Morro do Moreno: Desde 1535
Site: Divulgando há 16 anos Cultura e História Capixaba

Fonte Milagrosa do Convento da Penha

Ao fundo a Capelinha onde se queimavam velas

Conta a lenda que Pedro Palácios, ao construir a capela dedicada a Nossa Senhora da Penha, fez brotar da pedra uma pequena fonte que servia para mitigar a sede dos trabalhadores. A fonte permaneceu por séculos até que blasfemos a ultrajaram, usando-a de forma ilícita, fazendo-a secar. Ficava junto ao paredão da escadaria e em 1975, segundo Gomes da S. Neto (história sobre o convento) foi levantada uma capelinha para ali se queimarem velas, recebendo por isso o nome de Capelinha da Fonte. A capelinha foi recentemente demolida e surgiu o vestígio da antiga fonte.

Nota: Observe na foto, ao fundo a Capelinha existente para alí se queimarem velas

Fonte: Memória do Menino... E de sua Vila Velha – Casa da Memória Instituto Histórico e Geográfico de Vila Velha-ES, 2014.
Autor: Edward Athayde D’ Alcântara
Compilação: Walter de Aguiar Filho, junho/2020

 

 

Convento da Penha

Velha glosa sobre a Penha e sua polêmica

Velha glosa sobre a Penha e sua polêmica

Nunca aceitei aquela apressada afirmação de que o poeta capixaba José Gonçalves Fraga - falecido em 1855 - fosse o autor da quadra:

Pesquisa

Facebook

Leia Mais

História Popular do Convento da Penha

Ano do 450 aniversário da chegada de Frei Pedro Palácios ao Espírito Santo

Ver Artigo
O Roubo de 1925 ao Convento da Penha - Por Norbertino Bahiense

O Convento foi assaltado e roubado por mãos criminosas que levaram o manto, a coroa e as jóias da imagem de Nossa Senhora da Penha

Ver Artigo
A lenda de Frei Pedro e Nossa Senhora

A maneira como Nossa Senhora passou a ser a padroeira do Espírito Santo, venerada como Nossa Senhora da Penha, é contada numa comovente lenda conhecida por todos os vila-velhenses.

Ver Artigo
Fonte Milagrosa do Convento da Penha

Localizada no terraço inferior do Convento de Nossa Senhora da Penha

Ver Artigo
As Terras do Convento – Por Nobertino Bahiense

O documento de doação feita pela Governadora da Capitania do Espírito Santo, Da. Luísa Grinalda, desde a longínqua data de 6 de dezembro de 1591

Ver Artigo