Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando desde 2000 a Cultura e História Capixaba

Vila Velha Deverá Mudar de Nome?

Vila Velha Deverá Mudar de Nome? - Jornal O Continente de 05.09.1953

“O Continente” inicia hoje um movimento de consulta ao povo - Carta do Dr. Armando de Oliveira Santos - Que tal Atlanta ao invés de Espírito Santo?

Iniciamos em nossa edição de hoje um movimento social-popular no sentido do aferir-se as opiniões de todas as camadas sociais do Município em torno da questão do nome de nossa terra.

Vila Velha, é o nome que detínhamos desde datas imemoriais para o perdermos antes da primeira anexação a capital, em vista de decisão do Instituto Brasileiro de Geografia Estatística que resolveu conceder a prioridade do uso desse nome a cidade de idêntica nomenclatura, existente no Paraná. Passamos a usar, compulsoriamente, pois, o nome de Cidade do Espírito Santo.

Todavia, pouca gente usa ou se lembra que o nosso nome é cidade do Espírito Santo, sede do Município do Espírito Santo, parte integrante do Estado do Espirito Santo! Vila Velha foi ficando e hoje é corno que um apelido destes que grudam e dificilmente se despregam. Nem mesmo quando da segunda anexação, quando passamos ao pomposíssimo nome de Distrito do Espírito Santo de Vitória, conseguiu-se afastar o nome de Vila Velha que constitui uma orientação segura para o forasteiro, para os Correios e Telégrafos, afim de determinar nossa posição geográfica.

Por estas razões, pois os fundamentos deste movimento de consulta ao povo, as autoridades e as classes conservadoras do município, afim de que depois de colhermos a opinião de cada um, endereçarmos o resultado da nossa "enquete" à Câmara Municipal para debate e solução do assunto.

Nesta data, estamos nos dirigindo as seguintes pessoas, rogando a gentileza de nos enviarem suas sugestões a respeito.

- Dr. Godofredo Schneider, Advogado-Chefe do Serviço Jurídico do Estado; Sr. Eugenio Queiroz, conceituado comerciante nesta cidade; Dr. Antônio Bezerra de Faria, Prefeito Municipal; Sr. José Buzio da Silva Filho, Vereador Municipal e Dr. Cicero de Moraes, Diretor do Serviço Geográfico do Estado.

CARTA DO DR. ARMANDO DE OLIVEIRA SANTOS

A propósito, o nosso Redator Chefe recebeu do Dr. Armando de Oliveira Santos, oportuna e interessante missiva que transcrevemos abaixo como primeira contribuição ao movimento inaugurado hoje:

“Vitória, 1°. de Setembro de 1953. Caro amigo Antônio Gil Vellozo Vila-Velha.

De há longos anos venho pensando no nome desta linda cidade, da qual você é hoje prestigioso político.

Primeiramente arrastou o triste nome de Vila Velha... simpático, não há dúvida, mas rançoso; e simpático para nós capixabas, que ligamos carinhosamente o nome à antiga cidade cheia de tradições e contemplada pela maravilha que é o Convento da Penha; mas nome sem significação e sem atrativo para os forasteiros, ao saberem-lhe o nome contentam apenas: bem podiam ter arranjado um nome mais bonito para uma cidadezinha tão pitoresca, cheia de encantos naturais.

Mais tarde passou a ser a cidade do Espírito Santo.

O nome comprido assenta bem para o Estado, mas para uma cidade, é muito nome.

Vejamos os nomes de algumas das principais cidades Nova York, Paris, Londres, Roma, Moscou, Alberta, Quebec, Zurique, Bruxelas, Amsterdam, Berlim, Haia, Tóquio, Chicago, Dallas, Vitória, Campos, Viçosa, São Paulo, Recife, São Luiz, Madrid, Lisboa, Havre, Calais, Bilbao, Atenas, Gaza, Nantes, Viena, Lille, Limoges, Liége, etc. Cito estas a esmo, por serem cidades que têm, de fato nome que assentam bem para cidades. Nomes grandes ficam bem em Estados, rios, etc. As próprias nações, com exceção da Rússia, todas se procuraram nomes pequenos: Brasil, Inglaterra, América, França, Itália, Portugal, Suíça, Bélgica, Turquia, Áustria, China, Índia, Sião, Canadá, México, etc. Uma cidade pequena, com um nome comprido, principalmente quando ela é atraente, limpa, alegre, dá a impressão de uma taça de cristal onde em vez de vinho espumante tenha-se-lhe colocado em cima de um tijolo.

