Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Percival Farquhar (História da VALE)

Reunidos no Pico do Cauê, em 1935, estão o presidente da Itabira Iron Ore Co. Percival Farquhar (4º da esquerda para a direita), ao seu lado, o administrador sr. Thomas Charlton, e o geólogo alemão dr. Grosse (de paletó claro)

Percival Farquhar

 

Nascido em berço de prata, pode-se dizer que a vida de Percival Farquhar (York, Pensilvânia, 1864 - Nova York, 1953) parece ter sido escrita por um roteirista de imaginação fértil.

Americano de família quaker (protestantes adeptos da vida reservada e da pureza moral e religiosa), Farquhar era oriundo da aristocracia industrial, numa época em que o acesso às finanças foi fundamental para a organização e a consolidação de empresas que, em poucos anos, se transformariam em impérios. O jovem empreendedor formou-se em Engenharia, deixou as tradições para trás e, como previsto, fundou um império capitalista e ganhou o mundo.

Construiu estradas de ferro na Guatemala, em Cuba e na Rússia, onde negociava contratos diretamente com Lenin. No Brasil, entre diversas empreitadas, fundou a Rio de Janeiro Tramways, Light and Power (precursora da Light S.A.); envolveu-se na fracassada construção da ferrovia Madeira-Mamoré, no atual Estado de Rondônia; ergueu o belo Grand Hotel La Plage (o primeiro com telefones nos quartos, em 1921), no Guarujá (SP); arrendou a Sorocabana Railway Company; e, finalmente, comprou a Itabira Iron Ore Company, incorporada à Companhia Vale do Rio Doce na sua fundação, em 1942.

Com as idas e vindas do Código de Minas no Brasil, fez inimigos históricos – como o ex-presidente Arthur Bernardes – e companheiros de vida toda – como o empresário Assis Chateaubriand, a quem financiou a fundação de O Jornal, em 1924. Também criou a Companhia Aços Especiais Itabira (Acesita), em 1946.

 

Fonte: Vale 70 anos: Nossa História, 2012
Compilação: Walter de Aguiar Filho, junho/2013

Portos do ES

Pedro Nolasco

Pedro Nolasco

Pedro Augusto Nolasco Pereira da Cunha, conhecido como Pedro Nolasco, nasceu em 14 de junho de 1865, em Niterói (RJ). Era engenheiro, e quase todas as suas atividades estavam voltadas para o setor de infraestrutura: indústrias, manufaturas, portos, estradas de ferro, construção civil, entre outras...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A História do Porto de Vitória

A cidade cresceu e passou a ter uma paisagem inédita: os grandes navios que “passeiam” na avenida.

Ver Artigo
A criação da Vale - Parte III (História da Vale)

A CVRD seria constituída como uma sociedade anônima, de economia mista, com capital inicial de 200 mil contos de réis. Sua diretoria seria composta por cinco membros: um presidente e dois diretores de nacionalidade brasileira e mais dois diretores norte-americanos

Ver Artigo
A criação da Vale - Parte I (História da Vale)

Em 1º de junho de 1942, o Brasil estava imerso em uma crise institucional que tinha como ponto central a decisão sobre a entrada do país na Segunda Guerra Mundial

Ver Artigo
A criação da Vale - Parte II (História da Vale)

Firmados em 3 de março de 1942 e tendo como signatários os governos do Brasil, da Inglaterra e dos Estados Unidos, os Acordos de Washington definiram as bases para a organização, no Brasil, de uma companhia de exportação de minério de ferro

Ver Artigo
Corredor de Transportes, impulso para crescer

Corredor de Transportes, Uma ferrovia, sete portos e uma esperança

Ver Artigo