Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Dados Biográficos do Autor Aerobaldo Lellis Horta

Aerobaldo Lellis Horta

Areobaldo Lellis Horta nasceu em Vitória, no dia 11 de novembro de 1883. Filho de José Francisco Lellis Horta, o Prof. Lellis, e de Francisca da Encarnação Lellis. Teve dois filhos, Maria Lellis e José Francisco Lellis Horta, Juiz de Direito, falecido há pouco tempo. Médico legista, jornalista, foi diretor do Diário da Manhã. Colaborou com o Jornal do Brasil, Brasil Médico, Folha do Povo, A Tribuna, A Gazeta, Mundo Espírita, Revista Espírita do Brasil e O Reformador. Pertenceu à Sociedade de Medicina e Cirurgia do Espírito Santo. Atuou no Ambulatório Clínico Dr. Dias da Cruz e na Associação dos Funcionários Públicos — Caixa beneficente Jerônimo Monteiro. Publicou O hipertiroidismo nas desordens nutritivas da primeira infância, além de diversos artigos, comentários, crônicas e poemas na imprensa, assinando com os pseudônimos J. Machado, Antônio João ou H. Pinto. É autor dos epítetos "Cidade Presepe" (ou Presépio) para Vitória, título de um poema publicado na revista Vida Capichaba, em 1951, na comemoração do 4º Centenário da Cidade de Vitória, e "Cidade Saúde", para Guarapari, dado ainda nas décadas de 20 e 30, conforme documento do Câmara Municipal de Guarapari datado de 13/03/1995.

Em 1951, concorreu ao "Prêmio Cidade de Vitória" com a obra Vitória do meu tempo, escrita desde 1948, e que permaneceu inédita até os dias atuais. Faleceu em Vitória, no dia 09 de junho de 1953, sem ver seu livro publicado. Essa obra rememora usos e costumes de um tempo, a passagem do século XIX para o século XX, e de uma cidade que não mais existem. Vem somar-se às obras de Antunes Siqueira, Afonso Cláudio, Maria Stella de Novaes, Serafim Derenzi, Adelpho Poli Monjardim, Elmo Elton e Renato Pacheco, historiadores-cronistas de suas épocas, das memórias de suas infâncias, dando à luz lembranças que contribuem para trazer ao presente o tempo e a vida dos dias passados. Na época atual, em que não se acredita mais numa única História, de grandes feitos e de grandes vultos, este Vitória do meu tempo, de Areobaldo Lellis, em boa hora editado pela Secretaria de Cultura da PMV, em convênio com a Academia Espírito-santense de Letras, vem contribuir para enriquecer o olhar presente sobre o passado, usos e costumes de pessoas com quem o autor conviveu e que foram perpetuadas pela memória do cronista.

 

Por Francisco Aurélio Ribeiro

 

Livro: A Vitória do meu tempo
Produção: Academia Espírito-Santense de Letras
e Secretaria Municipal de Cultura, 2007 – Vitória/ES
Autor: Areobaldo Lellis
Organização e revisão: Francisco Aurelio Ribeiro
Compilação: Walter de Aguiar Filho, julho/2020

Personalidades Capixabas

Miguel de Aguiar

Miguel de Aguiar

Miguel Manoel de Aguiar Junior nasceu em Vila Velha – ES, em 31 de março de 1893. Filho de Miguel Manoel de Aguiar e Maria da Penha Nunes de Aguiar, teve como irmãos, Augusto, João, Vitória, Manoel, Maria e Carolina. Aos quatro anos perdeu seu pai e aos nove anos sua amada mãe

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

A Importância da Mulher na História de Espírito Santo

A História revela que a mulher, sempre foi discriminada em todas as épocas e o seu papel na sociedade nem sempre foi considerado preponderante e fundamental

Ver Artigo
Augusto Ruschi

Na natureza tudo e todos são interdependentes; assim, a sobrevivência de todas as espécies, inclusive o homem, só pode ser conseguida através do entendimento desta interdependência

Ver Artigo
Levino Fanzeres - Um Modesto Centenário

É de sua autoria a célebre Partida de Araribóia, quadro adquirido pelo governo do Estado para a Assembléia Legislativa

Ver Artigo
Uma festa para Hermógenes – Por Berredo de Menezes

Hermógenes recebe merecidamente, o galardão de presidente de honra da Comissão Espírito-santense de Folclore

Ver Artigo
Marcílio Toledo Machado

Meu pai disse para meu irmão mais velho quando nasceu o seu primeiro filho: "Agora sim, você vai ter uma idéia de quanto gosto de você"

Ver Artigo