Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Capela de Santa Luzia

Capela de Santa Luzia

A Capela de Santa Luzia data do séc. XVI e é a edificação mais antiga de Vitória.

Construída em pedra e cal de ostra, coberta com telhas de barro tipo canal, era a capela particular da fazenda de Duarte Lemos, na sesmaria doada pelo primeiro donatário da Capitania do Espírito Santo, Vasco Fernandes Coutinho.

Integrada à vida religiosa da cidade, sua arquitetura colonial foi sendo ornamentada, ganhando o frontão e o altar barrocos.

Abrigou as irmandades de Nossa Senhora dos Remédios e de Santa Luzia, permanecendo em atividade até a década de 1920.

Estava em ruínas quando, em 1946, foi inscrita no livro de tombo do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, como bem cultural a ser protegido e valorizado.

Abrigou o Museu de Arte Sacra entre 1950 e 1970, e a Galeria de Arte e Pesquisa da UFES, de 1976 a 1994. Desde 1996 sedia o escritório técnico e o espaço cultural da 6ª Sub-Regional do IPHAN.

O Altar

O altar de Santa Luzia, todo em madeira pintada, remete ao estilo Barroco do século XVIII.

Na ocasião do tombamento da Capela, achava-se bastante degradado e sem a imagem da Santa, já desaparecida.

Teve sua estrutura reforçada em 1947, quando a Capela doi restaurada por André Carloni, primeiro representante do então SPHAN no Espírito Santo. A segunda restauração, concluída em 1998, incluiu a sua completa recuperação.

A restauração dos elementos artísticos revelou decorações de épocas diferentes, valorizando os vestígios encontrados. Podem ser apreciados trechos da pintura original, com motivos florais típicos do Barroco, assim como desenhos e telhas ao gosto Rococó, do séc. XIX.

As camadas de douração e de pinturas marmorizadas, por sua vez, recobrem a cor lisa da decoração original, mais simples e singela.

O Púlpito

Tribuna de onde o sacerdote fazia a pregação, durante a missa, é um elemento presente desde a construção da capela. Sua estrutura atual, construída no séc. XIX, foi restaurada em 1998.

 

Fonte: IPHAN - Ministério da Cultura

História do ES

Ano de 1871 – Por Basílio Daemon

Ano de 1871 – Por Basílio Daemon

Falece no Convento do Carmo, frei Antônio de Nossa Senhora das Neves, prior do mesmo convento, cargo que ocupava desde 1853

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Duarte de Lemos, homem providencial

Duarte de Lemos rumou para o Espírito Santo com seus “criados e outras pessoas que por seu respeito vieram com ele”

Ver Artigo
Preparativos de viagem do donatário Vasco Fernandes Coutinho

Em Portugal preparava a viagem para o senhorio que lhe coubera “pera todo sempre”, segundo rezava a carta

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros no ES - Auguste de Saint-Hilaire

Augustin François César Prouvencial, segundo o nome de batismo, ou Auguste de Saint-Hilaire,

Ver Artigo
A Colonização do solo Espírito-Santense - Por: Yvone Amorim

Vasco Fernandes Coutinho faleceu a 16 de janeiro de 1561, em Vila Velha, onde residia. Acreditamos, em um futuro bem próximo, que se possa resgatar a importância da figura do donatário, como a melhor forma de cultivar a sua memória

Ver Artigo
Visita do Imperador ao ES – 1860

SS. MM. desembarcavam ao meio-dia. A esta hora todas as autoridades civis e militares, sacerdotes, estavam no Cais das Colunas esperando SS. MM.

Ver Artigo