sente, qualquer que sejam as consequências.

Por causa de sua autenticidade alguns folcloristas do Estado lhe atribuem histórias incríveis mas, é ele próprio com a sua verdade que nos traz subsídios definitivos desta rara faceta do seu caráter. Exemplo: ele comenta: "O amor em minha vida somente desabrochou já mais vivido e maduro, quando conheci e me casei com Mariza, pois na infância o que sentia não era amor, apenas alguns "agarras" nos bailes da roça e "safadeza" atrás dos paióis ou pastos.”

Ou ainda, quando confessa com certo orgulho, uma espécie de revanche de sua pobreza imposta pela vida, que após 18 anos lutando, já trabalhando, iniciando um "pé de meia", chegou aos 30 anos solteiro, bastante cobiçado pelas moças mais bonitas de Vitória, tornando-se um homem casado aos 31, com a mulher certa e na hora devida.

Para JAIR COSER, o casamento é uma necessidade a todo ser humano, inclusive porque altera o próprio comportamento das pessoas, humanizando-as, principalmente após o nascimento dos filhos, pois todos desejam sempre o melhor para eles.

Mas, mesmo assim, ele causaria inveja ao espírito satírico de Voltaire ou Bernard Shaw ao confirmar que no dia do seu casamento a sensação mais terrível que sentiu foge à emoção do solene momento, quando se viu assaltado por uma grande tremedeira, sendo necessários vários amigos montarem um esquema de segurança para que pudesse entrar na Igreja, devido às ameaças de ex-namoradas dispostas a não perderem a vida mansa e mordomias que ele lhes proporcionava.

Quem, senão JAIR COSER, cuja vida é um livro eternamente aberto à sinceridade, confessaria para alguém tal tipo de atribulação?

As coisas que ele considera importantes: primeiro Deus, depois a família, especialmente seus pais, sua mulher, sua filha e seus irmãos. O seu maior desejo continua sendo viver em paz consigo e com a vida, o mesmo que deseja para todos.

Esportista sempre foi um apaixonado por veículos motorizados, amando com verdadeira paixão um bonito carro esporte ou uma valente motocicleta.

Sua receita para vencer na vida: Ser honesto, ter seriedade, trabalhar... trabalhar e respeitar o direito dos outros com sinceridade, para valer.

Sendo um homem rico e realizado é natural que tenha a sua própria concepção sobre ter ou não ter dinheiro. JAIR COSER acha e é natural que ache depois de passar tudo que passou que O DINHEIRO É MUITO IMPORTANTE PARA O ÊXITO DAS PESSOAS, MAS NÃO É TUDO. Ele que conhece os dois lados da medalha: ter e não ter dinheiro, pode nos dar este depoimento absolutamente verdadeiro.

Tendo sido para ele e sua família bastante dura e difícil a escalada na vida para ter algum destaque, para chegar à estabilidade econômica, JAIR COSER ainda completa sua apreciação sobre a riqueza dizendo: "Inegavelmente o dinheiro dá muito status e muito prestígio, principalmente para aquele que sabe usá-lo porque vivemos hoje numa Sociedade de Consumo onde, infelizmente, as pessoas valem mais pelo que pesam e não pelo que são realmente".

Quando alguém lhe pergunta se encontrou ajuda para subir na vida, JAIR COSER responde que quase toda ajuda foi no sentido moral, pois ninguém na sua família podia dar ajuda financeira a alguém, mas destaca o seu irmão mais velho Otacílio, que veio do interior antes dos outros, tornando-se a peça-chave para o começo vitorioso de tudo.

Suas ambições resumem-se em ser exatamente o que é: homem de sucesso, apenas com uma preocupação de não permitir que a vaidade, o orgulho e o dinheiro se sobreponham à sua personalidade e humildade, afirmações sinceras reconhecidas por todos. JAIR COSER considera-se excelente gourmant e gourmet pois adora comer, principalmente comida italiana, talvez devido à sua origem, apreciando muito uma casa bonita e confortável (a dele é), pois sendo muito caseiro é justo que podendo, ofereça a si próprio e à sua família este merecido conforto. Gosta de diversões, de teatro, de cinema, sendo geralmente a maior distração, jantar fora, o que é uma obrigação devido aos seus negócios.

Nunca sofreu, ele mesmo o diz, nenhuma influência intelectual ou cultural, apenas influência de seu pai, na garra e perseverança ao trabalho.

Como empresário, JAIR COSER conhece meio mundo, pois suas atividades exigem muitas viagens internacionais que têm sido a maior fonte de conhecimentos e cultura de sua vida.

Um dos grandes dirigentes da UNICAFÉ — Companhia de Comércio Exterior, seus conhecimentos dilataram-se, sendo hoje íntimo de altos funcionários do Governo Estadual, Federal e de conhecidas vedetes do mundo empresarial do Brasil e do Exterior. Quando alguém lhe fala a respeito do Mundo do futuro, no qual viverá sua filha e seus netos quando Andréa se casar, JAIR COSER fixando o horizonte distante, talvez buscando por entre as nuvens a figura do garoto sonhador arrojado que foi, oferece à nova geração o seu conselho experiente: AOS JOVENS DE HOJE, QUE COMANDARÃO O BRASIL DE AMANHÃ, RECOMENDO FÉ, ESPERANÇA E MUITO TRABALHO... TRABALHO...

Assim é JAIR COSER, um homem em paz consigo mesmo e com a vida, esperando ser tão somente ele mesmo: JAIR COSER, o que não deixa de ser um anseio justo até para os que esperam que ele não mude e continue sendo aquilo que sempre foi e temos certeza que continuará sendo até a Eternidade.

 

Fonte: Personalidades do Espírito Santo. Vitória – ES. 1980
Produção: Maria Nilce
Texto: Djalma Juarez Magalhães
Fotos: Antonio Moreira
Capa: Propaganda Objetiva
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2020

Personalidades Capixabas

O pescador de sons - Por Marien Calixte

O pescador de sons - Por Marien Calixte

Para chegar a Varsóvia, Maurício de Oliveira contou com o apoio decisivo dos médicos Aldemar de Oliveira Neves e José Leão Borges, este, presidente do Partido Socialista Brasileiro

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Maysa e o Barão de Monjardim

Impossível não aproveitar a exposição que a mídia tem dado à cantora Maysa (que era paulista) para falar um pouco sobre o Barão de Monjardim, afinal, Maysa era Monjardim, descendente do Barão

Ver Artigo
A Grandeza de Luiz Buaiz - Por Dr. Arnaldo Ferreira e Dr. Jorge Abikair

Pai maravilhoso, amigo desinteressado, excelente médico, uma pessoa simples. Assim o médico Arnaldo Ferreira, ginecologista e obstetra, define Luiz Buaiz

Ver Artigo
Prefácio do Livro - Luiz Buaiz, biografia de um homem incomum

Luiz Buaiz fez da Medicina um apostolado. Ele é um médico humanitário, que atenua e cura doenças sem pensar em outra recompensa que não seja o bem-estar do paciente

Ver Artigo
Wanthuyr José Zanotti

De Itaguaçu, de onde saíram grandes empresários, WANTHUYR sempre encontrou nos pais Cezar Zanotti e Josefina Moscon Zanotti o incentivo para buscar uma melhor posição na vida 

Ver Artigo
Victorino Teixeira Netto

VICTORINO TEIXEIRA NETTO, já influenciado por seu pai DAVID TEIXEIRA, construtor civil e incentivado por sua mãe dona Adosinda Malbar Teixeira, funcionária pública federal

Ver Artigo