Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Seminário – Bacias hidrográficas dos Rios Jucu e Santa Maria

Foto: Acervo Elson Gatto Filho, 1986

Pela primeira vez na história, as 10 prefeituras que compõem as bacias hidrográficas dos rios Jucu e Santa Maria vão debater os problemas em conjunto e propor soluções. Tudo isso com o auxílio de especialistas franceses.

É que vai ocorrer nos próximos meses, no Centro de Convenções de Vitória, o “Água 2007 – Seminário Internacional de Recursos Hídricos”, com o tema Gestão de Bacias Estratégicas.

A partir do conhecimento científico que será apresentado nas palestras, o seminário pretende diagnosticar os problemas enfrentados nas bacias e sugerir as medidas apropriadas para resolvê-los.

Para isso, vai contar com a orientação de técnicos da agência da bacia do Sena e Normandia, que estão num processo de gestão mais avançado – o modelo francês é de 1964, enquanto o brasileiro data de 1997.

“Queremos saber deles quais são os caminhos que os comitês devem seguir para atingir os objetivos com maior rapidez”, informou o presidente da Ecobacia, Alberto Pêgo, um dos responsáveis pela organização do evento.

Além das 10 prefeituras e a Ecobacia, o governo do Estado, por meio do Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema), e a Associação Barrense de Canoagem (ABC) estão envolvidos com a realização do seminário.

Outras ações nas bacias

Ligação de esgoto – A Secretaria de Meio Ambiente de Domingos Martins, em parceria com Promotoria do Ministério Público Estadual (MPE) no município, realiza uma campanha para que os moradores realizem a ligação do esgoto doméstico à rede coletora da Cesan, uma das condicionantes para instalação da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) SãoPedro, no distrito de Panelas.

Pesquisa no rio Jucu – O Estudo Hidrosedimentológico da Bacia do Rio Jucu, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Espírito Santo (Fapes) e capitaneado pela professora da Ufes Valéria Quaresma, investiga quanto o rio recebe de sedimento e transporta como carga de fundo, o que trará resultados para o conhecimento da qualidade da água (turbidez), na dispersão de poluentes orgânicos e metais pesados.

Certificação de produtos orgânicos – Graças à atividade pioneira de importantes lideranças da agricultura orgânica, especialmente a Certificadora Chão Vivo, os produtores rurais das bacias dos rios Jucu e Santa Maria começam a se tornar referências estaduais na produção de alimentos livres de agrotóxicos.

Atualmente os produtos já são vendidos nas feiras livres de Jardim da Penha, em Vitória, e Praia da Costa, em Vila Velha, além de supermercados. Duas escolas da Prefeitura de Vitória estão em projeto- piloto para utilizar os produtos na merenda escolar.

Incentivo ao artesanato local – A ONG Amar Caparaó vem servindo de incubadora para o Projeto “Amar Arte”, um embrião de cooperativa de produção artesanal e de indústria caseira na bacia do rio Santa Maria da Vitória.

Preservação do macaco muriqui – No ProjetoMuriqui, o Instituto de Pesquisa da Mata Atlântica (Ipema) busca entender o padrão de distribuição espacial do animal na região de Santa Maria de Jetibá, analisando os fatores necessários à preservação da espécie, que está ameaçada de extinção.

Reciclagem de lixo – Inspirados nos trabalhos de proteção ao meio ambiente iniciado pelo naturalista Roberto Kautsky, foi elaborado o Projeto “Reciclando com Cidadania”, com busca conscientizar a sociedade sobre a importância da redução, reutilização e reciclagem do lixo em Domingos Martins.

Educação ambiental – A Associação Amigos do Mochuara (Assam) desenvolve atividades de educação ambiental junto aos produtores rurais do entorno do monte, que é símbolo do município de Cariacica.

Fonte: Pesquisa A Tribuna

Principais problemas dos Rios Jucu e Santa Maria

“Com as chuvas, o solo desprendido é carreado para dentro do rio causando a formação de bancos de areia, diminuição da lâmina d’água e aumento da turbidez, que diminui a balneabilidade e a atratividade do rio”, conta o gerente de Recursos Hídricos do Iema, Fábio Ahnert.

Situações críticas em alguns pontos

As regiões hidrográficas dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória registram a maior versatilidade de usos da água no Espírito Santo. Talvez em sua função disso, verifica-se uma grande diversidade de problemas derivados da ação humana, que comprometem a quantidade e a qualidade dessas águas.

O Índice de Qualidade da Água (IQA) médio na bacia do rio Jucu, entre os anos de 1998 e 2006, demonstra predominância de qualidade boa, segundo dados do Iema.

