Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O Megatério de Cachoeiro

Megatério

A descoberta de uma ossada de animal pré-histórico, encontrada em fevereiro de 1973, numa propriedade rural do Alto do Gironda, está despertando grande interesse e curiosidade no Espírito Santo.

Cinco dos ossos maiores, levados para estudos no Departamento Nacional de Produção Mineral, foram considerados bastantes para identificação do animal, pertencente ao grupo zoológico dos tamanduás e tatus: megatério, uma preguiça terrícola gigante, espécie que viveu na América do Sul e foi extinta há uns dez mil anos, justamente quando os primeiros homens atingiram o território brasileiro.

Corpo volumoso como o de um elefante, com mais de dois metros e meio de altura no dorso e cinco metros de extensão, da cauda à cabeça, o megatério é um mamífero desdentado. Ganhou tal classificação por apresentar apenas uns poucos dentes maiores que medem dezessete centímetros de comprimento por mais de quatro centímetros de lado. Herbívoro, alimenta-se de folhas, brotos, ramas menores e caules novos de gramíneas. Comia ereto, usando os dedos como garras para apoio nas árvores, sustentando o pesado corpo no tripé dos pés traseiros e grossa cauda. Lerdo no andar, pacato, inofensivo e indefeso, podia ser facilmente encurralado, nas cavernas, pelos caçadores, servindo como reserva de carne fresca.

Em 1889, os paleontologistas do Museu Nacional do Rio de Janeiro recolheram, numa caverna em Jacobina, na Bahia, os ossos de um exemplar completo dessa preguiça gigante e o seu esqueleto, montado, ainda se conserva para visitação pública, no referido Museu.

Sabe-se que nos tempos imediatamente anteriores à época geológica atual, os megatérios foram abundantes no Brasil. Os seus ossos têm sido encontrados desde o Acre ao Rio Grande do Sul e em todas as ocasiões despertam a curiosidade popular e dos cientistas.

A recomposição e montagem do esqueleto do Alto Gironda, no Cachoeiro, estaria muito dificultada pelas condições da escavação em terreno alagado.

E assim se perdeu valioso elemento para a cultura das nossas origens.

 

 

Fonte: De Vasco Coutinho aos Contemporâneos, 1977
Autor: Levy da Rocha
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2011



GALERIA:

📷
📷


Curiosidades

Monografia sobre o Morro do Moreno

Monografia sobre o Morro do Moreno

Vamos ajudar o Douglas Barcellos de Oliveira a finalizar a sua monografia sobre o Morro do Moreno? É só responder o questionário e enviar!

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A guerra do sete dias – Por José Costa

Viajei num raio ao passado e desci no jornal 7 Dias, onde conheci o estoicismo, cada edição era uma história, um desafio, uma prova de obstáculos

Ver Artigo
Folha do Povo – Por José Carlos Fonseca

Falo da Vitória do final dos anos 40 e da década de 50

Ver Artigo
O Cine Cici do Seu Tinininho – Por Átyla de Freitas Lima

A casa onde funcionava o Cine Cici era um salão grande, coberto de zinco, na Rua 23 de Maio 

Ver Artigo
Cimento e Ferro – Por Paulo Vasconcellos

O edifício Gloria e a Casa de Saúde dizem da transição da arte moderna, ainda com influencias de Luiz XVI

Ver Artigo
Russo era o barão da monazita de Guarapari

Um só homem foi acusado de ter faturado milhões de dólares em Guarapari com a extração de areia monazítica praticamente de graça, durante quase 30 anos

Ver Artigo