Os nomes quando são feios ou pesadões, devem ser mudados.

Vejamos, por exemplo o nome de Veado. O povo dessa cidade não simpatizava com o nome e na primeira oportunidade mudou para Siqueira Campos. Mas refletiu mais tarde que "Cidade de Siqueira Campos" era muita légua de nome para uma cidadezinha e, com justeza, voltou a mudar tendo agora o bonito nome de Guaçuí.

A cidade do Espírito Santo poderia também adaptar-se um nome que a enfeitasse mais, que mais condissesse com sua esbelteza, com a graciosidade com que espreita as águas do Atlântico através da espuma de suas praças inigualáveis.

Por que não batizá-la mais uma vez?

A Câmara receberia sugestões de todos os admiradores da antiga, bela e ensolarada cidade de Vila-Velha, da cidade saúde, e escolheria o nome que julgasse mais condizente, mais atraente e alegre para a linda cidadezinha.

Eu sugeriria o nome de Atlanta.

Já existe uma com esse nome, na América do Norte, cidade de mais ou menos 300.000 habitantes. Mas é só.

Isso no entanto, não seria obstáculo, pois quantas cidades temos com o de Vitória?

Vitória, na Austrália, com 200 e tantos mil habitantes.

Vitória, capital do Espírito Santo, com 50 a 60 mil habitantes.

Vitória da Conquista com uns 8.000 habitantes.

Vitória de Santo Antão, com uns 7.000 habitantes.

Vitória na Venezuela, com uns 8.000 habitantes.

Vitória na Bolívia.

Vitória na Argentina.

Vitória no Chile, etc, etc.

Atlanta tem apenas uma na América do Norte e passaria a ter uma na América do Sul. Parece-me que seria um curto e simpático nome para uma linda cidade.

Faça uma forcinha, pois Vila Velha ... bem que o merece, e o Espírito Santo não teria motiva para se zangar.

Entre outros nomes lembraria também os de Miramar, Itapoan, etc.

Terminando quero, ainda, lembrar ao presado amigo que havia duas localidades no nosso Estado, cujos nomes indígenas não soavam e não soam bem aos ouvidos... um era o de Itapocu, e o outro o de Jucu.

O primeiro já foi contemplado pelo bom senso.

Para o segundo venho sugerir a mudança do nome do Rio Jucu para Rio Itapoéra e de Barra do Jucu para Vila da Foz.

São apenas sugestões.

Caso o amigo concordasse com esta explanação e bem assim os seus dignos pares, deveria para tanto ser nomeada uma comissão que recebesse sugestões de todos que as queiram dar, para serem mais tarde escolhidos os nomes que a comissão julgasse como mais apropriados.

Grato pela acolhida da presente aqui fica meu cordial abraço (as.) Armando de Oliveira Santos".

 

Fonte: Jornal O Continente - 05/09/1953

Vila Velha

Átyla Freitas Lima

Átyla Freitas Lima

Sempre nutri vontade de divulgar os atos pitorescos que se passaram em Vila Velha, na época de nossa infância. Agora lendo em “A Gazeta” um artigo do meu amigo José Luzio, em que ele focaliza um desses fatos ocorridos como o nosso inesquecível “Demi Malcriado”, resolvi por em prática este meu desejo.

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Festa da Penha – Por Edward Athayde D’Alcântara

A dispersão do povo residente em Vitória ou ao longo da linha de bondes ia até a madrugada; o bonde funcionava 24h

Ver Artigo
Vila Velha Deverá Mudar de Nome?

Atlanta tem apenas uma na América do Norte e passaria a ter uma na América do Sul. Parece-me que seria um curto e simpático nome para uma linda cidade

Ver Artigo
Vila Velha, a Cidade, sua História – Por Seu Dedê

O geólogo canadense Charles Frederick Hart, visitou Vila Velha no ano de 1865

Ver Artigo
O 23 de Maio de 1955 no Centro Cultural Humberto de Campos

Comemorações do 23 de Maio de 1955 no Centro Cultural Humberto de Campos  

Ver Artigo
O Futuro Nome de Vila Velha - Por Heribaldo Balestrero

Lembrei-me, então, de sugerir à Comissão o nome de EMBOABAS (do guarani Mboab) que significa aldeia de gente calçada, ou simplesmente calçados.

Ver Artigo