Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Paneleiras

Paneleira

Goiabeiras e paneleiras não é apenas uma rima, é muito mais. As duas se moldam e se fundem. Sem Goiabeiras não há paneleira e vice-versa. São essas mulheres humildes, que se encarregam de preservar essa tradição secular, herdada dos indígenas, e que hoje é, sem dúvida, o mais importante manifestação cultural capixaba.

É também a fonte de renda de mais uma centena de pessoas, que diariamente se concentram no galpão de Associação das Paneleiras de Goiabeiras, criada em 15 de março de 1987, e nos quintais de muitas moradias; dali tiram seu sustento e o sustento dos filhos. Não é muito, mas em épocas boas o faturamento mensal pode chegar a R$ 500,00.

A panela de barro pode ser feita com diversas técnicas de cerâmica. No Espírito Santo a cerâmica de Goiabeiras se destaca em função da persistência de sua técnica de confecção, por ser utilitária e pelo uso de matérias-primas naturais.

A produção artesanal da cerâmica popular de Goiabeiras foi contínua porque sempre foi utilitária. Algumas modificações de aspecto funcional, como a colocação de alças nas laterais das panelas, detalhe raramente encontrado na cerâmica indígena, deve ter isso a solução encontrada pelas paneleiras para o uso das panelas de barro em fogões e posteriormente para o uso em mesas.

As panelas de barro de Goiabeiras são feitas utilizando diversos elementos naturais e artificiais e procedimentos técnicos específicos. A argila é extraída de um barreiro do Vale do Mulembá, no bairro Joana D’Arc, em Vitória. Essa argila foi formada pela decomposição de rochas gnáissicas misturadas, com argilitos, micas e outros elementos.

 

Fonte: Goiabeiras – Coleção Elmo Elton, 2000
Autor: Nilo de Mingo Jr.
Compilação: Walter de Aguiar Filho, abril/2012 

Folclore e Lendas Capixabas

A Pedra da Ema – Por Maria Stella de Novaes

A Pedra da Ema – Por Maria Stella de Novaes

A Pedra da Ema é assim chamada porque, na sua crosta, existe uma parte, ou mancha, esbranquiçada que parece retratar uma ave pernalta

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Turismo do Espírito Santo - Por Aloísio Santos

A chave maravilhosa, que abrirá suas portas para o Brasil e para o mundo, é ainda e será sempre o turismo. Era o que tinha para dizer, Srs. Deputados

Ver Artigo
Fantasmas no Adro Esquecido – Por Adilson Vilaça

Nossa Senhora da Conceição disse que não. Fez ouvidos moucos ao derradeiro ofício e recusou-se ir para a igreja do Rosário dos Homens Pretos

Ver Artigo
Juparanã – Por Maria Stella de Novaes

A Lagoa Juparanã está saturada de fantasia, criada pela imaginação do povo, e que se tem perpetuado, através das gerações

Ver Artigo
A Pedra da Ema – Por Adelpho Monjardim

Em Burarama, Município de Cachoeiro de Itapemirim, situa-se a Pedra da Ema, notável pelo fenômeno que ali se processa

Ver Artigo
As minas do Castelo- Por Adelpho Monjardim

Atribui-se aos jesuítas, ainda no Século XVII, o desbravamento do território do Município de Castelo

Ver Artigo