Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Rua Cristóvão Colombo (desaparecida) – Por Elmo Elton

Prospecto e planta da Villa da Victoria e Planta da barra, final do Século XVIII, ainda contendo a Rua Cristóvão Colombo destacada em linha amarela no mapa.

Datava do começo do século XVIII. Tinha início na Rua do Rosário e terminava na Rua Barão de Monjardim. Tortuosa, de sobrados e casas baixas, desapareceu quando das obras do Batalha, para alargamento da área onde se construiu a avenida Capixaba. Nesta artéria passavam os bondinhos puxados a burro, cuja linha, inaugurada em 1907, alongava-se da Rua do Comércio até o Forte de São João. Os bondes, em números de três, chegaram a Vitória, no paquete Olinda, por encomenda da empresa Carril-Suá, sendo o coronel Aristides Navarro o empresário de tal melhoramento.

A iluminação a gás, inaugurada a 16 de novembro de 1878, tinha seu gasômetro instalado nessa artéria, daí que muito procurada pelos usuários, sobretudo quando das suspensões de fornecimento do produto.

Da antiga Cristóvão Colombo resta um trechinho de nada, ao lado da Barão de Monjardim, sendo que uma escadaria, ao término da extinta rua, tem, agora, o nome do descobridor. A escadaria, estreita, em rampa íngreme, dá subida para o morro do Vigia.

 

Foto abaixo da matéria:

Fonte: Logradouros antigos de Vitória, 1999 – EDUFES, Secretaria Municipal de Cultura
Autor: Elmo Elton
Compilação: Walter de Aguiar Filho, outubro/2017



GALERIA:

📷
📷


Bairros e Ruas

Praia do Canto ontem e hoje (1998)

Praia do Canto ontem e hoje (1998)

Entrevista feita pelo jornal da AMPC em 1998 com Chrisógono Teixeira da Cruz que nasceu no coração de Vitória,na rua Barão de Monjardim, num tempo em que a Praia do Canto era um lugar tão distante do centro quanto Guarapari. 

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Vila Rubim

A Cidade de palha, sítio do Dr. Leopoldo Cunha, era composta de casas de sapé. Talvez a primeira favela de Vitória

Ver Artigo
Rua 23 de Maio

Era considerada, até os anos 40, como ponto nobre da cidade. Teve belas residências, destacando-se sobretudo a Vila Oscarina, palacete de propriedade de Antenor Guimarães

Ver Artigo
Rua Cais de São Francisco (ex-cais de São Francisco)

Quem passa hoje, pela rua Cais de São Francisco, fica intrigado com esta denominação. Ora, por que tal nome, se não há ali cais algum?

Ver Artigo
Rua Sete de Setembro (ex-rua da Várzea)

Partia da Prainha (largo da Conceição) e terminava na rua da Capelinha (atual Coronel Monjardim), hoje se alongando até a Fonte Grande

Ver Artigo
Rua Wilson Freitas (ex-ladeira Pernambuco)

Tem início na rua do Rosário. A antiga ladeira, que ganhou calçamento no governo de Florentino Avidos, servia de acesso aos terrenos da Capixaba, antes da total urbanização dessa área

Ver Artigo