Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Lembranças da maria-fumaça

Maria Fumaça - Acervo: CVRD

Texto: Edson Quintaes

Trabalhei na Vale de NOVEMBRO DE 1961 a NOVEMBRO DE 1997. Exatamente 36 anos.

Quando eu viajava na Maria Fumaça, muitas vezes tinha a roupa furada por pedaços de brasas que saiam da chaminé da locomotiva. A roupa não chegava a pegar fogo, mas fazia uns buraquinhos....

Nas vezes seguintes, eu não deixava mais a janela aberta... para não ter a calça com pequenos furos feitos pelas minúsculas brasas que saíam da chaminé da locomotiva e entravam pelas ditas janelas...

Coisas da nossa saudosa "Maria Fumaça"... hoje sinceramente sinto saudades daquelas viagens... levando meu acordeom para tocar em Aimorés, Governador Valadares... as refeições feitas nas janelas, o trem balançando e aquela fumaça vez por outra entrando pelas janelas... aquele feijão com arroz, fritas e ovos... a garrafa de refrigerante balançava, balançava... mas não caía... sempre em pé... ! ! ! e vez por outra o apito da locomotiva... sinto saudades daqueles momentos!

Links Relacionados:

 Estrada de Ferro Vitória a Minas 
 A maria-fumaça sai de cena
 
 Museus do ES
 



GALERIA:

📷
📷


Matérias Especiais

Glória e Garoto

Glória e Garoto

Quem mora no bairro da Glória, em Vila Velha, tem muita história para contar: todos os dias, atividades rotineiras são marcadas pelo apito da Fábrica de Chocolates Garoto. No primeiro toque, é hora de ir para a escola. Ao meio-dia, hora do almoço

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Jerônimo Monteiro - Capítulo XVI

Fazia-se o desembarque de passageiros, em escaleres e lanchas pequenas que atracavam às escadas dos navios

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro - Capítulo II

Na foto ilustrativa, o casal Francisco de Sousa Monteiro e Henriqueta Rios de Sousa, pais de Jerônimo Monteiro (fim do séc. XIX). APEES — Coleção Maria Stella de Novaes

Ver Artigo
Saudações - Fernando Antonio de Oliveira

Carta endereçada ao escritor Walter de Aguiar Filho, autor do livro "Krikati, Tio Clê e o Morro do Moreno", pelas lembranças que nos traz sobre Vila Velha de outrora e pelo alerta sobre a identidade e cultura do canela-verde. Confira!

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VIII (FINAL)

Cristóvão Jaques foi o único que fez reconhecimentos e assentou padrões, conforme estão de acordo todos os cronistas e historiadores, estando por isso provado ser ele o primeiro que reconheceu a costa da província do ES

Ver Artigo
Estudos sobre a descoberta da Província - Parte VII

Com a chegada e desembarque, na província do Espírito Santo, do donatário Vasco Fernandes Coutinho, a 23 de maio de 1535, temos finalizado a notícia dos navegantes que tocaram ou não nas costas desta província

Ver Artigo