Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

“Descaminhos no dinheyro” em 1650

Livro: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição 2008

Em 1650, Manuel da Rocha de Almeida veio como capitão-mor.(50) Por sinal que padeceu naufrágios no trajeto Bahia-Vitória.

Logo ao chegar, escreveu ao governador geral pedindo reforço de soldados e de artilharia. Comunicou também a construção de um fortim “na lajem que está ao pé da vila”, idéia que mereceu plena aprovação.

A carta do conde de Castelmelhor, escrita “em resposta das primeiras suas” – e em que se contêm tais informações – refere-se a diversas irregularidades no Espírito Santo, principalmente nos negócios da Justiça, havendo, também, “descaminhos no dinheyro dos defuntos e abzentes”.

João de Pina,(51) ouvidor, requereu licença para empreender uma excursão à terra das esmeraldas, pretensão que o governador geral vetou porque el-rei cometera a tarefa aos irmãos Domingos e Antônio de Azeredo, ao tempo ausentes, em São Paulo, aonde tinham ido em busca de línguas.(52)

 

NOTAS

(50) - DH, III, 81.

(51) - João de Pina Tavares. Mais tarde, em 1676, foi proposto por Francisco Gil de Araújo para chefiar a entrada que José Gonçalves de Oliveira requerera. Era, então, sargento-mor (DH, LXVII, 190).

(52) - DH, III, 5-8. Língua, no texto, é empregada na acepção de intérprete.

 

Fonte: História do Estado do Espírito Santo, 3ª edição, Vitória (APEES) - Arquivo Público do Estado do Espírito Santo – Secretaria de Cultura, 2008
Autor: José Teixeira de Oliveira
Compilação: Walter Aguiar Filho, junho/2017

História do ES

Comício de Jânio Quadros em Vitória

Comício de Jânio Quadros em Vitória

Cerca de dez mil pessoas, animadas por grande vibração cívica, aplaudiram ontem, na Praça Oito, o Sr. Jânio Quadros e sua comitiva

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

Duarte de Lemos, homem providencial

Duarte de Lemos rumou para o Espírito Santo com seus “criados e outras pessoas que por seu respeito vieram com ele”

Ver Artigo
Preparativos de viagem do donatário Vasco Fernandes Coutinho

Em Portugal preparava a viagem para o senhorio que lhe coubera “pera todo sempre”, segundo rezava a carta

Ver Artigo
Viajantes Estrangeiros no ES - Auguste de Saint-Hilaire

Augustin François César Prouvencial, segundo o nome de batismo, ou Auguste de Saint-Hilaire,

Ver Artigo
A Colonização do solo Espírito-Santense - Por: Yvone Amorim

Vasco Fernandes Coutinho faleceu a 16 de janeiro de 1561, em Vila Velha, onde residia. Acreditamos, em um futuro bem próximo, que se possa resgatar a importância da figura do donatário, como a melhor forma de cultivar a sua memória

Ver Artigo
Visita do Imperador ao ES – 1860

SS. MM. desembarcavam ao meio-dia. A esta hora todas as autoridades civis e militares, sacerdotes, estavam no Cais das Colunas esperando SS. MM.

Ver Artigo