Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Poloneses no ES

Colonização Polonesa

Não foi diferente a situação enfrentada pelos poloneses: os mesmos desafios que este Novo Mundo lhes oferecia.

Isolamento, dificuldade de adaptação, recursos escassos, decepção com o governo brasileiro pela falta de colaboração.

A floresta tropical era assustadora: animais ferozes, as cobras aterrorizavam.

Em resumo: Os mesmos problemas eram enfrentados pelos alemães, pomerânios, italianos e demais povos que para cá vieram em busca de terrenos férteis e riquezas.

Localizaram-se, a princípio, na região de Águia Branca, onde o governo brasileiro lhes reservou extensões de terras.

Os poloneses chegaram a partir de meados do século XIX.

A Polônia fora devastada pela Primeira Guerra Mundial. O convite para imigrar, com a promessa de terras próprias, verdes e férteis, era irrecusável.

Instalados em galpões, só depois da localização, medição e numeração dos lotes pela administração do núcleo de colonização, os poloneses puderam dar início aos trabalhos.
Era preciso começar pela derrubada da mata, preparar a terra para o plantio. Levantavam barracas provisórias para se abrigar. Só mais tarde, construiriam as casas de alvenaria, com cobertura de telhas.

Porque tinha vindo de um país cujas guerras e rebeliões eram devastadoras, de um país de pequena extensão territorial, o Brasil lhes pareceu, apesar dos pesares, um verdadeiro eldorado. Logo iniciaram os trabalhos na lavoura. Dedicaram-se à experiência, já bem sucedida na Polônia, das pequenas propriedades agrícolas.

As primeiras cabeças de gado começaram a chegar. As lavouras começaram a prosperar.
Um dos grandes problemas era levar o s produtos agrícolas e peles de animais para vender em Colatina e arredores. Percorriam uma velha trilha, aberta pelos primeiros desbravadores. Dormiam debaixo das árvores, ameaçados pelos animais selvagens. Na volta, com o dinheiro recebido, traziam remédios, alimentos e tecidos.

A primeira igreja foi construída por iniciativa dos próprios poloneses. Católicos por tradição, a igreja foi dedicada a Nossa Senhora de Montes Claros.

Festeiros tradicionais, conservaram a polka, o mazur, o kuyawak.

Culinária

Nos ensopados de carne, é muito usada a carne de porco e a lingüiça. O chucrute é um dos pratos favoritos. E os pastéis doces são uma delícia!

 

Atualmente a cafeicultura é um sucesso e é a principal fonte de renda da região. Em segundo lugar está a pecuária. O leite e seus derivados são também produzidos e vendidos em abundância.

Os hortifrutigranjeiros são cultivados e vendidos para todo o Estado, muitas vezes ultrapassando as divisas capixabas.

A Polônia brasileira e capixaba é hoje um empreendimento de sucesso.

 

Fonte: Espírito Santo - História de suas Lutas e Conquistas
Autora: Neida Lúcia Moraes,2002
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2013

 

LINK RELACIONADO:

 Imigração no ES
 Imigrantes Libaneses 
 Pomeranos

Imigração no ES

Ingleses no Espírito Santo - Piúma

Ingleses no Espírito Santo - Piúma

Segundo informações que nos foram prestadas em 1949, pelo Sr. João Taylor, Almoxarifado do Departamento do Serviço Público, houve florescente colônia de ingleses em Piúma

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Emigrantes Portugueses de Origem Judaica - Ester Abreu

A autora fala a respeito das diásporas judaicas, os percalços desse povo para conservar seu estilo de vida e religião e da presença desse povo no Espírito Santo, oriundos de Portugal

Ver Artigo
Fotógrafo Cilmar Franceschetto pesquisa comunidade italiana

A beleza do biótipo de influência italiana é tema permanente no trabalho de antropologia visual de Cilmar Franceschetto

Ver Artigo
Imigrantes deixaram portugueses para trás

Na opinião de Renato Pacheco, lusos perderam o bonde da história e foram suplantados por uma cultura mais forte, que fez o desenvolvimento do Estado

Ver Artigo
Imigrantes criaram no ES biotipo especial

A intensidade da mistura racial capixaba resultou num biotipo diferente da população predominantemente branca e loura existente nas regiões de colonização européia no Sul do País

Ver Artigo
Ida ao Rio Doce - Imigração Americana

Família Keyes indo de encontro ao Rio Doce, onde mais tarde descobririam o caminho até Linhares, citações em relação a política governamental daquela época, como: vantagens para os imigrantes

Ver Artigo