Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Livro sobre Carlos Lindenberg

Foi lançado o 25º volume da coleção Grandes Nomes do Espírito Santo, focalizando a biografia do ex-governador e ex-senador Carlos Lindenberg. O prefácio é do filho do homenageado, Cariê Lindenberg. A coleção tem como coordenador editorial o jornalista Antonio de Pádua Gurgel.

Publicado originalmente em 2000, sob o título Dr. Carlos: Um Homem do Campo e sua Relação com o Poder e com uma tiragem limitada, o livro foi reeditado e passou a integrar a coleção que fala sobre a vida e a obra de figuras que marcaram a história do Estado, coordenada pelo próprio Gurgel.

A biografia nasceu da vontade de se revelar o lado humano, pouco divulgado, do homem que por duas vezes governou o Espírito Santo, de 1947 a 1950 e de 1959 a 1962, e foi senador e deputado federal, conforme explica Carlos Fernando Monteiro Lindenberg Filho, o Cariê, secretário-geral do Conselho de Administração da Rede Gazeta.

Carlos Fernando Monteiro Lindenberg nasceu em Cachoeiro de Itapemirim, na Fazenda Monte Líbano, em 13 de janeiro de 1899. Era de poucas palavras e, em vez de grandes discursos, preferia as ações, como ressalta Antonio Gurgel. Aos 21 anos, candidatou-se a prefeito de sua terra natal, ficando em segundo lugar.

Homem do campo, ocupou o cargo de secretário da Fazenda e da Agricultura, nos anos 30, tendo vislumbrado novas técnicas agrícolas, a mecanização da lavoura e a seleção de espécies para os rebanhos. Chegou a se manifestar contra a obrigatoriedade de trabalhadores rurais servirem o Exército: "O trabalho na lavoura é mais importante do que nas Forças Armadas".

No prefácio, Cariê destaca que um dos traços mais marcantes de seu pai foi o indiscriminado respeito pelas pessoas de qualquer cor, sexo, idade, religião, partido político ou situação econômica. Ele ouvia sempre a todos e muito, com igual paciência e atenção, especialmente antes de tomar suas decisões.

Viveu quase duas décadas, depois disso. Aos 91 anos, sucumbiu a um derrame, enquanto almoçava em um restaurante de Vitória, no dia 6 de janeiro de 1991.

Confira:

Antonio de Pádua Gurgel

Carlos Lindenberg
Pro Texto 248 páginas
Quanto: R$ 30

Fonte: A Gazeta

Links Relacionados:

>> Livros Capixabas




GALERIA:

📷
📷


Matérias Especiais

Reminiscência 4ª Parte – Memória da cidade de Nossa Senhora da Vitória (1936 -1956)

Reminiscência 4ª Parte – Memória da cidade de Nossa Senhora da Vitória (1936 -1956)

A pacatez vira poluição e é difícil agora recriar aquela pequenina cidade, cujo  centro era a Praça 8 e onde todos se conheciam e se cumprimentavam.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Deputados capixabas nas duas constituintes imperiais

Em 1823, tomou assento na Assembléia Constituinte brasileira, como representante capixaba, o Dr. Manuel Pinto Ribeiro Pereira de Sampaio, membro do Supremo Tribunal de Justiça, era nascido em Vitória

Ver Artigo
Zé Pretinho

Fica ali, exatamente na esquina da Aleixo Neto com a José Teixeira. Do lado de Santa Lúcia. Não tem placa que o identifique. Mas há quarenta anos toda a redondeza cohece o Zé Pretinho

Ver Artigo
E por falar em saudade

Tenho saudades do torrone, da Garoto, um tablete de docinho recoberto de chocolate e com recheio pastoso de castanha, amêndoa ou amendoim, já não me lembro mais. Só sei que era uma delícia e que guardava todas as minhas pequenas economias para comer um a casa quinze dias. Era a época do leite-mel, da pastilha forte, da groselha, do sorvete de coco verde do Michel, guloseimas,...

Ver Artigo
Origem do Carnaval no Brasil

Fomos influenciados inicialmente pelos portugueses da Ilha da Madeira, Açores e Cabo Verde, que trouxeram a brincadeira de loucas correrias. No Brasil, com a criação dos Trios Elétricos pelos baianos, uma nova caracteristica de carnaval se disseminou

Ver Artigo
A âncora da Prainha

A âncora da Praça Tamandaré que fica localizada em frente ao Fórum e a Casa da Memória na Prainha, em Vila Velha, foi presenteada pela Marinha ao município de Vila Velha

Ver Artigo