Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Pecado é não provar

Moqueca Capixaba

“Moqueca é a capixaba. O resto é peixada.” A frase ganhou reconhecimento em todo país e reflete com perfeição a importância dos peixes e mariscos na culinária capixaba. Não é à toa que a moqueca, ao lado da torta capixaba e da casquinha de siri, são os pratos mais procurados nos restaurantes de Vitória especializados em frutos do mar.

Essa preferência vem de longe. “Há uns 40 anos surgiram os primeiros restaurantes que serviam moqueca em Vitória. Principalmente na região da Praia do Suá, tradicionalmente habitada por pescadores”, explica a chefe de cozinha, Isaura Pinho Caliari, pesquisadora da culinária capixaba. Também figuram na lista dos preferidos o camarão, a lagosta e o bacalhau. “São pratos mais sofisticados, mas que fazem muito sucesso entre os moradores e turistas”, explica Isaura.

Segundo Isaura Caliari, a partir da década de 70, Vitória recebeu muitas pessoas vindas de outros estados e a culinária ficou diversificada. Hoje, o churrasco gaúcho faz parte do tradicional almoço de domingo. Assim como a pizza e a macarronada alegram as noites de sábado. E não para por aí. A colônia árabe fez crescer entre a população o gosto pelo quibe cru e o carneiro com molho de ortelã. E há opções até para quem aprecia a requintada cozinha francesa.

 

Moqueca Capixaba com Pirão

 (para seis pessoas)

 

Ingredientes:

 2 kg de peixe fresco (badejo, papaterra, pargo, robalo)

4 a 5 maços de coentro

4 maços de cebolinha verde

2 cebolas brancas (pequenas)

Tomate a gosto

2 Limões

Azeite doce, colorau e pimenta a gosto

 

 Modo de fazer:

Limpe bem o peixe, corte-o em postas e deixe-o em uma vasilha com sal e o suco de limão.  Conserve assim pelo menos por uma hora. Separe a cabeça para o pirão. Utilizando uma panela de barro grande, coloque: 2 colheres de óleo, uma de azeite doce (se preferir pode colocar mais de uma”, cebola verde, cebola branca, coentro (tudo bem picadinho), tomate (que pode ser picado em rodelas) e o colorau. Em seguida arrume as postas de peixe e repita a camada de temperos picados. Não adicione água ou sal. Cozinhe em fogo brando e quando abrir fervura coloque uma poucas gotas de limão. Não espere ferver, caso contrário o peixe endurece. Tampe. Espere uns 10 minutos e experimente o sal. Para o pirão o processo é o mesmo. Depois de cozida a cabeça acrescente água fervendo e deixe que a carne cozinhe até quase desmanchar. Retire os ossos, experimente o sal e acrescente farinha, mexendo sempre para não embolar.

 

Fonte:  A Gazeta - Vitória 450 anos – Revista publicada em 09/09/2001
Compilação: Walter de Aguiar Filho, julho/2012

Culinária Capixaba

Culinária, identidade cultural de um povo

Culinária, identidade cultural de um povo

A mandioca não é herança africana. É da terra Brasil. No Espírito Santo, o resultado do aproveitamento da mandioca foi passado ao colonizador português, ao africano, aos imigrantes alemães e italianos e a muitos outros

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Origem da Torta Capixaba no ES

Há registro em a Gazeta da Victoria, edição de 28 de março de 1878, divulgava-se: “aos amantes das Tortas. Camarões secos na casa de negócio Casilhas, à rua de São Diogo”

Ver Artigo
Culinária Capixaba - CALDEIRADA

Parafraseando o escritor Deomar Bittencourt, nós, no Espírito Santo, achamos que só quem sabe preparar peixe é o capixaba

Ver Artigo
Receita da Moqueca Capixaba

A moqueca capixaba é um prato conhecido no país inteiro pelo seu sabor. O prato que é a cara do Espírito Santo!

Ver Artigo
Moquecas e peixadas – Por Cacau Monjardim

Do hábito indígena de "moquear" o peixe, nossos antepassados, de pai para filho, foram melhorando a técnica de preparo

Ver Artigo
Agora saberemos quem serve peixada

Moqueca capixaba vai ter receita unificada e até selo de qualidade. Projeto também quer transformar o prato em tradicional patrimônio imaterial

Ver Artigo