Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Quem era Luiz Barbosa Leão - Por Elmo Elton

Residência de Luiz Barbosa Leão

Luiz Barbosa Leão, português, nasceu em Penafiel, província do Porto, a 1º de abril de 1824. Veio para o Brasil com dezoito anos, a conselho de dois tios: Dom Antônio Barbosa Leão, bispo do Porto, conhecido pela sua inteligência e extrema bondade, como o Santo Antão de Portugal, e José Barbosa Leão, médico cirurgião, político, jornalista e filósofo de nomeada. Esses tios não queriam que o sobrinho fosse servir como soldado, tal outros rapazes de sua idade, em colônias portuguesas na África. José Barbosa Leão já estivera no Brasil. Resolveu assim, encaminhar o jovem parente a pessoa radicada em Vitória, no Espírito Santo. Essa pessoa, cujo nome não conseguimos registrar, pai do saudoso capixaba Eugênio Neto, arranjou emprego para Luiz no comércio de Vitória. O moço logo se adaptou à nova terra, ganhou algum dinheiro, casando-se com moça de família moradora em Queimado, município da Serra. Enviuvou, dois anos após casado, daí contraindo segundas núpcias com Vitória Maria, residente na localidade de Laranjeiras, também na Serra.

Luiz Barbosa Leão, de boa instrução, conhecia o Latim e o Francês, idiomas aprendidos com o tio bispo, foi político atuante. Na Monarquia, manteve-se fiel ao Imperador. Na República, elegeu-se deputado estadual, cumprindo mandato no período de 1895 a 1900. Exerceu, na Serra, entre outras funções, o cargo de Intendente, hospedando em alojamento no fundo de sua casa comercial, os primeiros libaneses chegados àquela cidade. Deve-lhe a Serra o primeiro serviço de canalização de água, trazida da Cachoeira do Ouro, no Mestre Álvaro. As tubulações vieram, sob encomenda, da Bahia. Fez construir de alvenaria, oito artísticos chafarizes hoje destruídos, em pontos diversos da mesma cidade. Esses chafarizes foram construídos pelo engenheiro Jorge Hill, que, deixando residência em Vitória, ali se instalou até a conclusão das obras.

Luiz Barbosa Leão, homem religioso, íntegro e cordial, ao fim da vida, empobreceu, já que empenhado em campanhas políticas, dissipou tudo ou quase tudo que, através de trabalho contínuo e penoso, antes conseguira economizar. Faleceu aos oitenta anos de idade, a 4 de junho de 1904.

 

Fonte: Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Espírito Santo. Nº 31/33. Ano 1980/ 1982
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, dezembro/2011

 

 

LINK RELACIONADO

 

A Casa azulejada da Serra – Os Barbosa Leão

Personalidades Capixabas

Maria Ortiz, heroína inesperada

Maria Ortiz, heroína inesperada

O prazer de Maria Ortiz era rolar pela ladeira do Pelourinho dentro de uma ancoreta vazia. Tinha nove anos nessa época. Seu pai, o espanhol Juan Orty y Ortiz, veio para o Espírito Santo em 1621

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Suspensão do AI-5 – Por Eurico Rezende

Nesse período, o País viverá sob o regime da Constituição de 1967, distante do império do Ato 5

Ver Artigo
Minha posição revolucionária – Por Eurico Rezende

Desde os primeiros preparativos, tive participação efetiva no esquema pró-Revolução

Ver Artigo
Em favor da Magistratura e do Ministério Público – Por Eurico Rezende

A União prestará a cooperação que for necessária a assegurar aos juízes e membros do Ministério Público dos Estados remuneração correspondente à relevância de suas funções

Ver Artigo
Poder Legislativo no Supremo – Por Eurico Rezende

Nada legitimava a delegação de concessão ao Pretório Excelso de atribuições privativas do Parlamento, como a de legislar sobre processo

Ver Artigo
Personalidades de Vitória – Por Wanda Camargo

Escolho, para falar aos Escritos de Vitória, uma personalidade essencial. Muitos a conheceram e poucos, como eu pois falo de um mineiro, nascido em Itaúna, a 9 de fevereiro de 1909...

Ver Artigo