Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Pessimismo de Mem de Sá para com Vasco Coutinho

Vasco Fernandes Coutinho - Primeiro Donatário da Capitania do ES

O governador geral já tinha elementos para julgar a situação do senhorio de Vasco Coutinho e não vacilou em transmitir seu ponto de vista ao soberano: “O perigo que esta terra agora pode ter hee ter capitão tão velho e pobre e nisto vera Vossa Alteza que os armadores são os nervos do brasil / e a capitania que os não tiver senão podera sostentar”.(1)

Tão certo estava o missivista de que o estado precário da capitania decorria da falta de capitais e da própria pessoa do seu donatário que chegou mesmo a aconselhar: “Pareceme que Vossa Alteza devia de tomar esta terra a vasco fernandez e logo mandar a san tome [?] e dar aos homens ricos que para ca querem vir as omras que pedem e embarcação e mandar alguns a esta capitania / outros ao espirito santo e conceder privilegios de novo inda que estem jaa no foral aos que ca quiserem vir”.(2)

Sede do governo do sul? – Iam além, muito além, os planos de Mem de Sá. Propunha-se a vir assentar outra cidade aqui na capitania, parecendo-lhe “co a ajuda de deos que em pouco tempo a ei de fazer tal como esta no salvador / a outra será do espirito santo”. Reforçando os argumentos, acenava com a possibilidade de “asi segurarse a a terra de todo do gentio: e dos frances: os quaes esta muito certo que em podendo hão de vir fazer salto ahi: / e mais são para arrecear”.(3)

Sabia arrazoar o senhor governador. Mas foi em pura perda o trabalho, pois a Coroa não deu ouvidos à cantilena.

 

NOTAS

(1) - Carta, I, 225.

(2) - Carta, I, 225.

(3) - Carta, I, 225.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, maio/2017

Vasco Fernandes Coutinho

Empresa difícil, homens de fibra

Empresa difícil, homens de fibra

Vasco Coutinho em busca de recursos. Em Lisboa ficou hospedado em uma casa na Rua do Barão de  Alvito (1540)

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Pobre Vasco! - Por Francisco Aurélio Ribeiro

Enfim, passa da hora de reabilitar o nome de Vasco F. Coutinho e de lhe fazer justiça

Ver Artigo
Vasco da Glória - Francisco Aurélio Ribeiro

Frei Vicente do Salvador, em sua História do Brasil, de 1600 e pouco, afirmou que Vasco Fernandes Coutinho morreu pobre e abandonado

Ver Artigo
Vida Escolar – Grupo Escolar Vasco Fernandes Coutinho (2ª Parte - final)

Em 1931, surge o Grupo Escolar “Vasco Coutinho”, pelo Decreto n° 1.720 de 23 de outubro. O diretor de então era Flávio Moraes. Em 1932 é iniciada a construção do prédio atual da escola

Ver Artigo
No princípio – Por Mário Freire

A “Glória”, a caravela de Coutinho, permitiu-lhe trazer 60 companheiros. Entre esses, o fidalgo D. Jorge de Menezes e Simão de Castelo Branco

Ver Artigo
Os primeiros Jesuítas do ES - Por Mário Freire

A fundação dessa confraria ou irmandade justifica ser a Misericórdia do Espírito Santo, da qual Anchieta foi capelão, uma das mais antigas do Brasil

Ver Artigo