Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Saldanha da Gama - Ontem e hoje

Saldanha da Gama - ontem e hoje

O Clube Saldanha da Gama foi inaugurado sobre o antigo Forte São João em Vitória, construído em 1592, no governo de D. Luiza Grinalda, às pressas, logo após a invasão de Vitória pelo corsário inglês Thomas Cavendish.

Do local, tem-se uma linda vista da baía de Vitória. Possui até hoje os velhos canhões que guarneciam o forte.

Quem foi Thomas Cavendish?

Por volta de 1592, o governo da Colônia teve conhecimento de que seriam atacados pelo corsário inglês Thomas Cavendish. Com tempo suficiente para organizar a resistência, o capitão Miguel de Azeredo reuniu os homens em condições de combater o inimigo. De igual modo, apelou para os índios goitacases aldeados perto do centro de Vila Velha. O chefe dos goitacases, Jupi-açu, se colocou ao lado dos colonos. Não seria a primeira vez que lutariam contra os invasores estrangeiros.

Vários índios se postaram em posição de defesa em Vila Velha, alguns em Piratininga e outros na Prainha.

Com rapidez, brancos e nativos trataram de acumular sobre o Penedo muitas pedras de fácil remoção. No lado oposto, isto é, na elevação onde mais tarde foi construído o Forte São João, tomaram os colonos a mesma providência.

Os corsários ingleses acharam que iam surpeender e no entanto, foram surpreendidos. Quando os ingleses, comandados por Morgan, segunda pessoa de Cavendish, tentaram desembarcar na ilha, foram atingidos por pedras, flechas e tiros de arcabuzes.

Ao final da batalha, quarenta corpos dos ingleses jaziam no local, sem contar os afogados levados pela correnteza da maré. Entre os mortos estava Morgan, elemento de confiança do corsário Cavendish. Oito ingleses foram feitos prisioneiros e Cavendish recolheu os feridos e mandou incendiar a outra nau, pois não dispunha agora de marinheiros que a tripulassem. Pôs-se ao largo e fugiu a todo pano perante o delírio dos colonos que comemoravam a vitória sobre os corsários ingleses.

 

Fonte: Vila Velha seu passado e sua gente, 2002
Autor: Dijairo Gonçalves Lima
Compilação: Walter de Aguiar Filho, setembro/2014 

Matérias Especiais

Raul Farol - Por Sérgio Figueira Sarkis

Raul Farol - Por Sérgio Figueira Sarkis

Era intermediário de agiotas, agenciando empréstimos às pessoas necessitadas; ora, fornecedor de navios aqui aportados

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Casa da Memória de Vila Velha - Sua História

Na Prainha, à beira mar, de frente para a Praça Tamandaré, havia um casarão geminado em ruínas, uma das últimas edificações do século XIX, datada de 1893, conforme inscrição em seu frontispício

Ver Artigo
A Herança Cultural Afro - Capixaba

Roger Bastide destacava, por volta de 1950, que não foi apenas no Rio de Janeiro que a Macumba difundiu-se, pois já era bem popular no Espírito Santo

Ver Artigo
Hermógenes - Amor pela Barra

Aos 12 anos, Hermógenes embarcou com a mãe e o irmão Ivo no navio de cabotagem Lud e, após longa viagem, aportaram em Vitória. Foi morar em Paul, município de Vila Velha

Ver Artigo
Memória Capixaba - O Arquivo e a Biblioteca (II) – Por Gabriel Bittencourt

O novo Congresso Legislativo construído sobre os escombros da antiga igreja da Misericórdia, que fora arrasada por ordem de Jerônimo Monteiro

Ver Artigo
A Polícia Militar na Historiografia Capixaba - Por Gabriel Bittencourt

A Policia Militar jamais suscitou tanta evidência, seja na imprensa ou no seio da comunidade cultural, como neste ano em que comemora 150 anos de existência

Ver Artigo