Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Os filhos de Luiz Barbosa Leão

Judith Leão Castello Ribeiro, a primeira mulher a ser admitida na Academia Espírito-santense de Letras é neta de Miguel Barbosa Leão

Luiz Barbosa Leão, de seu casamento com Vitória Maria, falecida a 15 de novembro de 1915, teve quatro filhos: - Miguel, Maria da Conceição, Rosa da Conceição, Luiz e Grata da Conceição, sobre os quais conseguimos os seguintes informes:

1)  Miguel Barbosa Leão, desde cedo, se revelou um espírito curioso, ativo. O Imperador Pedro II, em suas viagens pelo interior do Espírito Santo, em 1860, visitando a escola pública da Serra, escreveu com referência ao aluno Miguel: “Lê bem; mas pronuncia mal por causa do lábio leporino; respondeu bem em gramática; acha bem o 4º termo d’uma proporção, e acha igualmente a d’uma regra de 3 composta, estuda já há 4 para 4 anos; mas nesta há 3 meses”. Adiante acentua que o mesmo aluno, entre os demais, é o de melhor letra. O Imperador, na ocasião, manifestou desejo de levar a criança até o Rio para que, ali, às suas expensas, fosse operado, o que só não o fez porque, durante o almoço que, na Serra lhe fora oferecido pelo Major Pinto Loureiro, este insistiu em afirmar que dita criança tinha pais ricos, não necessitando, assim, da ajuda imperial. Miguel, já adulto, operou o lábio leporino na própria Serra.

Miguel Barbosa Leão, industrial, abolicionista e republicano, chegou a ter seríssimos atritos com o pai, de quem divergia em questões políticas. Casado com Ana Maria da Conceição Santos, faleceu aos quarenta anos, vitimado por doença cardíaca, deixando os seguintes filhos menores: Maria Grata, Heródoto, Aristóbulo e Kosciuszko e Miguel, então criados na casa dos avós paternos. Maria Grata, casada com João Dalmácio Castelo, deixou descendência ilustre. É mãe da escritora, parlamentar e educadora Judith Leão Castello Ribeiro, a primeira mulher a ser admitida na Academia Espírito-santense de Letras. Aristóbulo, Kosciuszko e Miguel, além de beleristas, se tornaram conhecidos como educadores.

2)  Maria da Conceição (Moça Mariquinha), ainda muito jovem, despertou grande paixão a um oficial do Exército, então encarregado de, na Serra, recrutar voluntários para a Guerra do Paraguai. O moço desejava casar-se com ela, mas os Barbosa Leão se opuseram, tenazmente, a tal pretensão. Moça Mariquinha faleceu, tuberculosa, exatamente no dia em que completou trinta anos. Pouco antes de entrar em agonia, cantou, com voz firme, o Magnificat, surpreendendo aos que a assistiam, visto sua extrema debilidade. Dito militar, cujo nome não conseguimos anotar, terminada a guerra, retornou àquela cidade, na esperança de reencontrar-se com a namorada, já então falecida. Foi o que nos contaram.

3)  Rosa da Conceição (Moça Rosinha – 1853 – 1930) casou-se com José Cláudio de Freitas Rosa Júnior, irmão do escritor e jurista espírito-santense Afonso Cláudio. Era mãe de Monsenhor Luiz Cláudio de Freitas Rosa, professor, parlamentar, vigário geral da então Diocese do Espírito Santo, pessoa popularíssima não só em Vitória como em todo o Estado, já falecido.

4)  Luiz Barbosa Leão Filho faleceu aos dez anos de idade. Contam que era sujeito a constantes visões sobrenaturais. Seu corpo, após anos de sepultado, conservou-se em estado de mumificação, sendo conduzido, em urna especial, para a Matriz da Serra, a pedido da população local.

5)  Grata da Conceição (Nhãzinha – 1873 – 1953) era casada com o professor João Loyola Pereira Borges, nome dos mais respeitáveis do magistério espírito-santense. Deixou descendência numerosa.

A casa azulejada da Serra, levando-se em conta a modernização da cidade, tende a desaparecer, já que quase todos os sobrados e casas ali vêm sendo demolidas, impiedosamente. Mantem-se ainda de pé, graças, unicamente, ao Sr. Luiz Leão Borges, que residindo em Vitória, lá costuma passar os fins-de-semana, conservando assim, embora precariamente, a propriedade dos avós maternos.

 

Fonte: Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo. Nº 31/33. Ano 1980/ 1982
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2011

 

 


 

 


Genealogia Capixaba

GENEALOGIA CAPIXABA

GENEALOGIA CAPIXABA

Confira as árvores genealógicas de alguma famílias capixabas.

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Quem era Luiz Barbosa Leão - Por Elmo Elton

Luiz Barbosa Leão, veio para o Brasil com dezoito anos, a conselho de dois tios: Dom Antônio Barbosa Leão, bispo do Porto e José Barbosa Leão, médico cirurgião, político, jornalista e filósofo 

Ver Artigo
A Casa azulejada da Serra – Os Barbosa Leão

Já tivemos oportunidade de apreciar, em cidades do Espírito Santo, duas casas com fachadas revestidas de azulejos portugueses. Apenas duas. Uma delas situava-se bem no centro de Guarapari. Foi demolida, recentemente. A outra, ainda de pé, na vizinha cidade da Serra, foi construída em 1873, por Luiz Barbosa Leão

Ver Artigo