“Porém, em alguns locais, a situação é crítica. Uma pesquisa recente aponta que foram registrados 47mil coliformes fecais em um copo (100 mililitros) de água, ou seja, a poluição está 47 vezes maior do que é o tolerável”, afirma Paulo Sérgio Reetz, vice-presidente da diretoria provisória do comitê do rio Jucu.

Estradas mal planejadas

A abertura de estradas vicinais mal planejadas e executadas de modo improvisado é responsável, segundo um estudo, por 70% do assoreamento dos rios.

Alta concentração de ferro

Característica nas duas bacias, a alta concentração de ferro dissolvido total nas águas dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória é explicada pela natureza dos solos das bacias, o latossolo do tipo una, rico em óxidos de ferro.

“A intensa e desordenada urbanização e o desmatamento nas áreas da bacia devem estar favorecendo a erosão desses solos e a chegada do ferro, por lixiviação, nas águas do rio”, explica o presidente do Instituto Ecobacia e ambientalista, Alberto Pêgo.

Uso indiscriminado de agrotóxicos

Entre as práticas agrícolas inadequadas utilizadas nas bacias dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória, o uso indiscriminado de agrotóxicos – a região tem larga tradição na produção de alimentos – é um dos mais preocupantes.

Dados empíricos demonstram que o consumo de agrotóxicos na região é bastante elevado e que sua utilização, na maioria das vezes, acontece sem a observância de normas mínimas de segurança para o manipulador, a cultura, o solo, os rios, os peixes, as criações e o homem.

Desmatamento, erosão e assoreamento

O desmatamento, a erosão e o assoassoreamento são problemas comuns em áreas de preservação permanente, como topos de morros e encostas de alta declividade, nascentes de córregos e rios, e nas matas ciliares dos cursos d’água.

Dentre as principais causas estão o modelo de atividade agrícola desenvolvido nas bacias dos rios Jucu e Santa Maria que demonstra: utilização de queimadas como forma de preparação do solo e pastoreio excessivo do gado.

Esgoto sem tratamento

A principal causa de contaminação dos rios é o lançamento de grandes cargas de esgoto sem nenhum tratamento. A contribuição das indústrias, matadouros e frigoríficos, e, especificamente nas áreas rurais das bacias, pocilgas e criadouros de animais, maximizam o problema.

“Há sérios problemas de esgoto nas cabeceiras. As cidades lançam sem tratamento ou com tratamento inadequado. Isso se reflete em lagos eutrofizados (com grande incidência de algas)”, conta o especialista em recursos hídricos Antonio Sérgio Ferreira Mendonça.

 

Fonte: A Tribuna, Suplemento Especial Navegando os Rios Capixabas – Rio Jucu – 26/08/2007
Autora: Flávia Martins
Compilação: Walter de Aguiar Filho, agosto/2016

Rios do ES

Pescadores apontam mudanças – Rio Doce

Pescadores apontam mudanças – Rio Doce

Os profissionais que vivem às margens do rio Doce avisam que algumas espécies de peixes estão em extinção

Pesquisa

Facebook

Matérias Relacionadas

Descida Ecológica do Rio Jucu

Ela foi a grande motivadora para a criação do Consórcio Jucu-Santa Maria e é o primeiro movimento do Estado a mobilizar a sociedade para discutir os problemas das águas

Ver Artigo
Projeto Águas Limpas ajuda a preservar

Quando a Cesan faz as redes, a obra também não acaba. É preciso que moradores liguem o esgoto de suas casa a elas

Ver Artigo
Empresa utiliza água da chuva captada de enxurradas da Pedra Azul

A propriedade capta a água da chuva no momento que ela cai pela Pedra Azul, na forma de enxurradas, por meio de dois lagos e quatro reservatórios

Ver Artigo
Porto de Cachoeiro foi marco de crescimento

“Mas o transporte fluvial era tão importante, que a sede da colônia veio para o porto das embarcações, o Porto de Cachoeiro, que hoje é Santa Leopoldina”

Ver Artigo
As bacias dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória

O aumento do consumo de água na Grande Vitória junto com a redução da demanda tem levado a uma conta amarga: o perigo real de racionamento

Ver Artigo
Dinheiro para plantar florestas

O projeto Florestas Para a Vida, do governo do Estado, pretende remunerar produtores rurais que atuarem em favor do meio ambiente

Ver Artigo
Indústrias sobrevivem dos rios Jucu e Santa Maria

A atividade industrial predomina nas bacias dos rios Jucu e Santa Maria da Vitória, que concentram o maior contingente populacional do Estado

Ver Artigo
Comitês dos rios Jucu e Santa Maria vão sair do papel

Governador vai assinar decretos de nomeação das diretorias dos rios Jucu e Santa Maria

Ver Artigo