Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Reminiscência 3ª Parte – Memória da cidade de Nossa Senhora da Vitória (1936 -1956)

O Mestre com o Mestre

3 – 1946 A.D.

Dezoito anos e já professor do Colégio Estadual? Sim, graças a Guilherme Santos Neves. Fundamos Antenor, Nélio, Cristiano, Rominho, Cariello e eu a Academia dos Novos que ia comandar a literatura de Vitória nos próximos cinco anos. Pesquisa de folclore, seguindo os passos de Mestre Guilherme. Em Guarapari, as primeiras namoradinhas Alice, China e Glória.

A guerra acabou, Getúlio caiu. Amor a Campinho.

Aos sábados à tarde, apoiados por Eurípedes Queiroz do Valle, vulgo Beneventino, subíamos pelo elevador do Banco de Crédito Agrícola do Espírito Santo, e, na mágica salinha do 3º andar, maravilha das maravilhas, as reuniões da Academia Capixaba dos Novos, entre os livros e quadros doados por Saul de Navarro.

Fui a Viçosa, com Auler Thomé e Renato Aguiar, e na volta dei notícia em A Gazeta, diretor Eurico Rezende, meu primeiro artigo na grande imprensa. Discutíamos com Olímpio José de Abreu o futuro incerto do Brasil. Deixei de ser um jovem que promete e me tornei uma realidade com as grandes reportagens em A Tribuna, que Pedro Lafayete incentivou. Democracia: - neste ano, promulgada a nova carta, o professor ainda ensinava direito constitucional pela carta de 1937, preguiça pura.

 

Nota do Site: O Termo A.D. juridicamente significa: A.D. perpetuam rei memoriam - Diligências requeridas e promovidas com caráter perpétuo, quando haja receio de que a prova possa desaparecer; para a perpétua memória da coisa.

Autor: Renato Pacheco
Fonte: Escritos de Vitória, 1- Crônicas, Vitória-ES, 1993
Compilação: Walter de Aguiar Filho,junho/2011

 

LINKS RELACIONADOS:

 

>> Academia Capixaba de Novos 

Literatura e Crônicas

Cemitério dos Escravos - Por Francisco Aurélio Ribeiro

Cemitério dos Escravos - Por Francisco Aurélio Ribeiro

Distante dos túmulos suntuosos dos patrões, o cemitério é marcado por um quadrado formado por quatro gigantescos cáctus, a marcar a paisagem com a memória de aridez e sofrimento por que passaram seus antigos moradores

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Réu Papagaio - Por Carminha Corrêa

O ano era 1977. O local: redação do jornal A Gazeta, na rua General Osório. Já passava das 18 horas, fechamento de edição

Ver Artigo
Colunismo

O colunista é. o leitor comum, que dispõe de um jornal para dar permanência às suas observações. Seu estilo deve ser coloquial, exprimindo reações subjetivas, como num bate-papo

Ver Artigo
A morte marca encontro no Bar do Tião

Nem só de bares da moda vivia a geração de boêmios da ilha de Vitória no final da década de 70

Ver Artigo
Paradise Bar Island Blues

Pois este é o êxtase: os milagres de ver, de ouvir, de tatear, de cheirar, de gustar de você, excelência, leitora vil, avessa do zero até onde é o mil! 

Ver Artigo
O Marrocos

Acabo de saber - mas que castigo, que acaba de fechar meu velho bar!

Ver Artigo