Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O Bar Globo do Zé Gordinho

Zé Gordinho foi assim, desses tipos que aparecem numa cidade chamando logo a atenção. Baixote, gorducho, tipo moreno, cabelos alisados, sempre fumando um charuto (assim como o Eurico Rezende), também sempre de branco da cabeça aos pés, usando sempre um cinto de pele de cobra, uma gravata de pele de cobra, e também sapatos de pele de cobra e os dedos cheios de anéis. Ele tinha sido mandado à Vitória pelo seu irmão Ferreira Neto e seu sócio Benício Ferreira Filho (este na época diretor do Fluminense F. Club e depois do Conselho Deliberativo do mesmo), para gerenciar a PRO-LAR, firma de Capitalização com escritório na Praça Costa Pereira, antiga Independência.

O Bar Globo estava à venda e seu proprietário, o Heitor que tinha sido garçom no Restaurante do Barão, famoso na época, ao lado do também famosíssimo Bar do Lázaro, português, bar esse que ficava na esquina da Duque de Caxias, em frente da tradicional Barbearia do Totinho, na mesma rua, foi quem vendeu ao Zé Gordinho. Pois foi nesse Bar Globo que se passaram grandes noitadas de Vitória.

 

Autor: Hélio de Oliveira Santos
Livro: Estórias de Boêmios e Outras Estórias, Vitória, 1978
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2010 

Estórias de Boêmios - Por Hélio de Oliveira Santos

Dadaio Miranda - Por Helio de Oliveira Santos

Dadaio Miranda - Por Helio de Oliveira Santos

Para quem o conheceu, lá pelos anos de 1940 à 1950 e poucos, não há necessidade de explicar quem e como era Dadaio Miranda

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Tipos populares de Vitória antiga

Rainha das FloresAgapitoMeio-FioOtinhoDr. AgaDeixa que eu ChutoPé de Chumbo.

Ver Artigo
Gilberto Mota e os Ovos - Por Helio de Oliveira Santos

Gilberto Mota tinha um conhecido que criava galinhas, lá para os lados de Cariacica

Ver Artigo
Francisco de Paula Nei - O maior dos boêmios

O professor, Visconde de Saboia, deu-lhe um tremendo 0, e mandou-o retirar-se da sala

Ver Artigo
Olympio Brasiliense e as Brahmas

Certo dia estávamos jogando "buraco" no antigo Bar Glória, na nossa saleta reservada

Ver Artigo