Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

O Porquê do livro - Memória do Menino... e de sua Vila Velha

Capa do Livro do Seu Dedê

Desde cedo me interessei por história. No primário, nosso querido professor Ernani Souza, diretor do Grupo Escolar Vasco Coutinho, empolgou a nossa classe com as maravilhosas histórias do descobrimento do Brasil e da América.

Um painel com o Mapa Mundi era estendido na parede e, nele atento, acompanhava a narrativa da travessia do Atlântico pela armada de Pedro Álvares Cabral, em destino ao Brasil.

Nos anos 80, atendendo necessidade de ofício, realizei pesquisas sobre o nosso Estado. Frequentei com assiduidade a Biblioteca e o Arquivo Nacional do Rio de Janeiro, a Biblioteca do Museu Imperial de Petrópolis, as bibliotecas e os arquivos do nosso Estado, de Brasília, de São Paulo, de Salvador e do Recife.

Adquiri alguns livros raros e alguns exemplares da "Reconquista do Brasil", da editora Itatiaia.

Ao aposentar-me, ajudei a fundar a Casa da Memória de Vila Velha, tendo como presidentes Átyla Freitas Lima e eu.

Há alguns anos, a Casa da Memória recebeu e aceitou a admissão de jovens entusiastas, membros que imprimiram novo e auspicioso ritmo de trabalho, modernizando-a e tornando-a mais acessível ao público canela-verde.

A nova presidência da Casa reiniciou as entrevistas com os moradores que viram e viveram Vila Velha no decorrer do século XX. Convidado a prestar depoimento sobre o desenvolvimento e os costumes de Vila Velha do meu tempo, aceitei e resolvi, talvez por timidez, dar o depoimento por escrito, em vez do oral. Aceitaram e passei a relatar o que em mim se encontrava na memória.

Ao lerem, e atendendo aos incentivos dos mesmos, aceitei abrir meu coração e apresentá-los às minhas memórias.

Hoje, apoiado pelo Instituto Histórico e Geográfico do Estado do Espírito Santo, a Casa da Memória é: “Instituto Histórico e Geográfico de Vila Velha”.

Espero não desapontá-los...

Edward

Conheça alguns textos do livro do Seu Dedê (como carinhosamente ele era chamado)

 

http://www.morrodomoreno.com.br/materias/praia-da-costa-por-seu-dede.html

http://www.morrodomoreno.com.br/materias/pedra-do-cruzeiro-seu-por-dede.html

http://www.morrodomoreno.com.br/materias/barra-do-jucu-por-seu-dede.html

http://www.morrodomoreno.com.br/canais/personalidades-capixabas

http://www.morrodomoreno.com.br/materias/antonio-bezerra-de-faria-por-seu-dede.html

http://www.morrodomoreno.com.br/materias/o-matadouro-de-vila-velha-por-seu-dede-.html

 

 

Fonte: Memória do Menino... e de sua Vila Velha – Casa da Memória Instituto Histórico e Geográfico de Vila Velha-ES, 2014
Autor: Edward Athayde D’ Alcântara
Compilação: Walter de Aguiar Filho, junho/2020

Vila Velha

Vila Velha, cidade nova

Vila Velha, cidade nova

De repente, a partir de agosto de 1989, as praias do Canto e da Costa se tornaram próximas, permitindo trabalhar numa cidade e morar na outra, incluindo a volta para o almoço...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Festa da Penha – Por Edward Athayde D’Alcântara

A dispersão do povo residente em Vitória ou ao longo da linha de bondes ia até a madrugada; o bonde funcionava 24h

Ver Artigo
Antônio Francisco Athayde – Por Seu Dedê

Doutor Antônio Francisco de Athayde foi prefeito de Vila Velha no período de 1918 a 1921

Ver Artigo
Vila Velha, a Cidade, sua História – Por Seu Dedê

O geólogo canadense Charles Frederick Hart, visitou Vila Velha no ano de 1865

Ver Artigo
Toca – Por Seu Dedê

Depois de Ernesto Goggi David vinha o terreno e residência de Gil Bernardes da Silveira

Ver Artigo
Abissínia – Por seu Dedê

Não se diria que era um bairro. O lugar hoje é conhecido como Rua Araribóia, fica logo atrás do Cemitério Municipal

Ver Artigo