Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Os partidos políticos no ES

Jones dos Santos Neves e Getúlio Vargas na inauguração da Ponte Getúlio Vargas em Linhares, ES

No Espírito Santo, o movimento de redemocratização coincidiu com o observado em nível nacional. Em janeiro de 1943, o interventor João Punaro Bley foi demitido do posto e substituído por Jones Santos Neves. Este era um político espírito-santense ligado aos grandes cafeicultores e com profundos laços de lealdade a Vargas.

O interventor Jones Neves foi o articulador político, no Estado, do processo de transição para a democracia. Durante o seu governo, as legendas partidárias começaram a ser formadas.

Como era de se esperar, o pluripartidarismo instalado no país por Getúlio Vargas reproduziu-se no Espírito Santo. Cinco grandes forças partidárias aglutinaram os diversos segmentos sociais, representando seus respectivos interesses:

O PSD – Partido Social Democrático – era dominado pelos “coronéis” das grandes famílias proprietárias de terras, especialmente os cafeicultores.

O PTB – Partido Trabalhista Brasileiro – reuniu os líderes sindicais da nascente classe operária urbana de Vitória, os pequenos empresários e os comerciantes.

A UDN – União Democrática Nacional – era controlada por profissionais liberais: médicos, advogados e jornalistas. Agregou alguns grandes proprietários rurais não-getulistas.

O PRP – Partido da Representação Popular – agrupou os pequenos e médios proprietários de terras, especialmente das terras da colonização italiana e alemã onde foram fortes os remanescentes do integralismo.

O PSP – Partido Social Progressista – incorporou os dissidentes do PSD e da UDN.

Outros partidos de menor expressão política, também foram criados. É o caso do Partido Democrático Cristão (PDC), apoiado pela Igreja Católica, do Partido Comunista Brasileiro (PCB) e do Partido Republicano (PR). Vale mencionar, por último, a Esquerda Democrática (ED) que, com o tempo converteu sua sigla para PSB – Partido Socialista Brasileiro.

Com a queda de Getúlio Vargas do poder, caiu também o interventor Jones Neves.

No nível federal, foi mantida a data das eleições para preenchimento dos cargos políticos. No nível estadual, todavia, o calendário foi alterado: as eleições para governador e deputados foram adiadas para 1947, quando estaria elaborada a Constituição Federal e, portanto, definido o cenário político nacional.

Isso posto, entende-se por que de 1945 a 1947 houve uma instabilidade política no governo capixaba. De uma data à outra, quatro interventores administraram o Estado. Tratando-se de administrações transitórias, não fizeram grandes realizações ou mudanças.

Em março de 1947, eleito por voto direto, Carlos Fernando Monteiro Lindemberg, do PSD, foi empossado como governador do Espírito Santo. Abria-se um novo período da história republicana no Estado, marcada pela continuidade do predomínio de forças econômicas e políticas ligadas à agricultura. O “monteirismo”, ou seja, o “coronelismo” renascia das cinzas com todo força.

 

Fonte: HISTÓRIA DO ESPÍRITO SANTO – UMA ABORDAGEM DIDÁTICA E ATUALIZADA 1535 – 2002
Autor: José P. Schayder
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2012 



GALERIA:

📷
📷


História do ES

Guarapari em 1862

Guarapari em 1862

Ilhotas à entrada do porto do seu nome, entre elas podem passar navios pequenos. Porto formado pelo mar. Nas marés grandes tem na preamar 26 palmos de fundo, e na baixa-mar 19. O fundo marcado é o de um banco de areia para dentro dos pontais

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Panorama da cultura capixaba

O historiador Renato Pacheco explica que o Estado passou 350 anos fechado a qualquer tipo de progresso

Ver Artigo
Censo de 1940

As jazidas calcárias no Espírito Santo estão encravadas nas formações arqueanas do sul do Estado e pertencem à província metalogênica da serra do Mar

Ver Artigo
O primeiro mapa do Espírito Santo

É de justiça assinalar o levantamento, em 1612, da primeira carta geográfica do território capixaba, por Marcos de Azeredo

Ver Artigo
Mário Aristides Freire – Secretário da Fazenda (1930-1943)

Distingue-se, na obra administrativa desses doze anos, a atuação do secretário da Fazenda – Mário Aristides Freire. 

Ver Artigo
Chácara do Vintém - Por Elmo Elton

No governo de Florentino Avidos, desapropriados os terrenos da Chácara do Vintém, foram abertas as ruas Deocleciano de Oliveira, Aristides Freire e do Vintém, as três com entrada pela Graciano Neves

Ver Artigo