Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Vale do Mulembá

Barro sendo retirado para ser usado na fabricação da panela

Localização

O Vale do Mulembá fica no bairro Joana D’arc, em Vitória, entre a Pedreira Rio Doce e o loteamento São José. O acesso é pela Rodovia Serafim Derenzi.

Formato

O vale possui formato em “U” alongado nas duas pontas, com largura variável de 100 a 180 metros e comprimento de cerca de 700 metros. Está cercado de elevações com cota máxima de 132 metros a sul e 120 metros na direção da Pedreira Rio Doce.

Vegetação

A vegetação do Mulembá é escassa, partes alagadas e várias depressões, de onde são extraídas argila para a fabricação de panelas de barro.

Argila

É uma argila caulinítica, de granulação fina, de cor variável do amarelo-ocre ao cinza-azulado. Ela contém feldspato, mica, matéria orgânica, sais de ferro, sílica livre e outras impurezas.

Qualidade da argila

Já foram identificados três tipos de argila no Vale do Mulembá. A mais resistente é ideal para a produção das panelas são as argilas plásticas, de cor amarelada e cinza, com matéria orgânica e pouca sílica livre.

Mistura

Para dar conta de tanta panela, as artesãs costumam misturar as argilas plásticas com argilas de menor qualidade.

Verdadeira panela

As panelas de barro do Vale do Mulembá produzidas pelas paneleiras de Goiabeiras têm cor preta fosca (pouco brilho) e o acabamento é simples porque a modelagem é feita á mão. Elas são mais resistentes ao fogo, (não racham) e conservam a temperatura dos alimentos por mais tempo.

 

Por: Manuella Siqueira
Fonte: Jornal A Gazeta (setembro/2005)


LINKS RELACIONADOS:

 Escolhendo panelas capixabas
 Panela de Barro
 Mangue Vermelho
 Aprenda a escolher um bom peixe 
 Caranguejo 
 Culinária Capixaba

Matérias Especiais

De nomes capixabas

De nomes capixabas

Diferente do que propôs um articulista no jornal A Gazeta, nós, canelas-verdes (eu, por adoção, há 30 anos), não queremos a mudança do nome do nosso município, Vila Velha, que não achamos pejorativo...

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Madrugada Chuvosa – Por Areobaldo Lellis Horta

Falava-se, à boca pequena, haver o comandante do 3° Batalhão de Infantaria, recebido ordem para depor o presidente do Estado e ocupar o Palácio

Ver Artigo
Quantas montanhas...

E lá fui eu, abraçada ao meu “Reino das Palavras”, instalar o meu reino literário na cidade de Pancas, a 180 quilômetros de Vitória

Ver Artigo
Abastecimento de água em Vitória – Por Areobaldo Lellis Horta

Além desse chafariz, existiam ainda os do Largo de Santa Luzia, em frente ao atual Ginásio São Vicente

Ver Artigo
A Limpeza Pública e a Domiciliar – Por Areobaldo Lellis Horta

Os quibungos (“tigres”), eram lançados ao mar, nos vários cais, às caladas da noite, quando adormecida a cidade

Ver Artigo
Britz - Por Milson Henriques

De qualquer modo vamos ao agradável labor de rememorar os que eu freqüentava, lembrando que havia também as boates Buteko, Cave, Aux Chandelles, Porão 214,...

Ver Artigo