Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Quartel de Souzel - Por Basílio Daemon

Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010

1816. Sobre a edificação do último quartel na estrada aberta desta então capitania à de Minas Gerais, e a que foi dado ao quartel o nome de Souzel, nas divisas de uma e outra capitania, e ao sul da mesma.

Tendo-lhe determinado na data de hoje que entregasse o comando do quartel de Barcelos ao alferes Domingos Cardoso Rosa, sou a determinar a V. Mcê., que como no lugar por onde passar a estrada junto das cabeceiras do rio Itapemirim deve V. Mcê. levantar o último quartel por ser este o lugar reconhecido dos limites desta capitania, e que a este se denominará naturalmente quartel de Souzel, o comando deste é que V. Mcê. deverá entregar ao dito alferes porquanto neste se precisa de um oficial não só para evitar as desordens, como para fazer os registros. Com o que acima lhe determino se não entende que naquele ponto V. Mcê. deve deixar a estrada pois a deve continuar na forma das ordens que lhe tenho dado, porém das cabeceiras do rio Itapemirim até ao primeiro fazendeiro do distrito da capitania de Minas Gerais não levantará mais quartéis, e só sim os precisos ranchos para se recolher os quais abandonará quando se retirar finda a estrada. Quando V. Mcê. vier de volta para o quartel de Bragança em cada um dos destacamentos deverá fazer uma nova e grande derribada porquanto cada um de seus comandantes não tem forças para a poderem fazer, portanto é preciso que se lhe faça, e a melhor ocasião é a da sua retirada. V. Mcê. não cessará de recomendar que se façam grandes plantações não só porque cada comandante tenha seu destacamento farto, como pelo interesse que hão de ter na venda que fizerem aos que transitarem pela estrada, e para mais lucrarem devem ter [bastantes] pastos.

Muito, e muito lhe recomendo a exata observância desta ordem.

Deus guarde V. Mcê. = Vitória oito de julho de mil oitocentos e dezesseis.(861)

Francisco Alberto Rubim.

Inácio Pereira Duarte Carneiro

* * *

Extraído do Livro 4º de portarias e ofícios do governo da então capitania do Espírito

Santo.

* * *

Tem valor este ofício portaria por marcar o ponto terminal das divisas desta capitania, depois província e hoje estado do Espírito Santo, pois que o lugar Souzel, onde naquela época foi construído o quartel, ao sul da capitania, segundo a demarcação da cachoeira das Escadinhas, no rio Doce, ao norte, junto a esta...(862)

Oferecido pelo sócio Basílio Carvalho Daemon.

 

NOTAS

(861) - Dezeis no original.

(862) - Texto truncado.

 

Nota: 1ª edição do livro foi publicada em 1879
Fonte: Província do Espírito Santo - 2ª edição, SECULT/2010
Autor: Basílio Carvalho Daemon
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2018

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Quarto Minguante – Marcondes de Souza e Bernardino Monteiro

O período de 1912 ao começo de 1920 corresponde ao princípio e ao fim da crise internacional, oriunda da primeira guerra, que rebentou em julho de 1914 e teve armistício em novembro de 1918

Ver Artigo
Jerônimo Monteiro – Urbanismo em Perspectiva

O volume de terra, material escasso na ilha de Vitória; para aterrar o banhado, não preocupou o governo de Jerônimo Monteiro 

Ver Artigo
As guerras imperiais e seus reflexos no Espírito Santo – Por João Eurípedes Franklin Leal

O Ururau era em brigue de transporte, armado com seis bocas de fogo, que próximo a barra da baía de Vitória combateu por hora e meia um barco argentino o “Vencedor de Ituzaingu”

Ver Artigo
O recrutamento do Ururau - 1827

Gravíssimo incidente abalou o Espírito Santo quando da passagem, pelo porto de Vitória, do brigue de guerra Ururau, em 1827

Ver Artigo
Finda o Governo do Primeiro Donatário - Por Mário Freire

Confiou o governo a Belchior de Azevedo, como Capitão, com os poderes e a jurisdição que o donatário exercera: firmou esse ato na "vila de N. S. da Vitória"

Ver Artigo